Postagens em Produção
RESIDÊNCIA BASE anuncia projetos selecionados

RESIDÊNCIA BASE” ANUNCIA PROJETOS SELECIONADOS 

Programa promove a novos roteiristas uma imersão criativa para o desenvolvimento de roteiros cinematográficos  

A RESIDÊNCIA BASE acaba de divulgar os sete projetos selecionados para participar da segunda edição, que acontece de 5 a 11 de agosto. Realizado por Esmir Filho, Fernando Sapelli, Mariana Bastos e Thereza Menezes, o programa gratuito proporciona uma semana de imersão aos participantes, em um espaço de inspiração e em contato com a natureza, ampliando a experiência criativa. Desta forma, contribui para o desenvolvimento de roteiros cinematográficos dando oportunidade a novos talentos

Nesta edição, os roteiristas selecionados ficarão hospedados na Pousada Fazenda Maristela (Tremembé), trabalhando em seus projetos com a consultoria do cineasta Fabio Meira (As Duas Irenes, Bingo). Também receberão convidados como os roteiristas Bráulio Mantovani (Cidade de Deus, Tropa de Elite 2) e Carolina Kotscho (2 Filhos de Francisco, Quebrando o Tabu), que dividirão suas experiências com os participantes.

Confira os selecionados:

A SANTA, de Henrique dos Santos
Ficção, Roteiro
Em 1923, numa pequena vila de imigrantes poloneses, um rejeitado padre negro recém-chegado galga sua posição de líder religioso ocupada pela misteriosa Cecília, espírito de uma jovem morta supostamente reencarnada no irmão. Para o padre, uma entidade demoníaca.

BARRA AZUL, de Susan Kalik
Ficção, Argumento
Dois irmãos quebram leis para presentear a mãe com um banho de piscina no Barra Azul.

CAUDAL, de Gil Chagas e Chris Agnese
Ficção, Argumento
Dos campos de mandioca na Amazônia aos campos de futebol em Portugal, uma história de exploração cíclica em que todos são vítimas.

COMO É QUE É? E TEM SACI COM MAIS DE UM PÉ?, de Belise Mofeoli
Animação, Argumento
O príncipe Sacícero Sacilva tem sua legitimidade ao trono da Sacilândia questionada por ter nascido com uma deficiência – ele tem DUAS pernas – e, para provar que pode muito mais do que esperam dele, o jovem saci sai de seu mundo e cai no nosso, onde conhece e se apaixona por Cecília, uma menina per-fe-i- taaaa: ela tem UMA perna!

O CRIME DO IGUAÇU, de Nina Rosa Sá
Argumento
A história real de uma jornalista que investiga um crime de feminicídio numa cidade do interior nos anos 50, irritando a elite local ao produzir uma rádio novela de denúncia.

PAPAGAIOS, de Douglas Soares
Ficção, Roteiro
Curicica, periferia do Rio de Janeiro. Beto e Maninho, dois "papagaios de pirata" da imprensa carioca, usam de diversos artifícios para se tornarem cada vez mais famosos em sua localidade. Um novo e violento plano pode levá-los às manchetes dos principais jornais do país.

SOJA, de Renan Braga
Ficção, Roteiro
Um tímido garoto de 7 anos é adotado por uma família de agricultores justo na época em que uma praga misteriosa atinge a lavoura de seus pais.

A RESIDÊNCIA BASE é um programa realizado com patrocínio do UOL e apoio da Pousada Fazenda Maristela. Dentre os projetos selecionados para a primeira edição, realizada em 2013, destacam-se “Para Minha Amada Morta”, de Aly Muritiba, e “Pela Janela”, de Caroline Leone. Para saber mais sobre a primeira edição: https://vimeo.com/74461065

SOBRE OS ROTEIRISTAS SELECIONADOS

Belise Mofeoli
Belise Mofeoli é escritora. Roteirizou para os programas “Cena Inquieta” (Sesc TV) e “Desaparecidos” (A&E), para conteúdos educativos no projeto “A Física e o cotidiano” (Governo do Estado da Bahia) e fez transmedia. Com seu projeto de animação “Como é que é? E tem saci com mais de um pé”, cujo argumento a trouxe à Residência Base, ganhou o Edital de Desenvolvimento de Roteiro Audiovisual de Longas-Metragens de 2018. Será seu primeiro longa-metragem, que já tem produtora, a Muiraquitã Filmes. Formada em Publicidade e Propaganda pela PUC-SP, tem quatro livros publicados – “João e Maria no Spa da Tia Sofia” (qualidade de vida); “Ioiô” (adoção, crianças adotadas e devolvidas); “O Mistério da Semente” (pedofilia) e “Quando mamãe adoeceu” (câncer de mama). Também participou da “Pesquisa Associativismo, Representação de Interesses e Camadas Populares. Comparações entre Latino-América e Índia” desenvolvida entre Brasil (CEBRAP) e Inglaterra (IDS). Recentemente, está aprendiz de dramaturgia na SP Escola de Teatro. É e será sempre uma estudante de audiovisual, de teatro, de literatura, de acessibilidade, das pessoas e da poesia que há nas relações humanas. É da mistura de amor e dedicação a estas áreas, que cria sua arte, seu trabalho. E é com ele que homenageia raízes e culturas.

Douglas Soares
Douglas Soares é roteirista e diretor formado pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Na TV, foi corroteirista dos 46 episódios de "Noturnas", série LGBTQ+ exibida no Canal Brasil e dirigida por Allan Ribeiro. No cinema, é roteirista dos longas-metragens "Papagaios", em desenvolvimento no núcleo de novos autores da GLAZ Entretenimento; "Mais do Que Eu Possa Me Reconhecer", vencedor do Prêmio Aurora da 18ª Mostra de Cinema de Tiradentes; e "Xale", que teve estreia na Mostra Novos Rumos do Festival do Rio 2016. Também escreveu diversos curtas-metragens, entre eles: "A Alma das Coisas" (WIP); "O Clube" (2014); "Com Vista Para o Céu" (2011); "Depois das Nove" (2008); “Minha Tia, Meu Primo” (2008); além dos prêmios de melhor roteiro para as obras "Inocentes" (2017), "Contos da Maré" (2013) e "A Dama do Peixoto" (2011).

Gil Chagas e Chris Agnese
Chris Agnese e Gil Chagas são uma dupla de diretores e roteiristas. Chris, carioca, formada em cinema, Gil, português, formado em Sociologia. Estudaram roteiro na Guionarte, em Buenos Aires e na B_Arco em São Paulo e Chris estudou cinematografia nos Maine Workshops, nos EUA. Entre eles já trabalharam em Lisboa, Buenos Aires, Luanda, Maputo, Rio de Janeiro e São Paulo dirigido para TV e internet e desenvolvendo uma extensa carreira de assistentes de direção em séries e cinema. Juntos escreveram e dirigiram o curta metragem documental "Jegues" que passou em dezenas de festivais por todo o mundo e ganhou o prémio de melhor fotografia no CineAmazonia 2017.

Henrique dos Santos
Henrique Santos formou-se em cinema pela UNESPAR no Paraná em 2016 e atua como roteirista desde então. De lá pra cá participou de diversos laboratórios e concursos com destaque para uma semifinal e duas finais consecutivas no FRAPA – Festival de Roteiro Audiovisual de Porto Alegre – e o prêmio de Melhor Roteiro para Curta-metragem do ROTA (RJ) em 2017 por “O Casamento de Cristina”. Corroteirizou a minissérie “Nóis por Nóis” ao lado de Jandir Santin e Aly Muritiba, ao ar pela TV Brasil em novembro de 2017 e com uma versão para longa-metragem com lançamento comercial previsto para o segundo semestre de 2019. Em parceria com Muritiba, escreveu também o roteiro de seu primeiro longa, “Deserto Particular”, selecionado para o Venice Gap, plataforma de negócios do 75° Festival de Cinema de Veneza, e contemplado em edital do FSA. Para além dos trabalhos com a escrita, foi curador do concurso de roteiros da segunda edição do festival ROTA (2018) e consultor na área de roteiro para os laboratórios MetrôLab (duas edições) e o GrafoLab em Curitiba. Atualmente é mestrando na área de Cinema e Vídeo onde se dedica à pesquisa sobre representações da masculinidade negra, além de trabalhar no desenvolvimento de séries. “A Santa” é seu segundo roteiro para longa-metragem e contará com direção de Aly Muritiba e produção da Grafo Audiovisual.

Nina Rosa Sá
Nina Rosa Sá escreve para teatro, cinema e televisão. Em julho de 2019 teve o piloto da série Antes do Fim na lista de semifinalistas do Prêmio Cabíria de Roteiro. Neste mesmo ano aprovou o projeto de desenvolvimento do longa Os Cães lá de Fora no edital da Fundação Cultural de Curitiba. Entre 2017 e 2018 roteirizou e dirigiu três episódios da websérie ENCONTROS. Em 2016 participou do GloboLab, em que ficou entre os finalistas. Também integrou a equipe de criação do programa de Pedro Bial. Nos últimos quinze anos escreveu e dirigiu mais de 15 espetáculos teatrais.

Renan Braga
Diretor de cinema formado pela Escola Internacional de Cuba (EICTV). É natural de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Faz parte do movimento artístico neoantropofágico latino-americano.

Susan Kalil
Diretora, roteirista e produtora. Vinte anos trabalhando com teatro e dez anos com audiovisual, ambos como diretora e produtora. Nos últimos dois anos, vem se especializando em roteiro. Seu roteiro de longa-metragem Lafond, produzido através da seleção no Edital de Novos Roteiristas do MINC 2017, foi um dos 10 finalistas do FRAPA 2019. Seu primeiro longa Cores e Flores para Tita, sobre a transgeneridade, foi Melhor Roteiro na Mostra SESC de Cinema Bahia 2017, e licenciado para a Mostra SESC Nacional. Do que aprendi com minhas mais velhas, seu último filme, sobre como surge a fé no Candomblé, foi escolhido como um dos dez filmes para representar o Brasil na Rede de Salas Digitais do MERCOSUL 2019. Sua última produção, como diretora assistente e produtora executiva, Bando, um filme de, foi Melhor Longa Baiano no Panorama Internacional Coisa de Cinema 2018. Há dez anos é produtora e integrante do Núcleo Afro-brasileiro de Teatro de Alagoinhas, que pesquisa o Candomblé como discurso e estética teatral.


SOBRE OS REALIZADORES

Esmir Filho
Esmir Filho é formado em cinema e fundou a Saliva Shots em 2011. Nela participou da criação e direção geral de diversas obras em vários formatos – videoclipe, televisão, teatro, instalações e cinema. Seu longa “Os Famosos e os Duendes da Morte”, distribuído pela Warner Bros. no Brasil, foi selecionado pelos festivais de Berlim e Locarno e vendido para mais de 5 países, além de ter ganhado o prêmio de melhor filme no Festival do Rio. Seu curta “Alguma Coisa Assim” foi premiado no Festival de Cannes em 2006, enquanto “Saliva” esteve na corrida pela vaga no Oscar de 2008. Em 2016 realizou seu segundo longa com Mariana Bastos, uma coprodução Brasil e Alemanha, também premiada no Festival do Rio. Atualmente prepara-se para lançar “Verlust - Estado de Praia”, seu terceiro longa, uma coprodução Brasil e Uruguai, em conjunto com a Globo Filmes.

Fernando Sapelli
Fernando Sapelli é formado em Cinema e Novas Mídias, assim como artes dramáticas, pela Universidade da Califórnia, Santa Barbara. Em Los Angeles trabalhou na produtora Appian Way, do ator Leonardo Di Caprio, e na Sony Pictures Television. Em 2010, Fernando iniciou o projeto People of Change, focado na documentação do trabalho de organizações de impacto, e seus esforços para mudar a sociedade positivamente, em mais de 15 países. Em 2014, fundou a produtora Claraluz Filmes, por meio da qual produziu os longas-metragens "Exodus - De Onde Eu Vim Não Existe Mais" (2016), em coprodução com O2 Filmes, com estreia na Mostra Internacional de São Paulo, e "Alguma Coisa Assim" (2017), com estreia no Festival do Rio, onde recebeu o prêmio de melhor edição. Também já produziu séries de televisão, como "Filosofia Pop (Segunda Temporada)" (2019) e conteúdo seriado para empresas como TAP Airlines e Google.

