Postagens com tags Boulevard Filmes
ONDE QUER QUE VOCÊ ESTEJA dirigido por Bel Bechara e Sandro Serpa, estreia dia 03 de outubro

ONDE QUER QUE VOCÊ ESTEJA dirigido por Bel Bechara e Sandro Serpa, estreia dia 03 de outubro

Longa aborda a busca por familiares e amigos desaparecidos

Sinopse:

A Rádio Cidade Aberta transmite semanalmente o programa “Onde Quer Que Você Esteja”,
em que pessoas tentam se comunicar com parentes e amigos desaparecidos. Nos bastidores
do programa diversas histórias de vida cruzam-se e transformam-se.

Ficha Técnica:

Direção e Roteiro: Bel Bechara e Sandro Serpa
Elenco: Débora Duboc, Leonardo Medeiros, Brenda Lígia, Rafael Maia, Cleide Queiroz, Érica Montanheiro, Sabrina Greve, Samuel de Assis, Rita Batata, Juliana Mesquita, Luiza Mesquita, Gilda Nomacce, Samya Pascotto, Lucas Wickhaus, Dagoberto Feliz, Eduardo Acaiabe, Robson Emílio, Rodrigo Caetano
Produção: Macondo Filmes
Distribuição: Boulevard Filmes
Ano: 2018
País: Brasil
Duração: 101 min
Classificação: 10 anos

Prêmios e festivais

Brasileiros
Guarnicê de Cinema do Maranhão 2018 (Melhor Trilha, Melhor Som, Atriz Coadjuvante - Sabrina Greve, Ator Coadjuvante - Dagoberto Feliz)
Festival Latino Americano de Cinema de São Paulo
Mostra Livre de Cinema (Melhor Filme - Mostra Internacional)

Internacionais
Guam International Film Festival - EUA (Best Narrative Picture)
FILF 2018 - EUA (Melhor Filme)
Bucharest Film Awards (Best Feature Film)
New York International Films Infest - EUA
Miami Independent Film Festival - EUA
Nice International Film Festival - França
One Coutry One Film - França
San Benedetto Film Fest - Itália
Cine no Visto - Espanha
Festival Internacional de Cinema de Figueira da Foz - Portugal
Cinalfama Lisbon International Film Festival - Portugal
Paraná Film Festival - Argentina
Near Nazareth Festival - Israel
9th Jagran Film Festival - India
Canada Independent Film Festival - Canada
South Film and Arts Academy Festival - Chile
Five Continents International Film Festival - Venezuela
Altruist Go - Krajina Film Festival – Sérvia

Sobre os diretores

Bel Bechara e Sandro Serpa estudaram juntos e desde então dirigem em dupla seus filmes.
Em 2001 fundaram a Macondo Filmes e realizaram sete curtas-metragens e dois
documentários de longa-metragem, que receberam cerca de 50 prêmios em festivais
brasileiros e internacionais. “Onde Quer Que Você Esteja” é seu primeiro longa de ficção.
Os filmes foram exibidos em diversos festivais como: Oberhausen / Huesca / FamaFest
(Famalicão) / Festival de Brasília / É Tudo Verdade / In-Edit Barcelona / Festival de Cinema
Brasileiro de Paris / Festival de Cinema Brasileiro de Miami / Alucine (Toronto) / Sehsüchte
(Potsdam) / Festival de Cinema do Uruguai / Festival do Rio / Cine PE / Providence Latin
American Film Festival, entre outros.

Sobre a Boulevard Filmes

A Boulevard Filmes é uma produtora e distribuidora audiovisual que busca o equilíbrio entre projetos autorais e demandas de mercado, focando em estratégias de produção e de distribuição compatíveis com cada projeto, tanto para cinema, quanto para TV e novas mídias. Entre seus lançamentos para as salas de cinema estão os longas “Amor, Plástico e Barulho” (Renata Pinheiro), "Filme Sobre um Bom Fim"(Boca Migotto), "A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro" (Leo Garcia, Zeca Brito), "Histórias que nosso cinema (não) contava" (Fernanda Pessoa) e "Açúcar" (Sergio Oliveira, Renata Pinheiro), este último com previsão de lançamento para o segundo semestre de 2019.

Sobre a Macondo Filmes

Fundada em 2001 pelos cineastas Bel Bechara e Sandro Serpa, a Macondo Filmes é voltada
prioritariamente para a realização de projetos autorais na área audiovisual, tendo angariado
cerca de 50 prêmios em concursos e festivais nacionais e internacionais.
Em 2017 a Macondo Filmes finaliza seu primeiro longa-metragem de ficção, Onde Quer Que
Você Esteja. Em seu currículo a Macondo reúne a produção de oito curtas-metragens
ficcionais e cinco documentários, além de vídeos diversos.

