Boulevard Filmes | 'ESTRADEIROS' ESTREIA DIA 9 DE AGOSTO

NOTA DOS DIRETORES
 
ESTRADEIROS é um documentário que exigiu deslocamentos e liberdade para isso; tal qual a natureza dos documentados. Partindo do princípio de que não existe o registro pelo registro, e o que prevalece na realização audiovisual é sempre um processo interpretativo, ESTRADEIROS é um documentário de viés subjetivo, de muitas vozes e diálogo livre, que não almeja conclusões. Explorando uma linguagem que se constrói e se investiga ao mesmo tempo, ESTRADEIROS dialoga com culturas próximas (equipe e documentados), combinando vozes com observação direta. Experimenta em cima de uma realidade “invisível” para muitos, representada por uma tribo presente em todas as regiões do Brasil e do continente e ao mesmo tempo pouco “percebida”. Por essa razão, um simples registro de um andarilho que anda sozinho com seu pano cheio de artesanatos em moderna avenida movimentada, toma um viés etnográfico em meio a (não tão diversa) diversidade das nossas cidades.

O documentário ESTRADEIROS é um filme de estrada focado em personagens reais que vivem viajando e mercadejando artesanatos pelo Brasil e América Latina. Realizado com liberdade em várias partes do país e/ou do continente: No Brasil em São Thomé das Letras (MG), Recife, Calhetas, Itamaracá, Maracaipe, (PE), Pedra do Ingá (PB) na Argentina em Buenos Aires, Soberbio, Salta, Pumamarca, Cafayate, Tilcara, Salar Grande, Villa Nueva, Villa Maria, San Marcos Sierras e estradas, e na Bolívia em Potosi, Salar do Uyumi e estradas. Embora tivéssemos personagens e rotas definidas, o nosso caminho foi definido pelo fluxo dos viajantes do momento. A estrada ‘ditou’ os caminhos que deveríamos tomar. A viagem. Por essa razão o documentário ESTRADEIROS tem na liberdade um personagem presente o tempo todo. Liberdade de se guiar por conversas, observações e visões de mundo dos documentados. Liberdade de misturar na montagem lugares, culturas, texturas sonoras e visuais, línguas e sotaques como se tudo fosse (o que de fato é) a mesma terra, o mesmo país sem fronteiras para olhos e ouvidos. Como o Cinema.
 
PRÊMIOS:
Semana dos Realizadores, RJ , 2011, Melhor Filme.
Cine PE, 2012: Melhor Filme pela ABRACINE.
Festival Olhar de Cinema, PR, 2012, Prêmio de Contribuição Artística.
 
PRINCIPAIS FESTIVAIS:
Tallinn Black Nights Film Festival, Estonia, 2011;
Habana Film Festival, Cuba, 2011;
Mostra de Cinema de Tiradentes, BR, 2012;
Cape Winelands Film Festival, África do Sul, 2012 ;
Festival Distrital, Cine y Otros Mundos,México, 2012;
Festival International Lume,BR, 2012.
 
BRASIL | ARGENTINA, 2011, DOCUMENTÁRIO
79’, HD, SOM 5.1
 
Produção Aroma Filmes
Distribuição Boulevard Filmes
Diretor e roteirista Sergio Oliveira and Renata Pinheiro
Diretor de Fotografia Pedro Urano
Editor Daniel Garcia
Música Original Dj Dolores
Som Ives Rosenfeld
Diretor de Produção Cecilia da Fonte
Editor de Som Guga Rocha
Produtor Executivo Renata Pinheiro
Imagens Adicionais Fabio Nascimento, Gustavo Pessoa, Ernesto Theodosio
Assistente de Edição Bia Baggio
Operador de Mixagem Roberto Migone
Correção de cor Damian Benetucci
Produtor Associado Ezequiel Pierri
 
BIOGRAFIA DOS DIRETORES
 
Renata Pinheiro, graduada em Artes Visuais, tem como característica em suas obras cinematográficas a construção visual como um dos principais elementos da construção da narrativa. Seu primeiro longa-metragem de ficção, “Amor, Plástico e Barulho” foi selecionado para o IndieLisboa (2014) e é vencedor de mais de 15 prêmios, entre eles Melhor Atriz, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Direção de Arte no Festival de Brasília (2013), Melhor filme no Festival Brafftv, Melhor filme pela ABRACINE, entre outros. “Superbarroco”, seu primeiro curta-metragem, foi selecionado para a Quinzaine des Réalisateurs - Cannes (2009) e ganhou mais de 30 prêmios ao longo de sua carreira.
Sergio Oliveira iniciou a carreira em cinema já nos anos 90, é diretor e roteirista de diversos projetos. Seu documentário “Super Orquestra Arcoverdense de Ritmos Americanos” ganhou Melhor Direção e Melhor Fotografia no Festival
Internacional do Rio (2016).
Juntos os diretores Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira co-dirigiram e co-roteirizaram o longa metragem “Açúcar”, que participou dos Festival de Rotterdam 2018, 41ª Mostra Internacional de Cinema de SP, 19º Festival do Rio, X Janela Internacional de Cinema do Recife, entre outros, e foi ganhador do Prêmio de Melhor Filme pelo Júri da Crítica do Festin Lisboa 2018. O longa tem previsão de lançamento para novembro de 2018. Dirigiram ainda o curta metragem de documentário “Praça Walt Disney”, que teve sua estreia internacional no Festival de Locarno (2011) e recebeu ao longo da sua carreira mais de 45 prêmios.

 

BOULEVARD FILMES

A Boulevard Filmes é uma produtora e distribuidora audiovisual que busca o equilíbrio entre projetos autorais e demandas de mercado, focando em estratégias de produção e de distribuição compatíveis com cada projeto, tanto para cinema, quanto para TV e novas mídias. Entre os filmes produzidos pela Boulevard estão os longas de ficção “Amor, Plástico e Barulho”, de Renata Pinheiro, “Açúcar”, de Sergio Oliveira e Renata Pinheiro e “Uma Viagem Inesperada”, de Juan José Jusid,  além dos documentários “Glauco do Brasil” e “Grupo de Bagé”, de Zeca Brito, e o telefilme “Guigo Offline”, de René Guerra. Como distribuidora, lançou ainda os documentários “Sobre Sete Ondas Verdes Espumantes”, de Bruno Polidoro e Cacá Nazário, “Meia Hora e as Manchetes que Viram Manchete”, de Angelo Defanti e “Filme Sobre um Bom Fim”, de Boca Migotto.

Sinny Assessoria