Mariana Bastos
Atualmente trabalha no desenvolvimento de seu segundo longa-metragem, "Raquel 1,1", um suspense bíblico pop produzido pela Claraluz Filmes.
Escreveu e dirigiu seu primeiro longa-metragem "Alguma Coisa Assim", uma coprodução Brasil - Alemanha, ao lado de Esmir Filho, a partir do curta homônimo premiado no Festival de Cannes.
Roteirizou e assumiu a Direção Geral da série de doc-reality "Expedição Xingu", para a Rede Globo - Fantástico. Trabalhou para grandes produtoras e emissoras do Brasil como Paranoid BR, Barry Company, Globomedia, Saliva Shots, Rede Globo, GNT, Sony, entre outras.
Foi roteirista da série "Tudo o que é Sólido Pode Derreter", da TV Cultura. Venceu por duas vezes o concurso de roteiros do Festival Cultura Inglesa, o que lhe permitiu realizar curtas-metragens (“Perto de Qualquer Lugar”, em 2007, e “Sete Anos Depois”, em 2014) premiados em vários festivais nacionais e internacionais.
É uma das autoras do hit da internet "Tapa na Pantera", com mais de 10 milhões de acessos no Youtube.

Thereza Menezes
Dirigiu o curta-metragem documental SABA, juntamente à Gregório Graziosi, que entrou na seleção do Cinefondation da 60a edição do Festival de Cannes. Trabalhou como editora e produtora durante alguns anos até entrar como sócia na produtora Saliva Shots e trabalhar como produtora executiva de diversos projetos, entre eles, os programas de TV, videoclipes e longas-metragens.
Como produtora executiva, lançou dois longas-metragens – “Eu Nunca”, dirigido por Kauê Telloli, e “Alguma Coisa Assim”, dirigido por Esmir Filho e Mariana Bastos – além de diversos programas de televisão para GNT e SESCTV.
Atualmente, está em pós-produção de seu terceiro longa-metragem pela Saliva Shots, “Verlust”, dirigido por Esmir Filho, com Andréa Beltrão e Marina Lima.
Em 2016, juntou-se à Mariana Bastos para montar o Bloco Pagu que hoje é um dos maiores blocos da cidade.


SOBRE O CONSULTOR

Fabio Meira
Roteirista e diretor, Fabio Meira começou no cinema como assistente de Ruy Guerra em "Veneno da Madrugada" de 2004. “As Duas Irenes”, seu primeiro longa como diretor, estreou no Festival de Berlim e recebeu quatro Kikitos no Festival de Gramado, entre eles o de Melhor Roteiro e Melhor Filme pela crítica. Fabio tem especialização em roteiro na ESCAC em Barcelona e é Mestre pela Universidade de São Paulo. Como professor atuou em instituições como Escola de Cinema e Vídeo de Santo André, Inspiratorium, Academia Internacional de Cinema, além da rede Sesc e da Escola Internacional de Cinema de Cuba. Foi líder de um Núcleo Criativo e consultor de roteiro para eventos do Festival Latino de SP e para o Laboratório Novas Histórias.
Foi também roteirista do documentário cubano “The Illusion” (2009), premiado na Berlinale e nos Festivais de Chicago e Havana, e do longa “De Menor”, de Caru Alves de Souza, Melhor Filme no Festival do Rio de 2013. Trabalhou no roteiro de “Bingo, o rei das manhãs”, de Daniel Rezende, escolhido como o representante brasileiro para vagas no Oscar e nos prêmios Goya. Também atuou em roteiros para Marcelo Lordello, Sérgio Machado, René Sampaio, Marcelo Gomes e Karim Aïnouz.
Entre curtas e médias-metragens, Fabio Meira realizou nove filmes. Recebeu prêmio de Melhor Documentário de 2007 pela UNEAC (União dos escritores e artistas de Cuba) com “Adios a Cuba”, Melhor Curta Documentário pela ABD no É Tudo Verdade de 2010 com “Hoje tem alegria”, destaque também para “Pátria” de 2013, na programação da ESPN Brasil, além do prêmio de Melhor Curta-metragem no Festival de Toulouse de 2009 com a ficção em 35mm “Atlântico”.

logo_residenciabase.png
2ª EDIÇÃO  5 a 11 de AGOSTO  www.residenciabase.com

2ª EDIÇÃO

5 a 11 de AGOSTO

www.residenciabase.com

Filmagens de 'SEMENTES DO AMANHÃ'

FILMAGENS DE “SEMENTES DO AMANHÔ CHEGAM AO LITORAL PAULISTA

Série documental aborda os alimentos brasileiros que correm risco de extinção

sementesdoamanha_rel.png

Não são apenas os animais que correm risco de extinção, muitos alimentos também, como o buriti, a castanha do Brasil, a baunilha do cerrado, a tainha, entre outros. A série documental “SEMENTES DO AMANHÔ tem o objetivo de resgatar a história dessas espécies alimentícias brasileiras, por meio de um olhar contemporâneo, mostrando a teia de relações humanas e ambientais que há por trás da sua cadeia produtiva.  

Com 13 episódios que mostram um panorama geral de cada item nas comunidades onde são produzidos, a série apresentada por Nanda Barreto investiga a origem da extinção e guia o telespectador na descoberta da biodiversidade brasileira. Com isso, pretende provocar a conscientização das pessoas e buscar caminhos para a preservação das culturas alimentares e humanas, numa perspectiva de sustentabilidade.   

A equipe de campo neste final de semana à cidade de Cananeia, litoral de São Paulo, onde permanece até a próxima quarta-feira (29/5), para as gravações do 11º episódio, sobre a ostra cananeia. Na Reserva Mandira, Nanda Barreto conversará com os extrativistas do mangue a respeito de seu trabalho nos viveiros, uma alternativa de renda para o período do defeso, além de conhecer suas estratégias de conservação das ostras jovens.  

As filmagens de “SEMENTES DO AMANHÔ começaram em outubro de 2018, percorrendo diversas cidades brasileiras, nas cinco regiões do País. Antes de chegar a São Paulo, a equipe esteve no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, gravando o episódio sobre o pinhão, e depois segue para a região de Ilhéus, na Bahia, onde investigarão o cacau.   

SEMENTES DO AMANHÔ é uma realização da Okna Produções e da TerraMar Imagens e será exibida no Canal Futura ainda em 2019. A equipe de campo é composta por Nanda Barreto (apresentadora), Alan Mendonça (diretor e roteirista), Marcelo Curia (cinegrafista e fotógrafo), Anderson Astor (diretor de produção), Lara Ely (pesquisa e reportagem para Globo Rural) e Raysa Fitsch (captação de som). Ainda no time estão Aleteia Selonk e Marlise Aude, responsáveis pela produção executiva, Veco Marques (trilha sonora), Roberto Coutinho (som) e Jonatas Rupert (montagem).   

SOBRE A OKNA  

Criada em 2006 pela produtora Aleteia Selonk, a OKNA é uma produtora de conteúdo dedicada à realização de produtos audiovisuais para televisão e cinema. Especializada na produção e produção executiva de longas, curtas e médias-metragens de ficção e documentário, além de programas para televisão, a Okna realiza o gerenciamento não apenas de projetos, mas também de talentos criativos.   

Em seu catálogo constam seis longas-metragens, 14 médias, 20 curtas e três séries de TV. Juntos, seus filmes já participaram de mais de 200 festivais internacionais e arrebataram mais de 70 prêmios.  

Entre as suas produções, mais recentes para o cinema destacam-se os longas de ficção, Mulher do Pai (direção Cristiane Oliveira) - vencedor de melhor direção, melhor fotografia e atriz coadjuvante no Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro, indicado à melhor filme no Generation 14plus do Festival Internacional de Cinema de Berlin - e Ponto Zero (direção de José Pedro Goulart) premiado com melhor roteiro, ator e filme no IFAB (international Film Awards Berlin) além da animação infantil  “As aventuras do Avião Vermelho”(direção Frederico Pinto e José Maia). Em 2018 garvou o novo longa de Cristiane Oliveira, “A primeira morte de Joana”, que deverá ser finalizado ainda em 2019 e tem estreia prevista para o começo de 2020. 

Para televisão a OKNA produziu recentemente a série de documentário “As Fronteiras do Pensamento” com 8 episódios de 52 minutos, veiculada pelo canal Curta!, a série de ficção “Para que servem os homens” com 4 episódios de 15 minutos, o curta de ficção “Lá no Chá”, exibido pela BoxPrime além do média documentário “A Dimensão Humana” e a série documental “Pensamento Contemporâneo” 4 episódios de 26 minutos, ambos exibidos  pela TVE/RS . Atualmente, além da produção da série “Sementes do Amanhã”, está em fase de finalização da série documentário para a Fashion Tv “Sagrados e Profanos”, que deverá ser exibida em novembro de 2019.  

A Okna se destaca ainda por sua inserção no mercado internacional, conquistada ao longo das inúmeras e concorridas seleções e participações em eventos de mercado, rodadas de negócios e encontros de coprodução, tais como Match Me (Locarno/Suíça), Talent Project Market (Berlim/Alemanha), Produire au Sud (Nantes/França) e Producers Network (Cannes/França).  

2ª edição da RESIDÊNCIA BASE

INSCRIÇÕES PARA SEGUNDA EDIÇÃO DA “RESIDÊNCIA BASE” COMEÇAM EM 3 DE JUNHO

Programa tem como objetivo promover uma imersão criativa para o desenvolvimento de roteiros cinematográficos, dando visibilidade a novos talentos.

residencia.jpg

RESIDÊNCIA BASE surgiu a partir da inspiração dos realizadores Esmir Filho, Mariana Bastos e Thereza Menezes em residências artísticas internacionais. Ao proporcionar uma semana de imersão aos participantes, em um espaço de inspiração e em contato com a natureza, amplia-se a experiência criativa.   

O programa gratuito, que estimula o diálogo entre roteiristas promovendo rodas de conversas e consultoria especializada, tem como objetivo desenvolver roteiros cinematográficos dando oportunidade a novos talentos. Dentre os projetos selecionados para a primeira edição, realizada em 2013, destacam-se “Para Minha Amada Morta”, de Aly Muritiba, e “Pela Janela”, de Caroline Leone.  

As inscrições estão abertas de 3 a 23 de junho, exclusivamente pelo site www.residenciabase.com. Podem participar candidatos de todo o Brasil, que tenha realizado até dois filmes. Além de preencher a ficha de inscrição, é preciso enviar um argumento de longa-metragem de seis a dez páginas. As inscrições são limitadas a 400 projetos, por isso é importante que os interessados se inscrevam nos primeiros dias. Depois da análise dos inscritos por uma comissão julgadora da RESIDÊNCIA BASE, haverá uma segunda etapa de entrevistas e sete projetos – de ficção, documentário ou animação – serão selecionados.   

Nessa segunda edição da RESIDÊNCIA BASE, seis anos após a primeira, Fernando Sapelli se juntou aos realizadores. Eles explicam a motivação em continuar com o programa: “estamos vivendo um momento difícil no audiovisual e acreditamos que iniciativas que fortaleçam a base da cadeia são essenciais para a continuidade dos avanços conquistados. A experiência e resultados da primeira edição confirmam a necessidade dessas iniciativas”.  