3 de outubro nos cinemas Um filme de Bel Bechara e Sandro Serpa Sinopse: A Rádio Cidade Aberta transmite semanalmente o programa "Onde Quer Que Você Esteja", em que pessoas tentam se comunicar com parentes e amigos desaparecidos. Nos bastidores do programa diversas histórias de vida cruzam-se e transformam-se.
OQQVE 14 - Sabrina Greve Gilda Nomacce.jpg
OQQVE 10 - Erica Montanheiro Cleide Queiroz Brenda Ligia Rafael Maia.JPG
LEGALIDADE dirigido por Zeca Brito, estreia dia 12 de setembro

LEGALIDADE dirigido por Zeca Brito, estreia dia 12 de setembro

Longa com Leonardo Machado, Cleo, Fernando Alves Pinto, Letícia Sabatella e José Henrique Ligabue estreia em circuito comercial dia 12 de setembro

SINOPSE  
Em 1961, o governador Leonel Brizola lidera um movimento sem precedentes na história do Brasil: a Legalidade. Lutando pela constituição, mobiliza a população na resistência pela posse do presidente João Goulart. Em meio ao iminente golpe militar, uma misteriosa jornalista pode mudar os rumos do país.  

FICHA TÉCNICA  
Direção: Zeca Brito  
Roteiro: Zeca Brito e Leo Garcia  
Elenco: Cleo, Leonardo Machado, Fernando Alves Pinto, José Henrique Ligabue, Letícia Sabatella, Fábio Rangel, Sapiran Brito  
Produção: Luciana Tomasi  
Direção de Fotografia: Bruno Polidoro  
Direção de Arte: Adriana Borba  
Direção de Produção: Glauco Urbim  
Figurino: Marcia Nascimento  
Maquiagem: Nancy Marignac  
Consultoria de Roteiro: Hilton Lacerda e Anna Carolina Francisco  
Montagem: Alfredo Barros  
Som: Gogó Conteúdo Sonoro  

SOBRE O DIRETOR  

Zeca Brito é graduado em Realização Audiovisual pela Unisinos e Artes Visuais pela UFRGS. Dirigiu, roteirizou curtas e longas-metragens exibidos no Brasil e no exterior. Seu curta “Aos Pés” foi escolhido Melhor Filme Júri Popular no Festin Lisboa 2009, e o longa-metragem O Guri, exibido em festivais de Portugal e Brasil. Em 2015 lançou o longa "Glauco do Brasil” na 39ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e 10ª Bienal do Mercosul. Em 2016 dirigiu o longa "Em 97 Era Assim", Prêmio de Melhor Direção e Melhor Filme Júri Popular no Festival Cinema dos Sertões (Piauí Brasil), Melhor Direção de Atores na Mostra SESC Brasil, Melhor Filme no The Best Film Fest (Seattle, EUA), Prêmio Especial do Júri no 8th Jagran Film Festival (Índia), seleção oficial no Regina International Film Festival (Regina, Canada), Los Angeles CineFest (Los Angeles, EUA), 51st International Independet Film Festival (Houston, EUA) e Prêmio de Melhor Filme Juvenil Estrangeiro no American Filmatic Arts Awards (Nova York, EUA). Em 2017 dirigiu o documentário "A vida Extra-Ordinaria de Tarso de Castro" exibido no Festival do Rio e 41 Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.   

SOBRE A PRANA FILMES  
 

A Prana Filmes foi criada em 2011 pelas cineastas Luciana Tomasi e Carlos Gerbase. Focada na produção de filmes e séries de televisão, a companhia produziu o curta "Amores Passageiros", dirigido por Augusto Canani, vencedor do prêmio de Melhor Filme Estrangeiro em Los Angeles Short Film Festival, e o longa "Menos que Nada", dirigido por de Carlos Gerbase, indicado como Melhor Roteiro Adaptado no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro.  
Além das produções audiovisuais, a produtora gerencia desde 2012 uma sala de cinema na cidade de Porto Alegre e é responsável pelo projeto educacional Primeiro Filme e pelo Festival Primeiro Filme, que já está em sua quarta edição.  

Luciana Tomasi e Carlos Gerbase foram membros da Casa de Cinema de Porto Alegre por mais de 20 anos, participando de vários longas-metragens, curtas-metragens e séries de televisão, ganhando diversos prêmios em festivais internacionais como Berlim, Havana, Nova York, Los Angeles, Hamburgo, Índia, Portugal, Uruguai, entre outros. Os filmes, produzidos por Luciana Tomasi, já renderam impressionantes 200 prêmios nacional e internacionalmente.  

