Voltar para Todos os Eventos

Cinema/Festival: ONTEM HAVIA COISAS ESTRANHAS NO CÉU - Festival de Brasília

‘ONTEM HAVIA COISAS ESTRANHAS NO CÉU’, DE BRUNO RISAS, É O VENCEDOR DA MOSTRA FUTURO BRASIL DO FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO

Distribuído pela Vitrine Filmes e produzido pela Sancho&Punta, o projeto dirigido foi exibido apenas para a indústria e júri selecionado pelo Festival

O projeto work in progress “ONTEM HAVIA COISAS ESTRANHAS NO CÉU”, de Bruno Risas, foi o grande vencedor da MOSTRA FUTURO BRASIL, do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que acontece até domingo, dia 23. Como vencedor da Mostra, o filme leva o Prêmio Técnico Mistika (R$ 25 mil em conform, incluindo aplicação de letreiro, master digital e criação/aplicação de créditos), o Prêmio Técnico Cinemática Audiovisual (Inclusão de acessibilidade: closed caption e libras) e Prêmio Técnico Cinecolor (40 horas de mixagem de áudio).
 
 - O grande ponto do filme é olhar para a contradição de como é viver o presente e ter a memória do passado e a nostalgia que uma imagem cria. Acho que se existe alguma chance de passarmos pela vida de forma inteira é lidando com essas assimetrias - diz o diretor, que faz sua estreia em longas-metragens.
 
Distribuído pela Vitrine Filmes e produzido pela Sancho&Punta, o longa é uma ficção que pauta o cotidiano de uma família na qual inúmeros fatores são inquietantes: o pai fica desempregado, os integrantes precisam voltar à velha casa, a mãe é abduzida, e a vida continua como se nada houvesse acontecido.
 
 “ONTEM HAVIA COISAS ESTRANHAS NO CÉU”  foi realizado com poucos recursos vindos da SPCine e o FSA. “Esses recursos que permitiram à equipe realizar ao longo de vários meses esta linda experiência cinematográfica. Este prêmio, um primeiro reconhecimento ao trabalho feito no filme, nos permite partir para a etapa final e conseguir concluir a finalização do filme da melhor forma possível. A isso agradecemos muito esta iniciativa do Festival de Brasília”,  completa o produtor Michael Wahrmann.
 
Sinopse:
 
Meu pai ficou desempregado. A família toda precisou voltar à velha casa na Bresser, um pequeno bairro de São Paulo. Minha mãe procura saídas mas não sabe o que fazer. Minha irmã conseguiu um emprego, mas paga pouco. Minha avó está ficando demente. As cachorras latem. Eles ficam o dia todo em casa, brigam muito. Enquanto isso eu os filmo. Um estranho objeto no céu abduz minha mãe. Nossa vida continua como se nada tivesse acontecido. Certo dia, ela volta e nos diz: não há nada interessante lá fora.
 
FICHA TÉCNICA

Direção: Bruno Risas
Ass. de direção: Matheus Rufino e Beatriz Pomar
Produção: Julia Alves e Michael Wahrmann
Produção executiva: Julia Alves e Michael Wahrmann
Roteirista: Bruno Risas
Direção de fotografia: Flora Dias
Op. de som: Fábio Baldo e Gabriela Cunha
Mixagem: Juruna Mallon
Montagem: João Marcos de Almeida
Elenco: Viviane Rodrigues S. Marcondes Machado, Julius Cezar Marcondes Machado, Izabela Rodrigues Marcondes Machado, Geny Rodrigues da Silva, BRUNO Rodrigues Marcondes Machado
Distribuidora: Vitrine Filmes

SANCHO&PUNTA

A SANCHO&PUNTA se estabelece em São Paulo em 2016, através da parceria entre as produtoras Sancho Filmes e Punta Colorada de Cinema, com o objetivo de compartilhar uma plataforma de produção destinada à realização de projetos independentes de diretores brasileiros e internacionais.

Ao aliar a experiência das duas empresas na criação, produção e distribuição de filmes independentes e à presença no mercado internacional, a SANCHO&PUNTA expande a diversidade de seus projetos e abre espaço para novos encontros cinematográficos.

Em 2017, a SANCHO&PUNTA lança INVISÍVEL, segundo longa-metragem de Pablo Giorgelli (Las Acacias - Câmera de Ouro, Cannes 2011), uma coprodução com Argentina, Uruguai, França e Alemanha. O filme teve  sua estreia mundial na mostra Orizzonti do 74º Festival de Veneza, e estreia comercial no Brasil em novembro do mesmo ano.

Também estreou no 74º Festival de Veneza, ZAMA, de Lucrécia Martel. O filme é uma coprodução brasileira pela Bananeira Filmes e conta com produção associada da Punta Colorada, tendo sua estreia em salas comerciais brasileiras em Março de 2018.

Ainda em 2017, a SANCHO&PUNTA lançou o longa-metragem LOS TERRITORIOS, de Ivan Granovsky, uma co-produção com a Argentina que teve sua premiére mundial no Festival Internacional de Cinema de Rotterdam, na seção competitiva Bright Future. O filme recebeu o Prêmio Especial do Júri no Festival Internacional de Cartagena das Indias. Em junho de 2018, LOS TERRITORIOS foi lançado em circuito comercial pela Vitrine Filmes.

No mesmo ano, a SANCHO&PUNTA lançou ERA UMA VEZ BRASÍLIA, dirigido por Adirley Queirós, em coprodução com a 5 da Norte (DF) e a Terratreme Filmes (Portugal). O filme recebeu menção especial na seção Signs of Life, do 70º Festival de Locarno.
 
SOBRE A VITRINE FILMES

A Vitrine Filmes distribuiu mais de 120 filmes. Entre seus maiores sucessos estão "Aquarius" e "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro e o americano "Frances Ha", dirigido por Noah Baumbach, indicado ao Globo de Ouro em 2014.

Em 2017, a Vitrine lançou "O Filme da Minha Vida", terceiro longa como diretor de Selton Mello, e "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal, o documentário mais visto no ano.

Alguns dos mais importantes lançamentos deste ano da Vitrine foram "Paraíso Perdido", de Monique Gardenberg, "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que já está entre os 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional e "Benzinho", dirigido por Gustavo Pizzi e protagonizado por Karine Teles, exibido no Festival de Sundance.