Nesta edição, os roteiristas selecionados ficarão hospedados na Pousada Fazenda Maristela (Tremembé), de 5 a 11 de agosto, trabalhando em seus projetos com a consultoria do cineasta Fabio Meira (As Duas Irenes, Bingo). Também receberão convidados como os roteiristas Bráulio Mantovani (Cidade de Deus, Tropa de Elite 2) e Carolina Kotscho (2 Filhos de Francisco, Quebrando o Tabu), que dividirão suas experiências com os participantes.  

RESIDÊNCIA BASE é um programa realizado com patrocínio do UOL e apoio da Pousada Fazenda Maristela.   

Para saber mais sobre a primeira edição: https://vimeo.com/74461065  

SERVIÇO  
2ª edição do programa RESIDÊNCIA BASE   
Inscrições: 3 a 23 de junho  
www.residenciabase.com  
Residência Base: 5 a 11 de agosto  
Local: Fazenda Maristela (Tremembé)  
Consultor: Fabio Meira  
Convidados: Bráulio Mantovani e Carolina Kotscho  
Realizadores: Esmir Filho, Fernando Sapelli, Mariana Bastos e Thereza Menezes  

SOBRE OS REALIZADORES  

Esmir Filho  
Esmir Filho é formado em cinema e fundou a Saliva Shots em 2011. Nela participou da criação e direção geral de diversas obras em vários formatos – videoclipe, televisão, teatro, instalações e cinema. Seu longa “Os Famosos e os Duendes da Morte”, distribuído pela Warner Bros. no Brasil, foi selecionado pelos festivais de Berlim e Locarno e vendido para mais de 5 países, além de ter ganhado o prêmio de melhor filme no Festival do Rio. Seu curta “Alguma Coisa Assim” foi premiado no Festival de Cannes em 2006, enquanto “Saliva” esteve na corrida pela vaga no Oscar de 2008. Em 2016 realizou seu segundo longa com Mariana Bastos, uma coprodução Brasil e Alemanha, também premiada no Festival do Rio. Atualmente prepara-se para lançar “Verlust - Estado de Praia”, seu terceiro longa, uma coprodução Brasil e Uruguai, em conjunto com a Globo Filmes.  

Fernando Sapelli  
Fernando Sapelli é formado em Cinema e Novas Mídias, assim como artes dramáticas, pela Universidade da Califórnia, Santa Barbara. Em Los Angeles trabalhou na produtora Appian Way, do ator Leonardo Di Caprio, e na Sony Pictures Television. Em 2010, Fernando iniciou o projeto People of Change, focado na documentação do trabalho de organizações de impacto, e seus esforços para mudar a sociedade positivamente, em mais de 15 países. Em 2014, fundou a produtora Claraluz Filmes, por meio da qual produziu os longas-metragens "Exodus - De Onde Eu Vim Não Existe Mais" (2016), em coprodução com O2 Filmes, com estreia na Mostra Internacional de São Paulo, e "Alguma Coisa Assim" (2017), com estreia no Festival do Rio, onde recebeu o prêmio de melhor edição. Também já produziu séries de televisão, como "Filosofia Pop (Segunda Temporada)" (2019) e conteúdo seriado para empresas como TAP Airlines e Google.  

Mariana Bastos  
Atualmente trabalha no desenvolvimento de seu segundo longa-metragem, "Raquel 1,1", um suspense bíblico pop produzido pela Claraluz Filmes.   
Escreveu e dirigiu seu primeiro longa-metragem "Alguma Coisa Assim", uma coprodução Brasil - Alemanha, ao lado de Esmir Filho, a partir do curta homônimo premiado no Festival de Cannes.   
Roteirizou e assumiu a Direção Geral da série de doc-reality "Expedição Xingu", para a Rede Globo - Fantástico. Trabalhou para grandes produtoras e emissoras do Brasil como Paranoid BR, Barry Company, Globomedia, Saliva Shots, Rede Globo, GNT, Sony, entre outras.   
Foi roteirista da série "Tudo o que é Sólido Pode Derreter", da TV Cultura. Venceu por duas vezes o concurso de roteiros do Festival Cultura Inglesa, o que lhe permitiu realizar curtas-metragens (“Perto de Qualquer Lugar”, em 2007, e “Sete Anos Depois”, em 2014) premiados em vários festivais nacionais e internacionais.  


É uma das autoras do hit da internet "Tapa na Pantera", com mais de 10 milhões de acessos no Youtube.   

Thereza Menezes  
Dirigiu o curta-metragem documental SABA, juntamente à Gregório Graziosi, que entrou na seleção do Cinefondation da 60a edição do Festival de Cannes. Trabalhou como editora e produtora durante alguns anos até entrar como sócia na produtora Saliva Shots e trabalhar como produtora executiva de diversos projetos, entre eles, os programas de TV, videoclipes e longas-metragens. 


Como produtora executiva, lançou dois longas-metragens – “Eu Nunca”, dirigido por Kauê Telloli, e “Alguma Coisa Assim”, dirigido por Esmir Filho e Mariana Bastos – além de diversos programas de televisão para GNT e SESCTV. 


Atualmente, está em pós-produção de seu terceiro longa-metragem pela Saliva Shots, “Verlust”, dirigido por Esmir Filho, com Andréa Beltrão e Marina Lima.  
Em 2016, juntou-se à Mariana Bastos para montar o Bloco Pagu que hoje é um dos maiores blocos da cidade.  


SOBRE O CONSULTOR  

Fabio Meira  
Roteirista e diretor, Fabio Meira começou no cinema como assistente de Ruy Guerra em "Veneno da Madrugada" de 2004. “As Duas Irenes”, seu primeiro longa como diretor, estreou no Festival de Berlim e recebeu quatro Kikitos no Festival de Gramado, entre eles o de Melhor Roteiro e Melhor Filme pela crítica. Fabio tem especialização em roteiro na ESCAC em Barcelona e é Mestre pela Universidade de São Paulo. Como professor atuou em instituições como Escola de Cinema e Vídeo de Santo André, Inspiratorium, Academia Internacional de Cinema, além da rede Sesc e da Escola Internacional de Cinema de Cuba. Foi líder de um Núcleo Criativo e consultor de roteiro para eventos do Festival Latino de SP e para o Laboratório Novas Histórias. 


Foi também roteirista do documentário cubano “The Illusion” (2009), premiado na Berlinale e nos Festivais de Chicago e Havana, e do longa “De Menor”, de Caru Alves de Souza, Melhor Filme no Festival do Rio de 2013. Trabalhou no roteiro de “Bingo, o rei das manhãs”, de Daniel Rezende, escolhido como o representante brasileiro para vagas no Oscar e nos prêmios Goya. Também atuou em roteiros para Marcelo Lordello, Sérgio Machado, René Sampaio, Marcelo Gomes e Karim Aïnouz. 


Entre curtas e médias-metragens, Fabio Meira realizou nove filmes. Recebeu prêmio de Melhor Documentário de 2007 pela UNEAC (União dos escritores e artistas de Cuba) com “Adios a Cuba”, Melhor Curta Documentário pela ABD no É Tudo Verdade de 2010 com “Hoje tem alegria”, destaque também para “Pátria” de 2013, na programação da ESPN Brasil, além do prêmio de Melhor Curta-metragem no Festival de Toulouse de 2009 com a ficção em 35mm “Atlântico”.   

logo_residenciabase.png
 
‘THE LIGHTHOUSE’ é eleito pela crítica o melhor filme da Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes

Longa de Robert Eggers, com Willem Dafoe e Robert Pattinson, é uma produção da RT Features, New Regency e A24.  

Rodrigo Teixeira e Paolo Moretti.jpeg

A FIPRESCI – Federação Internacional de Críticos de Cinema elegeu THE LIGHTHOUSE como o melhor filme da Quinzena dos Realizadores exibido no 72º Festival de Cannes, evento que termina hoje (25/5). O longa é produzido pela RT Features, do brasileiro Rodrigo Teixeira, em parceria com a New Regency e a A24.  

Sob a direção de Robert Eggers, do aclamado A Bruxa, e protagonizado por Willem Dafoe e Robert Pattinson, o filme, exibido na Quinzena dos Realizadores, arrancou elogios do público e da crítica especializada. Para o Hollywood Reporter, “Eggers confirma sua reputação como um mestre do New England Gothic nesse segundo longa claustrofóbico”. Já o Guardian afirmou que “pouquíssimos filmes conseguem deixar você assustado e excitado ao mesmo tempo”.  

Rodrigo Teixeira fala sobre a produção de THE LIGHTHOUSE: “Foi um processo incrível, algo que nunca havia vivenciado, Robert Eggers é um diretor visionário, com o qual tenho muito orgulho de trabalhar novamente. Preciso agradecer a toda equipe da RT, Lourenço Sant’Anna, também produtor do filme, que ficou ao meu lado desde o começo e à New Regency e A24, por acreditarem e investirem nesse filme. Obrigado aos brilhantes atores Willem Dafoe e Robert Pattinson, estamos todos muito felizes”.  

Além de THE LIGHTHOUSE, a RT Features teve mais dois filmes selecionados para esta edição do Festival de Cannes: A VIDA INVISÍVEL DE EURÍDICE GUSMÃO, de Karin Aïnouz, com Fernanda Montenegro, Carol Duarte, Júlia Stockler e Gregório Duvivier, e PORT AUTHORITY, de Danielle Lessovitz e produzido em parceria com Martin Scorsese. 


...  

Sinopse “The Lighthouse”  

De Robert Eggers, mesmo diretor visionário da obra prima moderna de terror, A Bruxa, chega este conto hipnótico e alucinante de dois guardas de farol em uma remota ilha na Nova Inglaterra nos idos de 1890.   

Sinopse “A Vida Invisível de Eurídice Gusmão”  

Rio de Janeiro, 1950. Eurídice, 18, e Guida, 20, são duas irmãs inseparáveis. Ambas têm um sonho: uma, se tornar uma pianista profissional; a outra, encontrar o amor verdadeiro. As duas são separadas pelo pai e forçadas a viver distantes. Sozinhas, elas irão tomar as rédeas dos seus destinos, enquanto nunca desistem da esperança de se reencontrar.  

Sinopse “Port Authority”  

Nos degraus da estação central de ônibus de Nova York, Port Authority, uma garota chamada Wye dança vogue com seus irmãos. Paul, um jovem recém-chegado em NY, observa-a fascinado pela sua beleza. Assim que a procura, um amor intenso floresce entre eles.   
Wye apresenta-o para a comunidade de baile KIKI, uma subcultura LGBTQ underground e para sua casa, uma família escolhida por ela mesma. Mas quando Paul percebe que Wye é transexual, ele é forçado a confrontar seus sentimentos por ela e pelas forças sociais que buscam romper seus laços.  

SOBRE A RT FEATURES       

Fundada e dirigida por Rodrigo Teixeira, a RT Features é uma produtora nacional e internacional de conteúdo cultural e entretenimento para cinema e televisão, com base em São Paulo, Brasil, e escritório em Nova York, nos EUA. Dentre outras produções, seu currículo conta com os longas-metragens O Cheiro do Ralo (2006), O Abismo Prateado (2010), Tim Maia (2014), Alemão (2014), O Silêncio do Céu (2016) e a série O Hipnotizador (para a HBO Latin America em 2015).  

No mercado internacional, a RT Features produziu os longas Frances Ha (2013), O amor é estranho (2014), Love (2015), Mistress America (2015), A Bruxa (2016), Patti Cake$ (2017) e Me chame pelo seu nome (2017), indicado ao Oscar em quatro categorias tendo sido vencedor por Melhor Roteiro Adaptado. Em 2018, entre outros filmes, a RT Features produziu o novo filme de James Gray, Ad Astra, e no Brasil o longa-metragem A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, de Karim Aïnouz, ambos com previsão de estreia em 2019.       

Dedicada a trabalhar com jovens e talentosos diretores desde a sua criação, a RT Features formou uma joint venture com a Sikelia Productions, de Martin Scorsese, com o objetivo de produzir filmes de cineastas emergentes em todo o mundo. O primeiro longa-metragem desta parceria, A Ciambra, estreou na Quinzena dos Realizadores em 2017, e o segundo filme, Port Authority, teve estreia mundial na mostra oficial Un Certain Regard do Festival de Cannes. 