Atualmente, a empresa trabalha na pós-produção do longa-metragem "Legalidade",  de Zeca Brito; e na série de TV "Turma 5B", de Iuli Gerbase; participando em festivais com os filmes "Bio", de Carlos Gerbase, vencedor de 3 prêmios no 45º Festival de Cinema de Gramado (Melhor Filme no Prêmio do Público, Melhor Design de Som e Menção Honrosa para Direção) e "Yonlu", de Hique Montanari , vencedor do Prêmio ABRACCINE - Melhor Filme Brasileiro de Diretor Estreante do 41º Festival Internacional de Cinema de São Paulo, Melhor Filme da Mostra Internacional de Longas, além de receber o Prêmio da Imprensa, no 9º  Festival Internacional de Cinema da Fronteira. A produtora também está em fase de captação de recursos para a série de TV "Todos Morrem no Fim", de Carlos Gerbase, e para o longa-metragem "Jepotá", de Augusto Canani.  

Em 2018, a Prana Filmes produziu, em parceria com a Rainer Cine, o longa “Mudança” de Fabiano de Souza, que está em fase de pós-produção. Também produzimos o curta-metragem “A Pedra”, da diretora Iuli Gerbase, que recentemente participou do 40º Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano em Havana (Cuba), e do 11º Festival Internacional de Cinema de Jaipur (Índia), vencendo a Menção do Júri na Mostra Panorama Internacional. Agora, a Prana Filmes está em fase de pré-produção do longa “A Nuvem Rosa” de Iuli Gerbase e no desenvolvimento de sete roteiros de filmes e séries de TV.  

SOBRE A BOULEVARD FILMES  

A Boulevard Filmes é uma produtora e distribuidora audiovisual que busca o equilíbrio entre projetos autorais e demandas de mercado, focando em estratégias de produção e de distribuição compatíveis com cada projeto, tanto para cinema, quanto para TV e novas mídias. Entre seus lançamentos para as salas de cinema estão os longas “Amor, Plástico e Barulho” (Renata Pinheiro), "Filme Sobre um Bom Fim"(Boca Migotto), "A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro" (Leo Garcia, Zeca Brito), "Histórias que nosso cinema (não) contava" (Fernanda Pessoa) e "Açúcar" (Sergio Oliveira, Renata Pinheiro), esté último com previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2019.  

Foto: Joba Migliorin

Foto: Joba Migliorin

RAIA 4, de Emiliano Cunha, é selecionado para o 47º Festival de Cinema de Gramado

RAIA 4, DE EMILIANO CUNHA, É SELECIONADO PARA O 47º Festival de Cinema de Gramado

Longa de suspense é ambientado no universo da natação competitiva

RAIA 4, escrito e dirigido por Emiliano Cunha (“A Benção”), foi selecionado para a mostra competitiva da 47a edição do Festival de Cinema de Gramado, que acontece de 16 a 24 de agosto na cidade gaúcha. O filme já foi exibido nos festivais do Panamá, Cartagena das Índias (Colômbia) e Uruguai, além de ter participado da mostra competitiva do 22º Festival de Shanghai.

O longa é um drama, com elementos de suspense ambientado no universo da natação competitiva, e traz no elenco as estreantes Brídia Moni e Kethelen Guadagnini, Fernanda Chicolet ("Demônia") e José Henrique Ligabue ("Legalidade"), entre outros. Na trama, duas adolescentes de temperamentos distintos são unidas pelos conflitos da idade e, principalmente, pelo amor pela natação. As inquietações de Amanda (Brídia Moni) se intensificam e ela acaba buscando refúgio no único local em que se sente plena e segura: embaixo d’água, onde segredos não podem ser ouvidos. "Fui atleta de natação da infância à vida adulta e o filme une minhas duas paixões: o cinema e a natação", resume o diretor Emiliano Cunha, que também assina o roteiro. "É a chance de mostrar ao público um universo fascinante e que me é precioso, e explorar um cinema que é de sensações, trazendo à tela a experiência da natação como é para os esportistas", completa o cineasta porto-alegrense.

RAIA 4 foi rodado entre janeiro e fevereiro de 2018 em locações em Porto Alegre e arredores. As gravações duraram 27 diárias, com um elenco de 40 atores e 200 figurantes. Cunha divide a produção com Davi de Oliveira Pinheiro ("Porto dos Mortos") e Pedro Guindani ("Desvios"), e na equipe técnica estão Valeria Verba e Sheila Marafon (que dividem a direção de arte), Edu Rabin (diretor de fotografia), Vicente Moreno (montagem) e Beto Picasso (diretor de produção).