 
RT Features tem 3 filmes selecionados para o Festival de Cannes 2019

Novo longa de Karin Aïnouz, A VIDA INVISÍVEL DE EURÍDICE GUSMÃO, e duas produções norte-americanas, THE LIGHTHOUSE e PORT AUTHORITY, terão estreia mundial no evento 

unnamed (4).jpg

A produtora RT Features, do brasileiro Rodrigo Teixeira, tem três filmes selecionados para a 72ª edição do Festival de Cannes, que acontece de 14 a 25 de maio.   

Hoje foi anunciado em Paris a seleção da Quinzena dos Realizadores, na qual está o filme THE LIGHTHOUSE, de Robert Eggers, diretor do aclamado A Bruxa. Uma produção da RT Features, New Regency e A24, e traz no elenco Willem Dafoe e Robert Pattinson.  

Rodrigo Teixeira fala sobre o filme: “A produção de THE LIGHTHOUSE foi um processo incrível, algo que nunca havia vivenciado, Robert Eggers é um diretor visionário, com o qual tenho muito orgulho de trabalhar novamente. Preciso agradecer a toda equipe da RT, Lourenço Sant’Anna, também produtor do filme, que ficou ao meu lado desde o começo e à New Regency e A24, por acreditarem e investirem nesse filme. Obrigado aos brilhantes atores Willem Dafoe e Robert Pattinson, estamos todos muito felizes”.   

Já na Seleção Oficial, anunciado na última semana, está o novo longa de Karim Aïnouz, A VIDA INVISÍVEL DE EURÍDICE GUSMÃO, produção da RT Features em parceria com a alemã The Match Factory, com Fernanda Montenegro, Carol Duarte, Júlia Stockler e Gregório Duvivier, que será exibido na competição oficial Un Certain Regard.  

Também na mesma competição, PORT AUTHORITY, da diretora Danielle Lessovitz. Rodado em Nova York, o longa acompanha a história de amor entre Paul e Wye, uma mulher transexual, que leva Paul a confrontar seus preconceitos e as imposições sociais. O filme faz parte da parceria que a produtora formou com a empresa de Martin Scorsese, Sikelia Productions, projeto que pela segunda vez tem um filme sendo lançado durante o festival francês.   

...  

Sinopse “The Lighthouse”  
De Robert Eggers, mesmo diretor visionário da obra prima moderna de terror, A Bruxa, chega este conto hipnótico e alucinante de dois guardas de farol em uma remota ilha na Nova Inglaterra nos idos de 1890.   

Sinopse “A Vida Invisível de Eurídice Gusmão”  
Rio de Janeiro, 1950. Eurídice, 18, e Guida, 20, são duas irmãs inseparáveis. Ambas têm um sonho: uma, se tornar uma pianista profissional; a outra, encontrar o amor verdadeiro. As duas são separadas pelo pai e forçadas a viver distantes. Sozinhas, elas irão tomar as rédeas dos seus destinos, enquanto nunca desistem da esperança de se reencontrar.  

Sinopse “Port Authority”  
Nos degraus da estação central de ônibus de Nova York, Port Authority, uma garota chamada Wye dança vogue com seus irmãos. Paul, um jovem recém-chegado em NY, observa-a fascinado pela sua beleza. Assim que a procura, um amor intenso floresce entre eles.   
Wye apresenta-o para a comunidade de baile KIKI, uma subcultura LGBTQ underground e para sua casa, uma família escolhida por ela mesma. Mas quando Paul percebe que Wye é transexual, ele é forçado a confrontar seus sentimentos por ela e pelas forças sociais que buscam romper seus laços.  

SOBRE A RT FEATURES        
     
Fundada e dirigida por Rodrigo Teixeira, a RT Features é uma produtora nacional e internacional de conteúdo cultural e entretenimento para cinema e televisão, com base em São Paulo, Brasil, e escritório em Nova York, nos EUA. Dentre outras produções, seu currículo conta com os longas-metragens O Cheiro do Ralo (2006), O Abismo Prateado (2010), Tim Maia (2014), Alemão (2014), O Silêncio do Céu (2016) e a série O Hipnotizador (para a HBO Latin America em 2015).   
     
No mercado internacional, a RT Features produziu os longas Frances Ha (2013), O amor é estranho (2014), Love (2015), Mistress America (2015), A Bruxa (2016), Patti Cake$ (2017) e Me chame pelo seu nome (2017), indicado ao Oscar em quatro categorias tendo sido vencedor por Melhor Roteiro Adaptado. Em 2018, entre outros filmes, a RT Features produziu o novo filme de James Gray, Ad Astra, e no Brasil o longa-metragem A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, de Karim Aïnouz, ambos com previsão de estreia em 2019.        
     
Dedicada a trabalhar com jovens e talentosos diretores desde a sua criação, a RT Features formou uma joint venture com a Sikelia Productions, de Martin Scorsese, com o objetivo de produzir filmes de cineastas emergentes em todo o mundo. O primeiro longa-metragem desta parceria, A Ciambra, estreou na Quinzena dos Realizadores em 2017, e o segundo filme, Port Authority, acaba de ser selecionado para o Festival de Cannes, onde terá estreia mundial na mostra oficial Un Certain Regard.  

 
A PRIMEIRA MORTE DE JOANA, novo longa de Cristiane Oliveira começa a ser rodado no Rio Grande do Sul

NOVO LONGA DE CRISTIANE OLIVEIRA COMEÇA A SER RODADO NO RIO GRANDE DO SUL


A PRIMEIRA MORTE DE JOANA é o segundo longa da diretora que fortalece sua parceira com a Okna Produções

apmdj_okna.png

Começaram as filmagens de A PRIMEIRA MORTE DE JOANA, segundo longa-metragem da premiada cineasta gaúcha Cristiane Oliveira. Com produção de Aletéia Selonk, o filme é a mais nova realização da Okna Produções. Os trabalhos acontecem em diversas locações na cidade de Osório e arredores, no Rio Grande do Sul.
 
A PRIMEIRA MORTE DE JOANA faz um mergulho, com tons fantásticos, no universo de uma menina de 12 anos. Joana vive os questionamentos típicos do início da adolescência. Enquanto ela experimenta essa fase de transições e descobertas, uma grande usina eólica é construída na pacata cidade em que vive, em meio às lagoas do sul do Brasil.
 
Uma equipe com 40 profissionais está sediada em Osório, cidade escolhida em razão das belas paisagens que possui, como lagoas, morros e o entorno do seu parque eólico. O longa será filmado em cinco semanas entre novembro e dezembro em locais como a Rua Coberta, a escola Rural e lagoas da região.
 
O elenco principal é formado por novos talentos como as atrizes Letícia Kacperski e Isabela Jardim, que atuam pela primeira vez num filme, além de jovens como Joana Vieira, Pedro Nambuco, Graciela Caputti, Kaya Rodrigues e de atores mais experientes como Janaina Kramer, Roberto Oliveira, Lisa Becker, Rosa Campos Velho e Emílio Speck.
 
Na equipe técnica, formada majoritariamente por profissionais gaúchos, destaque para o diretor de fotografia Bruno Polidoro, a diretora de arte Adriana Borba e a diretora de produção Gina O'Donnell, que divide a produção executiva com Graziella Ferst. Eles se juntam aos profissionais de diferentes estados e mesmo de outros países (casos do técnico de som uruguaio Raúl Locatelli e da maquiadora argentina Nancy Marignac), trazendo uma excelente troca de experiência e diversidade de olhares ao projeto.
 
Em 2014, o projeto A PRIMEIRA MORTE DE JOANA foi contemplado no edital de desenvolvimento PRODAV 05/2013, do Fundo Setorial do Audiovisual. Com o investimento do FSA, o projeto ganhou consistência e parceiros que qualificaram a proposta idealizada. O roteiro foi elaborado em parceria com a corroteirista e atriz Silvia Lourenço, de O Homem das Multidões e Contra Todos, e contou com a consultoria de roteiro do cineasta português João Nicolau (diretor de John From e A Espada e a Rosa) e do argentino Gualberto Ferrari (consultor do recente sucesso espanhol Verão 1993). Como resultado desta fase de desenvolvimento, em maio de 2017, o projeto foi contemplado no edital do BNDES para produção de longas que priorizam o reconhecimento artístico e técnico no mercado internacional. Em julho deste ano, foi um dos projetos contemplados no FAMA – Fundo Avon de Mulheres no Audiovisual, prêmio que busca incentivar e valorizar a produção audiovisual feita por mulheres. O projeto tem ainda o selo do Co-production Market, evento com foco em mercado que ocorreu no Festival de Berlin 2018 e selecionou APRIMEIRA MORTE DE JOANA dentre mais de 300 projetos do mundo todo. Na ocasião, a produtora Aletéia Selonk teve a chance de se reunir com potenciais parceiros internacionais e receber consultorias de profissionais especializados.
 
Cristiane Oliveira estreou em longa-metragem com Mulher do Pai (2016), também produzido pela Okna. Uma coprodução Brasil-Uruguai, o filme estreou internacionalmente no Festival de Berlim, em 2017, e arrebatou 19 prêmios em festivais no Brasil e no exterior – entre eles o de melhor direção no Festival do Rio, o prêmio da FIPRESCI no Festival Internacional do Uruguai e o de melhor roteiro no Cinema Jove, na Espanha.
 
A Okna Produções tem 12 anos de atuação e está sediada em Porto Alegre. É uma das produtoras audiovisuais mais ativas da região Sul do Brasil e, entre suas produções mais recentes, além do Mulher do Pai, figuram o longa de animação para o público infantil As Aventuras do Avião Vermelho (dirigido por Frederico Pinto e José Maia) e o longa de ficção Ponto Zero (dirigido por José Pedro Goulart).
 
Ficha Técnica

A PRIMEIRA MORTE DE JOANA
Direção: Cristiane Oliveira
Roteiro: Cristiane Oliveira e Silvia Lourenço
Elenco: Letícia Kacperski, Isabela Jardim, Joana Vieira, Pedro Nambuco, Janaina Kramer, Roberto Oliveira, Lisa Becker, Rosa Campos Velho e Emílio Speck.
Fotografia: Bruno Polidoro
Direção de arte: Adriana Borba
Técnico de Som: Raul Locatelli
Montagem: Tula Anagnostopoulos
Produção Executiva: Graziella Ferst, Gina O’Donnell
Produção: Aletéia Selonk
Produtora: Okna Produções
 
Sobre a diretora Cristiane Oliveira:
Nascida em Porto Alegre, Cristiane Oliveira estreou na direção com o curta de ficção “Messalina” (2004), exibido na competição dos Festivais do Rio, Gramado e Brasília. Nesses últimos, o filmeganhou o Kikito de Prêmio Especial do Júri e os Candangos de Melhor Roteiro e Atriz. Ele recebeu outros dez prêmios em mais de 20 festivais mundo afora. Desde então Cristiane dirigiu mais dois curtas (“Hóspedes”, 2008, e “Portualleria”, 2007) e atuou como assistente de direção, roteirista (como do longa “Nove Crônicas para um Coração aos Berros”, de Gustavo Galvão, premiado pelo júri da FIPRESCI no Festival Internacional do Uruguai) e produtora (como do longa “Ainda Orangotangos”, de Gustavo Spolidoro, Melhor Filme no Festival de Milão).
O primeiro longa de Cristiane, “Mulher do Pai” conquistou os prêmios VFF Talent Highlight Pitch Award (no Talent Project Market do Festival de Berlim) e Santander Cultural/APTC/Prefeitura de Porto Alegre para desenvolvimento de projeto; e foi selecionado na oficina Produire au Sud, do Festival 3 Continentes (Nantes, França). Realizado em coprodução com o Uruguai, ganhou ao todo 16 prêmios e foi selecionado para 19 festivais nacionais e internacionais.
Após este processo de amadurecimento como roteirista e diretora, Cristiane foi uma das selecionadas para o Talents, oficina de capacitação do Festival de Berlim 2017. Atualmente, está em fase de filmagens do seu segundo longa, A PRIMEIRA MORTE DE JOANA, e já começa um terceiro projeto com a Okna, ATÉ QUE A MÚSICA PARE - que ganhou o Edital Brasil-Itália para Desenvolvimento (Ancine/DGC) e já tem coprodução firmada com Itália e Alemanha.
 
Aletéia Selonk - Produtora 
Aletéia é produtora e diretora da Okna Produções. Jornalista, graduada pela Universidade Estadual de Londrina, e pós-graduada em Produção Audiovisual pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Doutora em Comunicação Social pela PUCRS, com passagem pela Sorbonne (Paris V – Université René Descartes), foca suas pesquisas na área cinematográfica, em especial nos temas da produção, distribuição audiovisual e ecossistemas criativos. Atua no setor audiovisual desde 1995 e a partir de 2001 iniciou sua carreira como produtora executiva e produtora. Fundou a Okna Produções em 2006, que hoje é uma das empresas mais atuantes da região Sul do Brasil. Professora de produção no Curso Superior de Tecnologia de Produção Audiovisual, na PUCRS, desde 2005, atualmente também coordena o projeto Tecna - Centro Tecnológico Audiovisual do RS.
 
Sobre a Okna
A Okna Produções é uma produtora de conteúdo dedicada à realização de filmes para cinema e televisão. Especializada na produção e produção executiva de produtos audiovisuais, a Okna realiza o gerenciamento não apenas de projetos, mas também de talentos criativos. Em 2018, a empresa completa doze anos de atuação e se mantém como uma das produtoras mais atuantes do Sul do Brasil. Em seu catálogo constam seis longas-metragens, 22 médias, 20 curtas e três séries de TV. Juntos, seus filmes já arrebataram mais de 250 prêmios em festivais nacionais e internacionais. Entre as suas produções, destacam-se os longas Mulher do Pai (direção de Cristiane Oliviera), Ponto Zero (direção de José Pedro Goulart), e As Aventuras do Avião Vermelho (direção de Frederico Pinto e José Maia).

 
‘MEU ÁLBUM DE AMORES’, de Rafael Gomes, começa a ser rodado em São Paulo

Comédia romântica musical com Gabriel Leone, Carla Salle, Olívia Torres, Regina Braga e Maria Luisa Mendonça terá trilha original composta por Odair José e Arnaldo Antunes

MeuAlbumdeAmores.jpg

Já imaginou levar um pé na bunda e, no mesmo dia, descobrir que seu pai não é o seu pai biológico? Pois bem, é por essa reviravolta que Júlio, vivido por Gabriel Leone, passa no romance musical MEU ÁLBUM DE AMORES, que começou a ser rodada esta semana em São Paulo com Gabriel Leone, Felipe Frazão, Carla Salle, Olívia Torres, Maria Luisa Mendonça, Laila Garin, Lorena Comparato, e um grande elenco.

Dirigido por Rafael Gomes (Música Para cortar os Pulsos), com produção da Biônica Filmes, o longa conta de maneira bem-humorada a história de Júlio (Gabriel Leone), um dentista sensível e apaixonado que vive uma vida protegida e controlada, morando com sua mãe, e está prestes a dar um grande passo rumo à maturidade: comprar um apartamento com Alice (Carla Salle), a mulher que ele namora desde os 18 anos. Mas Alice revela não estar preparada para tudo isso e dá um fim a relação.

Abatido, Júlio é surpreendido por uma segunda notícia bombástica: seu pai não é quem ele sempre pensou que fosse. No lugar de Maurício, um dentista sério e bem-sucedido, entra Odilon Ricardo , um famoso cantor brega dos anos 70. Este pai, que Júlio nunca soube que teve, acaba de falecer. E lhe deixou de herança a casa onde sempre viveu, um forte DNA musical que Júlio nunca soube que tinha e, principalmente, um irmão que é em tudo diferente dele, Felipe (Felipe Frazão). Assim, Júlio terá que sair da sua zona de conforto, investigar o passado do pai e enfrentar uma série de mudanças inesperadas em sua vida, redescobrindo a si mesmo e reinventando o caminho de seu próprio amadurecimento.

É um filme de sentimentos concretos e reais - os problemas do protagonista são verdadeiros e pungentes. Mas é também uma comédia romântica. Não uma comédia romântica ligeira, mas uma comédia romântica que busca algumas profundidades, assim como as músicas de amor. É sobre expansão de mundo, concreta e emocionalmente. Sobre abandonar a ideia de controle sobre o futuro para entregar-se às surpresas do presente. É sobre os conflitos da pós-adolescência e a desconstrução de um conceito de masculinidade secularmente construído, através do cruzamento do protagonista com diferentes aspectos do feminino. É sobre a busca pelas origens genealógicas, incluindo o parentesco por afeto e adoção. E é, por fim, sobre a transformação da vida em criação artística – no caso, a música – explica o diretor.
 
E num filme em que a música é protagonista, dois grandes nomes da música brasileira assinarão a trilha sonora original: Odair José e Arnaldo Antunes. “Eu admiro a obra do Arnaldo e do Odair há anos. Com o Arnaldo eu já havia realizado alguns trabalhos, como a direção de um videoclipe, e tido outros contatos em parcerias de diferentes naturezas. Na ideia desse filme sempre existiu o universo musical dos anos 70 como referência, e o Arnaldo me pareceu o cara ideal para fazer essa releitura e compor essas músicas. Eis que ele próprio sugeriu que a gente fosse na essência e convidasse Odair José para a empreitada. E era tão óbvio e perfeito que eu não me conformava de não ter pensado nisso antes”, completa Gomes.

MEU ÁLBUM DE AMORES é o terceiro longa do diretor Rafael Gomes, que já tem dois filmes em finalização com previsão de estreia em 2019. A direção de fotografia é de Jacob Solitrenick, a direção de arte é de Glauce Queiroz, direção musical de Marcus Preto e Pupillo (Nação Zumbi). A Distribuição é da Pandora Filmes.


FICHA TECNICA

Roteiro: Luna Grimberg, Rafael Gomes e Vinicius Calderoni
Músicas Originais: Arnaldo Antunes e Odair José.
Direção: Rafael Gomes
Produção:  Bianca Villar, Fernando Fraiha e Karen Castanho
Produção Executiva: Bianca Villar
Direção de Fotografia: Jacob Solitrenick
Direção de arte: Glauce Queiroz
Figurino: Yuri Kobayashi
Maquiagem: Gabriela Guimarães
 

Sobre o diretor

Atua há mais de uma década como roteirista, dramaturgo e diretor de cinema, televisão e  teatro. Roteirizou e dirigiu Tapa Na Pantera, fenômeno de público na internet, com milhões de  visualizações.  Como roteirista, assinou os filmes “De Onde Eu Te Vejo” (2016) e “Depois dos 40” (2019). Em 2017, escreveu e dirigiu “45 Dias Sem Você”, seu primeiro longa-metragem, filmado em cinco diferentes países. Em 2018, filmou o drama romântico “Música Para Cortar Os Pulsos”. Criou, roteirizou e dirigiu a série infanto-juvenil “Tudo O Que É Sólido Pode Derreter” (2009), colaborou nas séries “Família Imperial” (2012) e “Louco Por Elas” (2012-2013), e foi criador e roteirista-chefe das séries “3 Teresas” (2013-2014) e “Vizinhos” (2015). No teatro, destacou-se junto ao público e a crítica, ganhando alguns dos principais prêmios do país com suas últimas montagens (Um Bonde Chamado Desejo, Gota D’Água a Seco, Os Arqueólogos). Na seara musical, criou e dirigiu o projeto virtual Música de Bolso, com mais de 360 vídeos de artistas como Vanessa da Mata, Zélia Duncan, Arnaldo Antunes e Marcelo Camelo, e trabalhou com direção de videoclipes, shows e DVDs.


Sobre a Biônica Filmes 

A Biônica Filmes foi fundada em 2012 por Bianca Villar, Karen Castanho e Fernando Fraiha.  Produziu a série para a HBO: “PSI” indicada ao Emmy Awards 2015 na categoria “Melhor Série Dramática”; e os longas: “Os Homens São De Marte... E é Pra Lá Que Eu Vou!” (2014) de Marcus Baldini, visto por mais de 1,8 milhão de espectadores e ganhador do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em 2015 na categoria “Melhor Comédia”; “Reza a Lenda” (2016), de Homero Olivetto, uma das 5 maiores bilheterias de 2016 e ganhador do Prêmio Especial do Júri no Tallin Black Nights 2016; “TOC – Transtornada, Obsessiva, Compulsiva” (2017) de Paulinho Caruso e Teo Poppovic, selecionado para o South by Southwest (SXSW) 2018.

No ano de 2017 foram lançados dois longas em que a Biônica é produtora associada: o documentário “Divinas Divas” de Leandra Leal, vencedor do Prêmio do Púbico – Global no South by Southwest (SXSW) 2017 e a comédia “La Vingança” de Fernando Fraiha, uma coprodução Brasil – Argentina vencedora do prêmio de Diretor Estreante do Brooklin Film Festival 2017.
Em 2018, três longas serão rodados pela Biônica Filmes: “Turma da Mônica -Laços” de Daniel Rezende, o primeiro live action baseado nas histórias da Turma da Mônica, “Eu Não Sou Cachorro, Não” de Rafael Gomes, uma comédia romântica musical com trilha original assinada por Arnaldo Antunes; e “Pedro” de Laís Bodanzky, uma coprodução Brasil-Portugal que contará a história de Dom Pedro I.

Em 2019 a produtora vai produzir “Rita Lee, uma autobiografia” (um longa-metragem de ficção e um documentário).


Sobre a Pandora Filmes

A Pandora Filmes é uma distribuidora de filmes de arte, ativa no Brasil desde 1989. Voltada especialmente para o cinema de autor, a distribuidora buscou, desde sua origem, ampliar os horizontes da distribuição de filmes de arte no Brasil com relançamentos de clássicos memoráveis em cópias restauradas, de diretores como Fellini, Bergman e Billy Wilder, e revelações de nomes outrora desconhecidos no país, como Wong Kar-Wai, Atom Egoyan e Agnés Jaoui.

Paralelamente aos filmes internacionais, a Pandora Filmes sempre reserva espaço especial para o cinema brasileiro, lançando obras de diretores renomados e também de novos talentos. Dentro desse segmento, destaca-se o recente “Que Horas Ela Volta”, de Anna Muylaert, um grande sucesso, visto no cinema por mais de 500 mil espectadores.

 
Álbum de Bob Dylan, ‘BLOOD ON THE TRACKS”, ganhará versão cinematográfica

ÁLBUM DE BOB DYLAN, ‘BLOOD ON THE TRACKS”, GANHARÁ VERSÃO CINEMATOGRÁFICA PRODUZIDA POR RODRIGO TEIXEIRA E DIRIGIDA POR LUCA GUADAGNINO

rt_LUCA_BOBDYLAN.jpg

Depois do sucesso da parceria em “Me Chame Pelo Seu Nome”, Rodrigo Teixeira, da RT Features, e o diretor Luca Guadagnino já têm novo projeto juntos. A dupla produzirá o longa inspirado no álbum do astro Bob Dylan, “Blood on the Tracks” (1975), eleito um dos melhores trabalhos do artista. Richard LaGravenese é o responsável pelo roteiro, que é baseado numa ideia de Rodrigo.

Dar vida a este projeto está sendo um sonho pra mim. Há muito tempo estamos trabalhando para encontrar a maneira certa de contar essa história e ter colaboradores como o Luca e o Richard é um verdadeiro privilégio – comemora Teixeira.

Este é o segundo longa de Rodrigo Teixeira em parceria com o diretor Luca Guadagnino. Em 2018, a dupla lançou o longa “Me Chame Pelo Seu Nome”, que levou o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado e foi indicado ainda nas categorias Melhor Filme, Melhor Ator e Melhor Canção.


SOBRE A RT FEATURES
 
Fundada e dirigida por Rodrigo Teixeira, a RT Features é uma produtora nacional e internacional de conteúdo cultural e entretenimento para cinema e televisão, com base em São Paulo, Brasil. Dentre outras produções, seu currículo conta com os longas-metragens O Cheiro do Ralo (2006), O Abismo Prateado (2010), Tim Maia (2014), Alemão (2014), O Silêncio do Céu (2016) e a série O Hipnotizador (para a HBO Latin America em 2015).
 
No mercado internacional, a RT Features produziu os longas Frances Ha (2013), Love is Strange (2014), Love (2015), Mistress America (2015) e o recente sucesso mundial indie A Bruxa (2016), entre outros. Em 2017, a RT Features estreou as produções internacionais Patti Cake$ e Call Me By Your Name no Festival de Sundance. Para o mesmo ano, a RT Features irá produzir o novo filme de James Gray, Ad Astra, e no Brasil os longas-metragens A Vida Invisível, de Karim Ainouz, e Barba Ensopada de Sangue, de Aly Muritiba.
 
Dedicada a trabalhar com jovens e talentosos diretores desde a sua criação, a RT Features formou uma joint venture com a Sikelia Productions, de Martin Scorsese, com o objetivo de produzir filmes de cineastas emergentes em todo o mundo. O primeiro longa-metragem desta parceria, A Ciambra, estreou na última edição da Quinzena dos Realizadores.

 
‘O BARULHO DA NOITE’ começa a ser rodado no Tocantins

DIRIGIDO POR EVA PEREIRA, ‘O BARULHO DA NOITE’ COMEÇA A SER RODADO NO TOCANTINS

Produzido pela MZN Filmes em coprodução com a Bananeira Filmes, de Vania Catani, o filme é estrelado por Marcos Palmeira e Emanuelle Araújo

Foto: Emerson Silva

Foto: Emerson Silva

O BARULHO DA NOITE”, dirigido por Eva Pereira e com produção da MZN Filmes, em coprodução com a Bananeira Filmes, começou a ser filmado esta semana no Tocantins. Estrelado por Marcos Palmeira, Emanuelle Araújo, Alice Santana, Ana Alice Dias, Mercês Campelo e Wetemberg Nunes, o filme conta o drama de Maria Luíza, uma menina de sete anos que é a primeira a perceber que sua família está por um fio quando descobre que a mãe está apaixonada pelo sobrinho.

Após sete anos de pesquisa, o filme coloca os holofotes nas crianças, para falar sobre abuso infantil, um tema difícil e espinhoso. “Apesar de recentemente começar a ser discutido de forma mais calorosa nas redes sociais e na mídia, no dia a dia, esse tema continua velado, pairando como uma sombra de um mal recorrente em universos distintos, extrapolando privilégios econômicos, sociais e culturais”, diz a diretora.

Em “O BARULHO DA NOITE” o olhar de Maria Luíza é o esconderijo de tudo que ela cala, da dor silenciada, da denúncia, do pedido mudo de socorro contra os abusos que sofre, dos seus anseios e medos. Após o avanço de três anos no tempo, Maria Luíza perderá brutalmente sua inocência, e o olhar de Ritinha, a irmã mais nova e sua cúmplice na história.

Sobre a dolorosa e extensa pesquisa para o filme, Eva Pereira, completa: “foi possível identificar logo no início das pesquisas que fizemos para o filme, mais de um elo entre todas as vítimas. Além da violência sofrida, compartilhavam o silêncio absoluto. É como se ele fosse parte do ritual. Ainda, uma assustadora indiferença por parte de algumas mães, fruto da conivência em algumas situações e impotência em outras, em um misto de cumplicidade e dor, que desestrutura, maltrata, e viola”. 

Formam a equipe de “O BARULHO DA NOITE”, o fotografo Fabricio Tadeu, a diretora de arte, Karen Araújo, figurino por Rô Nascimento. O filme é produzido por Márcio Mazaron, Eva Pereira e Vânia Catani, com recursos do Fundo Setorial Prodecine 1, é produzido pela MZN Filmes em coprodução com a Bananeira Filmes, tem previsão de lançamento para 2019,  com distribuição da ArtHouse.


Sinopse:

Maria Luíza, de sete anos, é a filha mais velha do casal Agenor e Sônia. A menina será a primeira a perceber que sua família está por um fio e perderá o riso e a leveza de criança, quando descobrir a paixão da mãe pelo ajudante de roça do pai. Através do seu olhar triste e atento, acompanharemos sua família se desfazer pelo desencontro de sonhos e objetivos do casal e a chegada anunciada de um intruso.


Ficha Técnica:

O BARULHO DA NOITE
Direção e Roteiro: Eva Pereira
Elenco: Emanuelle Araújo, Marcos Palmeira, Patrick Sampaio, Anna Alice Dias, Alícia Santana. Participação Especial: Tonico Pereira, Wertemberg Nunes, Mercês Campelo, Antista do Acordeon, Mayumi Matuoca.
Fotografia: Fabricio Tadeu
Diretora de arte: Karen Araújo
Figurino: Rô Nascimento
Produção: Márcio Mazaron, Eva Pereira e Vânia Catani
Produtoras: MZN filmes em coprodução com Cunhã Porã Filmes e Bananeira Filmes


Sobre a Diretora

Eva Pereira, considerada uma das mais atuantes profissionais do audiovisual Tocantinense e Região Norte. Com 18 anos de experiência no segmento Audiovisual, atuou por 10 anos na área de produção, roteiro e direção de filmes publicitários, institucionais e programas políticos. Em 2000 entrou para equipe de produtores do projeto Cinema BR em Movimento, onde permaneceu por 07 anos trabalhando na difusão de filmes brasileiros e formação de plateia no Tocantins. Em 2007/2008 integrou equipe de produção local da minissérie "ALICE" produzida pela Gullane Filmes e exibida pela HBO,. No mesmo ano, foi premiada no edital de desenvolvimento de roteiros de Longa Metragem do Ministério da Cultura, com o argumento do filme “ O OUTRO LADO”. Em 2010, escreveu e dirigiu o Longa documentário “PEDIDO DE FOLIÃO, em 2011 foi premiada no edital Cacá Diegues Secult-TO com desenvolvimento de roteiro de Longa Metragem “ SONHOS DE AGROVILA”, em 2013 foi premiada novamente no mesmo edital com o argumento do Longa “ACERTO DE CONTAS”, 2014 integrou a produção tocantinense coletiva do Longa Metragem de Ficção “ PALMAS, EU GOSTO DE TU” onde assina roteiro e direção do último episódio, também em 2014 foi premiada no edital de dramaturgia da Funarte, com o texto teatral "SINA&SONHO DE CAMPONESA". Em 2015, para Bioma produções - DF, coordenou a produção do filme institucional” BRASIL, ALIMENTANDO O MUNDO”, que representou o Brasil na EXPO MILÃO 2015, também em 2015, foi contemplada no edital Curta Afirmativo do MINC com o curta “ COTINHA DA VILA” que assina roteiro e direção, e ainda, conseguiu inserir o Tocantins no programa Brasil de Todas as Telas da Ancine, quando nesse mesmo ano, trouxe para o estado o primeiro Prodav 08, sendo contemplada no edital de produção de conteúdos para Tvs Públicas PRODAV/08, com a minissérie de 13 episódios “FELIZ FORCA NOVA " título provisório que cedeu lugar ao título definitivo " O MISTÉRIO DE NHEMYRÕ," em que assina roteiro, direção e terá estreia nacional em mais de 200 canais em Junho de 2018. Em 2017, foi a vez de trazer para o Tocantins o primeiro Prodecine 01, sendo contemplada com o projeto do Longa Metragem “ O BARULHO DA NOITE”, em que assina Roteiro e direção.

Também em 2017, Eva Pereira integrou a coordenação de produção da novela global " O OUTRO L ADO DO PARAÍSO". A empresa EVA P. DA SILVA EIRELI ME (Cunhã Porã Filmes) nasceu da necessidade de sua sócia/proprietária de ampliar sua área de atuação e contribuir de forma mais efusiva e direta com o desenvolvimento do Audiovisual no Tocantins. Por essa razão, empresa já foi constituída em plena atividade e com projetos em execução. De abril a Junho de 2016, fez a produção de casting local do Longa Metragem " O Nome da Morte", produzido pela TV Zero e dirigido por Henrique Goldman, ainda em Novembro de 2016, teve o projeto de uma série sua "À MARGEM DA ESTRADA" selecionada pela TV RECORD nas rodadas de negócios da TELAS FORUM 2016 (Um dos maiores eventos de conteúdos para TV da América latina). Em 2017, teve dois projetos selecionados para as rodadas de negócios do Riocontent. Atualmente, Eva se dedica as produções dos filmes: COTINHA DA VILA e o BARULHO DA NOITE.


MZN FILMES

Há 5 anos no mercado, a MZN Filmes é a mais completa produtora audiovisual independente do Estado do Tocantins, o produtor Márcio Mazaron e seu irmão Diego Mazaron, oferecem produção, pós-produção e criação de conteúdo para Cinema, Publicidade, TV, Branded Content, e Digital. Somos uma equipe de profissionais de Comunicação que compartilha com nossos clientes – Agências, emissoras de TV, clientes privados – nosso conhecimento e vontade de fazer o melhor. Para nós e para quem nos contrata


BANANEIRA FILMES

Criada em 2000 pela produtora Vania Catani, a Bananeira Filmes é uma das mais prestigiadas produtoras de cinema no Brasil, e tem como característica principal o investimento em produções independentes de notória qualidade artística. Somadas, suas produções já foram exibidas em 403 festivais em 48 países e receberam mais de 188 prêmios. Ao longo destes anos, destacam-se A festa da menina morta, de Matheus Nachtergaele, selecionado para a Mostra Un Certain Regard no Festival de Cannes em 2008, e a bem sucedida parceria com o ator e diretor Selton Mello, que começou com Feliz Natal e se repetiu com O Palhaço, que levou mais de 1,5 milhão de pessoas ao cinema e foi escolhido para representar o Brasil na por uma vaga no Oscar® de Melhor Filme Estrangeiro. A última parceria entre diretor e produtora é o longa O filme da minha vida, inspirado na obra Um pai de Cinema do escritor chileno Antônio Skármeta. As suas mais recentes coproduções La playa, El Ardor e Jauja tiveram estreia internacional no Festival de Cannes.

A produtora investiu ainda especialmente na produção delongas de diretores estreantes como Anita Rocha da Silveira, com Mate-me Por Favor (estreia internacional no Festival de Veneza 2016), Redemoinho, de José Luiz Villamarim e Deserto, de Guilherme Weber e Serial Kelly, de Rene Guerra. A coprodução Zama, de Lucrécia Martel, teve sua premiére internacional no Festival de Veneza 2017. Vania Catani iniciou sua carreira no final da década de 80 com o vídeo independente, ao lado de uma nova geração de realizadores que surgiu em Belo Horizonte. Trabalhou como produtora de TV e com o Forumbhzvideo – Festival de Vídeo e Arte Eletrônica, esteve em contato com o melhor da Vídeo-Arte mundial. A partir da segunda metade da década de 90, com a chamada Retomada do Cinema Brasileiro, voltou-se para a produção cinematográfica, sempre mantendo um interesse particular pelo mercado independente. Em 1997, produziu a série de TV Os Nomes do Rosa e o longa Outras Estórias, ambos dirigidos por Pedro Bial. Integra desde 2018 a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. Em 2000, já instalada no Rio de Janeiro, fundou a BANANEIRA FILMES, produtora independente que desenvolve, produz e lança projetos ousados e de grande qualidade artística.

 
Penelope Cruz, Wagner Moura e Gael Garcia Bernal estrelarão longa WASP NETWORK

PENELOPE CRUZ, WAGNER MOURA E GAEL GARCIA BERNAL ESTRELARÃO NOVA PRODUÇÃO DE RODRIGO TEIXEIRA, ‘WASP NETWORK’, DE OLIVIER ASSAYAS

Filme traz também Edgar Ramirez no elenco

wasp.jpg

Rodrigo Teixeira, da RT Features, produzirá o novo filme de Olivier Assayas, “WASP NETWORK’, que traz no elenco as estrelas Penelope Cruz, Gael Garcial Bernal, Wagner Moura e Edgar Ramirez. O drama de espionagem dirigido e roteirizado por Assayas é baseado no livro de Fernando Morais “Os Últimos Soldados da Guerra Fria”, de 2011.


A trama do longa gira em torno da Rede Vespa, um grupo selecionado de agentes secretos criado pelo governo cubano nos anos 80 para se infiltrar em organizações anticastristas, em Miami, nos EUA. Para realizar suas missões, os espiões passarão por aventuras mirabolantes e disfarces perfeitos para tentar fugir do desmascaramento e do processo por parte do governo americano.

Coprodução entre a RT Features e a CG Cinema, o longa começa a ser rodado no primeiro semestre de 2019.

SOBRE A RT FEATURES
 
Fundada e dirigida por Rodrigo Teixeira, a RT Features é uma produtora nacional e internacional de conteúdo cultural e entretenimento para cinema e televisão, com base em São Paulo, Brasil. Dentre outras produções, seu currículo conta com os longas-metragens O Cheiro do Ralo (2006), O Abismo Prateado (2010), Tim Maia (2014), Alemão (2014), O Silêncio do Céu (2016) e a série O Hipnotizador (para a HBO Latin America em 2015).
 
No mercado internacional, a RT Features produziu os longas Frances Ha (2013), Love is Strange (2014), Love (2015), Mistress America (2015) e o recente sucesso mundial indie A Bruxa (2016), entre outros. Em 2017, a RT Features estreou as produções internacionais Patti Cake$ e Call Me By Your Name no Festival de Sundance. Para o mesmo ano, a RT Features irá produzir o novo filme de James Gray, Ad Astra, e no Brasil os longas-metragens A Vida Invisível, de Karim Ainouz, e Barba Ensopada de Sangue, de Aly Muritiba.
 
Dedicada a trabalhar com jovens e talentosos diretores desde a sua criação, a RT Features formou uma joint venture com a Sikelia Productions, de Martin Scorsese, com o objetivo de produzir filmes de cineastas emergentes em todo o mundo. O primeiro longa-metragem desta parceria, A Ciambra, estreou na última edição da Quinzena dos Realizadores.

 
MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS: do palco do teatro para as telas de cinema

MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS: DO PALCO DO TEATRO PARA AS TELAS DE CINEMA


O longa dirigido por Rafael Gomes, que tem o romance como tema principal, já começou a ser rodado em São Paulo

A peça MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS (prêmio APCA de Melhor Peça Jovem) foi adaptada para o cinema e as filmagens já estão a todo vapor. Assim como a peça, o longa terá como ponto central o romance entre três jovens: Isabela (Mayara Constantino), Ricardo (Victor Mendes) e Felipe (Caio Horowicz). Denise Fraga interpretará Berenice, mãe de Felipe. Já o papel de Alice, avó de Isabela, fica por conta de Suely Franco, e Gabriel, ex-namorado de Isabela, será interpretado por Ícaro Silva.
 

Música Para Cortar os Pulsos, em sua versão para os palcos, tornou-se um texto de referência na dramaturgia para jovens, tendo ficado três anos em cartaz e viajado para mais de 30 cidades brasileiras, colecionando prêmios, elogios da crítica e sucesso junto ao público. Além do amor, seus temas abarcam também a sexualidade e, especialmente na adaptação para o cinema, a influência da tecnologia nos relacionamentos contemporâneos.

Rafael Gomes, responsável pelo texto e direção da peça e agora também roteirista e diretor do filme, explica que a inspiração para a história partiu das relações amorosas a sua volta. “Eu via como todos os meus amigos estavam enredados em diferentes teias amorosas, e a maneira como esse era sempre um assunto, sempre ‘O’ assunto. E como esses amores todos sempre buscavam referências e apoios para se justificar, para se entender, para existirem, propriamente ditos... Eram músicas, filmes, livros, peças, toda e qualquer coisa que pudesse dar pistas, dar recheio, traduzir o que sentíamos e nos ensinar, por reflexo, o que estávamos sentindo.”

Inteiramente rodado na cidade de São Paulo, a paisagem urbana é mostrada por meio do cotidiano das personagens, como trabalho, faculdade, bares, ruas, cinemas, festas e transporte público. Porém, o diferencial do longa, segundo Rafael Gomes, será a diversificação dessas paisagens, saindo do comum e sugerindo um novo imaginário urbano ao expectador.

Na trilha sonora, assim como na peça, haverá participações especiais de músicos e nomes conhecidos da música brasileira. MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS é uma produção da Lacuna Filmes, a mesma de Hoje eu Quero Voltar Sozinho, que tem Diana Almeida como produtora responsável, em mais uma parceria de distribuição da Vitrine Filmes, que também foi responsável pelo lançamento do filme dirigido por Daniel Ribeiro.
 

Sinopse:
Baseado na peça homônima, MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS é uma história urbana, intensa e sentimental sobre três jovens de vinte e poucos anos provando que na vida, como nas canções de amor, só os clichês são verdade. Isabella sofre de um coração partido, Felipe quer desesperadamente se apaixonar, e Ricardo, seu melhor amigo, está apaixonado por ele.

Ficha Técnica:
Direção: Rafael Gomes
Produzido por: Diana Almeida
Coprodução: Rafael Gomes e Henrique Carvalhaes
Produtores associados: Daniel Ribeiro, Mayara Constantino e Victor Mendes
Produção executiva: Diana Almeida
Roteiro: Rafael Gomes
Elenco: Mayara Constantino, Victor Mendes Caio Horowicz, Icaro Silva, Denise Fraga, Suely
Franco, Bella Camero e Tess Amorim.
Participações especiais: Tim Bernardes, Fafá de Belém, Vinicius Calderoni, Natália Lage, Guilherme Goski, Clarice Falcão, Maria Gadu e Mauricio Pereira
Direção de fotografia: Dhyana Mai
Direção de arte: Rafael Blas
Figurino: Melina Schleder
Montagem: Cristian Chinen
Edição de som: Confraria de Sons & Charutos
Mixagem: Confraria de Sons & Charutos
Finalização: O2 Pós
Distribuição: Vitrine Filmes

SOBRE RAFAEL GOMES

Graduado em Cinema, Rafael Gomes roteirizou e dirigiu seis curtas metragens premiados e exibidos em diversos festivais ao redor do mundo, como França, Espanha, Alemanha, Portugal, Estados Unidos, Holanda e Itália. Além disso, assinou o roteiro de dois longas-metragens: De Onde Eu Te Vejo (2016) e 45 do Segundo Tempo (2019/ em produção), ambos dirigidos por Luiz Villaça, e prepara-se para lançar em breve seu primeiro longa, “45 Dias Sem Você”, filmado em cinco diferentes países. Também criou séries para televisão (“Tudo o que É Sólido Pode Derreter”, “3 Teresas” e “Vizinhos”) e recebeu alguns dos principais prêmios teatrais do país, dirigindo montagens como “Um Bonde Chamado Desejo”, Gota d’ Água [a Seco]” e “Os Arqueólogos”.

SOBRE A LACUNA FILMES

A Lacuna Filmes é uma produtora sediada em São Paulo, desde 2006. Dentre suas produções estão “Café com Leite” e “Eu Não Quero Voltar Sozinho”, que juntos receberam mais de 115 prêmios, incluindo o Urso de Cristal no 58º Berlinale - Festival Internacional de Cinema de Berlim. Em 2014, “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, longa de estreia da produtora, dirigido por Daniel Ribeiro, estreou no 64ª Berlinale e recebeu os prêmios FIPRESCI e Teddy. O filme também foi a inscrição oficial brasileira para o Oscar 2015. Em 2017, a Lacuna estreou seu novo filme, “As Duas Irenes”, na 67ª Berlinale. 

SOBRE A VITRINE FILMES

Em oito anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 120 filmes. Entre seus maiores sucessos estão "Aquarius" e "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro e o americano "Frances Ha", dirigido por Noah Baumbach, indicado ao Globo de Ouro em 2014.

Em 2017, a Vitrine lançou "O Filme da Minha Vida", terceiro longa do ator e diretor Selton Mello, e "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal, o documentário mais visto no ano.
Neste ano, os principais lançamentos da distribuidora serão "Benzinho", exibido em nos festivais de Sundance e Rotterdam, dirigido por Gustavo Pizzi e protagonizado por Karine Teles, e "Paraiso Perdido", de Monique Gardenberg.

 
‘O CASO MOREL’ terá Rodrigo Lombardi e Maria Casadevall como protagonistas

BASEADO EM ROMANCE DE RUBEM FONSECA, ‘O CASO MOREL’ TERÁ RODRIGO LOMBARDI E MARIA CASADEVALL COMO PROTAGONISTAS

Dirigido por Suzana Amaral, filme começa a ser rodado em agosto

O primeiro romance policial de Rubem Fonseca, “O CASO MOREL”, ganhará sua versão para os cinemas. Dirigido por Suzana Amaral, o filme será protagonizado pelos atores Rodrigo Lombardi e Maria Casadevall e começara a ser rodado em agosto. O longa conta com a produção da Bossa Nova Films e distribuição da Pandora Filmes.

A história se estrutura a partir de uma ocorrência: Paul Morel (Rodrigo Lombardi), um artista plástico, é o principal suspeito da morte de Joana (Maria Casadevall), filha de um embaixador e uma de suas três mulheres. A trama é construída de forma não linear, contando com flashbacks e flashforwards, o que dá a narrativa uma nova maneira de visualizar o tempo e o espaço, além de ser a base do mistério. O livro foi publicado pela primeira vez em 1973.


Sinopse

Paul Morel, artista plástico, coabita uma relação livre e familiar com 3 mulheres: uma trapezista, uma jovem de programa e Joana, filha de um embaixador. Um dia Joana é encontrada morta numa praia. O detetive Vilela assume o caso e Morel é o principal suspeito.


Sobre a diretora

Suzana Amaral é cineasta, crítica de cinema, professora e roteirista. Seu primeiro filme foi A Hora da Estrela, baseado no romance de Clarice Lispector. Também dirigiu o drama Hotel Atlântico e Uma Vida em Segredo.


Sobre a Bossa Nova Films

A Bossa Nova Films é uma produtora independente atuante no mercado audiovisual brasileiro e internacional desde 2005. Com foco voltado ao aprimoramento artístico de seus talentos, através do fomento de uma estrutura de criação e inovação, a Bossa realiza um trabalho que abraça as diversas linguagens audiovisuais e plataformas.

Com a expertise de um time multi-identitário, a Bossa Nova Films já produziu 11 longas-metragens com títulos próprios, como De onde eu te vejo (2016), de Luiz Villaça; Tropicália (2012), de Marcelo Machado; Além do homem (2018), de Willy Biondani - com estreia prevista para junho  - e coproduções internacionais exibidas e premiadas em grandes festivais pelo mundo, como Ausência (2014), de Chico Teixeira; Violeta foi para o céu (2012), de Andrés Wood; e Uma Espécie de Família (2017), dirigido por Diego Lerman.

Simultaneamente aos longas-metragens, a produtora também tem forte atuação no segmento televisivo, sendo responsável por séries como 3 Teresas (2013) e Vizinhos (2015), ambas de Luiz Villaça para o GNT; Tô de Graça (2017), para o Multishow, e outros diversos conteúdos presentes nas grades de HBO, TV Globo, TV Record, TV Cultura, FOX, ESPN, Discovery Channel, entre outros canais.


Sobre a Pandora Filmes

A Pandora Filmes é uma distribuidora de filmes de arte, ativa no Brasil desde 1989. Voltada especialmente para o cinema de autor, a distribuidora buscou, desde sua origem, ampliar os horizontes da distribuição de filmes de arte no Brasil com relançamentos de clássicos memoráveis em cópias restauradas, de diretores como Fellini, Bergman e Billy Wilder, e revelações de nomes outrora desconhecidos no país, como Wong Kar-Wai, Atom Egoyan e Agnés Jaoui.

Paralelamente aos filmes internacionais, a Pandora Filmes sempre reserva espaço especial para o cinema brasileiro, lançando obras de diretores renomados e também de novos talentos. Dentro desse segmento, destaca-se o recente “Que Horas Ela Volta”, de Anna Muylaert, um grande sucesso, visto no cinema por mais de 500 mil espectadores.

Rodrigo Teixeira produzirá filme sobre o rapper Emicida

RODRIGO TEIXEIRA PRODUZIRÁ FILME SOBRE RAPPER EMICIDA

Dirigido por Aly Muritiba, longa é uma parceria entre as produtoras RT Features e Laboratório Fantasma

A perseverança e o amor pela música marcam a trajetória do rapper Emicida, desde o começo da sua carreira até o reconhecimento e o sucesso. Um dos músicos mais importantes do Rap brasileiro terá sua história pouco conhecida contada nos cinemas: a sua luta para chegar ao topo, ao lado do irmão e empresário, Evandro Fióti. A cinebiografia – ainda sem título definido - será produzida por Rodrigo Teixeira, da RT Features, em parceria com a Laboratório Fantasma. O longa terá direção de Aly Muritiba, o mesmo de “Para Minha Amada Morta” e “Ferrugem”, que esteve na seleção de Sundance no início do ano. 

Em fase de desenvolvimento, o roteiro escrito em parceria com o próprio Emicida, foca em alguns momentos-chave da vida do rapper, entre eles, a vitória na maior batalha de rimas do Brasil, aos 21 anos de idade, a reprovação da mãe, Dona Jacira, que não queria o filho envolvido com a música, a relação com o irmão mais novo, Fióti, e seus dias como atendente no MC Donald’s.

Estou muito feliz e honrado em poder contar a história de um dos principais artistas da música da atualidade no Brasil. Levar a trajetória do Emicida para as telonas é de um orgulho e uma responsabilidade enormes. Mas, ao mesmo tempo, é muito prazeroso poder contar uma história de vida tão inspiradora quanto a dele – comemora Rodrigo.

Eu já tinha a ambição de invadir os cinemas, acho que construímos uma trajetória que, de alguma maneira, desaguaria nisso. A Laboratório Fantasma tem se aproximado lentamente do entretenimento e estendido seus tentáculos para além da música há algum tempo, tanto que participamos da SPFW, por exemplo. Estou bastante emocionado e empolgado, estamos no meio de uma pesquisa bastante profunda para batermos o martelo em qual recorte usaremos, pois tem bastante assunto, fizemos muitas coisas, ano que vem completa 10 anos de nossa primeira mix tape, é uma efeméride importantissima. O Brasil carece de histórias de pretos bem sucedidos sendo contadas em grande escala e por nós mesmos, nesse sentido já nascemos revolucionários - explica Emicida.

Com filmagens previstas para o segundo semestre de 2018, o lançamento do filme deve acontecer em 2019.


SOBRE A RT FEATURES

Fundada e dirigida por Rodrigo Teixeira, a RT Features é uma produtora nacional e internacional de cinema e televisão, com base em São Paulo, Brasil. Dentre outras produções, seu currículo conta com os longas- metragens: O Abismo Prateado (2010), Tim Maia (2014), Alemão (2014) e o O Silêncio do Céu (2016). No exterior, a RT Features produziu os longas Frances Ha (2013), Love is Strange (2014), Indignation ( 2016) A Bruxa (2016). Em 2017, a RT Features esteve com duas produções internacionais Patti Cake$ A Ciambra (2017) na Quinzena dos Realizadores em Cannes, e com a coprodução internacional Severina (2017) no Festival de Locarno. Neste mesmo ano, a empresa produziu o novo projeto de James Gray com Brad Pitt: Ad Astra que se encontra em pós produção. 

No início de 2018 estreou o primeiro longa de ficção da diretora Crystal Moselle, Skate Kitchen, no Festival de Sundance. A RT esteve também indicada aos principais prêmios do cinema com o filme de Luca Guadagnino, Call Me By Your Name (2017). Destacam-se as oito indicações no Critics' Choice Awards, o maior número de nomeações no Independent Spirit Awards, e as indicações ao 75º Globo de Ouro e ao 90º Academy Awards, onde foi premiado com o Oscar de melhor roteiro adaptado. No primeiro semestre a RT irá produzir o novo filme de Robert Eggers, The Lighthouse, com Willem Dafoe e Robert Pattinson e no Brasil o novo longa de Karim Ainouz, A Vida Invisível, além de ter anunciado a produção da cinebiografia do rapper Emicida.


SOBRE A LAB FANTASMA

Criada pelos irmãos Evandro Fioti e Emicida em 2009 como um coletivo que vendia de mão em mão camisetas produzidas artesanalmente, a Laboratório Fantasma hoje é marca de roupas, gravadora, editora, estúdio e produtora de shows. Em 9 anos a Lab Fantasma se consolidou no mercado e hoje investe em moda, música e estilo de vida, sendo uma das empresas mais importantes do segmento musical brasileiro e a maior referência da cena hip hop no Brasil, agenciando também a carreira dos artistas Emicida, Rael, Drik Barbosa e Coruja BC1.

 
Começam as filmagens de ‘SERIAL KELLY’, estrelado por Gaby Amarantos

COMEÇAM AS FILMAGENS DE ‘SERIAL KELLY’, ESTRELADO POR GABY AMARANTOS

Produzido por Vania Catani, primeiro longa de René Guerra, vai ser rodado em Alagoas

Em 14 de setembro começam as filmagens de SERIAL KELLY, uma comédia pulp de humor negro, subversiva e questionadora, estrelada por Gaby Amarantos, que faz sua estreia como protagonista no cinema.

O longa acompanha a trajetória de Kelly, uma artista em busca de reconhecimento, com uma intuição criativa muito aguçada, mas que sofre pela ausência de oportunidades em sua carreira. Conforme ela cumpre sua agenda de shows pelo sertão, a cantora de forró eletrônico também vai deixando um rastro de sangue pelo caminho.

Quando passa a ser investigada pelos assassinatos de três homens, sua turnê mambembe também se transforma numa estratégia de fuga. E de estrela ascendente ela se torna uma heroína marginal, a temida e procurada SERIAL KELLY, a primeira serial killer mulher do Brasil.

SERIAL KELLY será todo rodado em Alagoas e a primeira cidade a receber a equipe será Maceió. A escolha pela região não foi aleatória. Em um local onde ainda existe “fazer justiça com as próprias mãos” e o machismo é arraigado, ter uma mulher serial killer como anti-heroína vai ao encontro das transformações pelas quais a região tem passado nos últimos anos, com um enorme crescimento econômico e empoderamento das mulheres e das classes populares.

Este é o primeiro trabalho na direção de René Guerra (que também assina o roteiro junto com Marcelo Caetano, diretor e roteirista de “Corpo Elétrico”), que estreou no cinema com o curta-metragem em 35mm “Os Sapatos de Aristeu”, em 2008. A produção foi um dos filmes nacionais mais premiados daquele ano, com 37 prêmios nacionais e internacionais e ganhador do Grande Prêmio do Canal Brasil 2008. Com o roteiro deste filme, foi selecionado para o Berlinale Talent Campus e desde então desenvolve projetos de ficção e de documentário sobre personagens considerados marginais. Recentemente, René apresentou no Kinoforum e foi premiado por seu mais recente curta metragem, “Vaca Profana”.

A grande estrela do longa é a cantora Gaby Amarantos, que dá vida à Kelly. Além dela, o elenco é encabeçado por uma grande diversidade de atores, apontando para todos os tipos de gênero e fugindo do padrão de beleza convencional, não binário e cheio de glamour, com artistas que representam todas as classes populares.

Produzido pela Bananeira Filmes, de Vania Catani, SERIAL KELLY será distribuído no Brasil pela Vitrine Filmes.


SOBRE O DIRETOR

Alagoano radicado em São Paulo, René Guerra filmou seu primeiro curta-metragem em 35mm, “Os Sapatos de Aristeu” em 2008. Em 2009 estreou o seu curta-metragem “CASA” no Festival de Berlim, Berlinale 2010, fazendo parte da coletânea Fucking Different São Paulo. Em 2012, dirigiu o curta documental “Quem Tem Medo de Cris Negão?” e em 2013, o curta de ficção “O Olho e o Zarolho” ambos Preta Portê Filmes.

É preparador de elenco de diretores como Anna Muylaert, Gabriela Amaral Almeida, João Paulo Cuenca, entre outros. Como roteirista escreveu três longas, “Lili e as Libélulas” (Preta Portê Filmes), “Quieta” (Filmes de Abril) e “Serial Kelly” (Bananeira Filmes).

Em televisão, trabalhou como diretor de imagem da série “Identidade Cultural” (SEBRAE – Alagoas, 2005) , como roteirista da série “Tudo o Que é Sólido Pode Derreter” (TV Cultura, 2009) e como diretor da série “Retratos Brasileiros : Berta Zemel” (Canal Brasil 2011). Em 2016 dirigiu o telefilme “Guigo Offline”, a ser exibido na TV Cultura.


SOBRE A BANANEIRA FILMES

Fundada em 2000 pela produtora Vania Catani, a Bananeira Filmes é uma das mais prestigiadas empresas produtoras de cinema no Brasil, onde a característica principal são os filmes de grande rigor artístico. Produziu mais de 23 longas e cinco curtas em 17 anos de existência. Somados, seus filmes já foram exibidos em mais de 340 festivais em 45 países e receberam mais de 180 prêmios.

Entre eles, destaque para Narradores de Javé, com direção de Eliane Caffé, e A Festa da Menina Morta, de Matheus Nachtergaele, selecionado no Festival de Cannes em 2008; O Palhaço, do diretor Selton Mello, que levou mais de 1,5 milhão de pessoas e foi escolhido para representar o Brasil na disputa por uma vaga no Oscar de melhor filme estrangeiro.

Em 2016, a Bananeira lançou o suspense Mate-me Por Favor, primeiro longa da diretora carioca Anita Rocha da Silveira, que teve estreia mundial no Festival de Veneza. Este ano foi lançado Redemoinho, Deserto, e O Filme da Minha Vida, um dos possíveis indicados brasileiros para concorrer ao Oscar 2018. Suas coproduções La Playa (Colômbia), El Ardor (Argentina) e Jauja (Argentina), tiveram estreia internacional no Festival de Cannes – a próxima muito aguardada é Zama (Argentina), da argentina Lucrecia Martel (O Pântano).


SOBRE A VITRINE FILMES

Em sete anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 70 filmes. Entre seus maiores sucessos estão Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, que alcançou mais de 200 mil espectadores; O Som ao Redor, de Kleber Mendonça Filho, considerado pelo New York Times um dos melhores filmes de 2012; o americano Frances Ha, indicado ao Globo de Ouro em 2014; Califórnia, filme de estreia de Marina Person, selecionado para o Festival de Tribeca; Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert, diretora do premiado Que Horas Ela Volta?; Aquarius, segundo longa de Kleber Mendonça Filho que competiu no Festival de Cannes e já levou 360 mil espectadores aos cinemas; e o documentário Cinema Novo, de Eryk Rocha, também selecionado para o festival. Este ano a Vitrine distribuiu O Filme da Minha Vida, terceiro longa de Selton Mello como diretor.