"A temática esportiva serve de pano de fundo para a história, em paralelo a conflitos humanos, como a relação da protagonista e seu próprio mundo”, explica o diretor. O cineasta buscou entre não atores suas protagonistas e parte do elenco de apoio. O núcleo jovem da trama é egresso de clubes de natação da capital gaúcha. “Eu precisava ter o realismo que o filme pede. E, como é um filme de natação competitiva, a técnica é bem diferente da natação recreativa e era muito importante que isso imprimisse na tela”. A trama aborda temas pertinentes à protagonista de 12 anos, como a transição entre a infância e adolescência, nas relações com seus pais, afetivas e as descobertas da idade. O argumento do filme surgiu em 2013 e passou por diversos laboratórios (Sesc/Senac Novas Histórias, Curitiba Lab, Plataforma Lab, e a Mostra Futuro Brasil do Festival de Brasília) até a sua forma final.

SINOPSE
Amanda é uma nadadora pré-adolescente. Quieta e reservada, encontra, embaixo d’água, um refúgio - lugar onde os segredos não podem ser ouvidos. O conflito com os pais, as pressões do esporte e da fase da vida, tudo parece se acumular no entorno de Amanda. Priscila, uma colega de equipe, acaba se tornando sua rival.


FICHA TÉCNICA
Elenco: Brídia Moni, Kethelen Guadagnini, Arlete Cunha, Fernanda Carvalho Leite, José Henrique Ligabue, Fernanda Chicolet e Rafael Sieg
Roteiro e direção: Emiliano Cunha
Diretor Assistente: Richard Tavares
1º Assistente de Direção: Daniela Strack
Direção de Fotografia: Edu Rabin
Direção de Arte: Sheila Marafon e Valeria Verba
Direção de Produção: Beto Picasso
Produção Executiva: Pedro Guindani
Figurino: Francine Mendes
Maquiagem e Caracterização: Baby Marques
Montagem: Vicente Moreno
Supervisão de Pós-Produção: Daniel Dode
Design Gráfico: Leo Lage
Desenho de Som: Marcos Lopes e Tiago Belo
Trilha Musical Original: Felipe Puperi e Rita Zart
Produção: Davi de Oliveira Pinheiro, Emiliano Cunha e Pedro Guindani


SOBRE O DIRETOR
Formado em Cinema e Mestre em Comunicação, Emiliano Cunha é professor de audiovisual, produtor, roteirista, diretor e sócio na Ausgang. Dirigiu os premiados curtas "O Cão" (2011), "Lobos" (2012), "Tomou café e esperou" (2013), "Sob águas claras e inocentes" (2016), além da série "Horizonte B" (2015) e "A Benção" (em pós-produção). Seu primeiro longa-metragem, "Raia 4" (2019), estreou no FICCI 2019.

SOBRE A AUSGANG
A Ausgang tem em seu catálogo títulos como os longas “Porto dos Mortos” (2011), de Davi de Oliveira Pinheiro, selecionado para mais de 80 festivais ao redor do mundo; “Desvios” (2016), de Pedro Guindani, exibido no Festival de Cine de Bogotá, entre outros; e “Raia 4” (2019), de Emiliano Cunha, seleção oficial do Festival de Shanghai.

SOBRE A BOULEVARD FILMES
A Boulevard Filmes é uma produtora e distribuidora audiovisual que busca o equilíbrio entre projetos autorais e demandas de mercado, focando em estratégias de produção e de distribuição compatíveis com cada projeto, tanto para cinema, quanto para TV e novas mídias. Entre seus lançamentos para as salas de cinema estão os longas “Amor, Plástico e Barulho” (Renata Pinheiro), "A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro" (Leo Garcia, Zeca Brito), "Histórias que nosso cinema (não) contava" (Fernanda Pessoa), “Legalidade” (Zeca Brito), que também será exibido em Gramado, e "Açúcar" (Sergio Oliveira, Renata Pinheiro), este último com previsão de lançamento para o segundo semestre de 2019.

Foto: Tuane Eggers, Ausgang

Foto: Tuane Eggers, Ausgang

RAIA 4 é produzido pela Ausgang e tem financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual (Ancine/BRDE), por meio do edital Prodecine 05/2015. A distribuição é da Boulevard Filmes, com previsão de lançamento para 2020.

Raia4_Poster.jpg
Filme LEGALIDADE será exibido em sessão especial no 47º Festival de Cinema de Gramado

Filme LEGALIDADE será exibido em sessão especial no 47º Festival de Cinema de Gramado

Exibição faz homenagem ao ator Leo Machado, que interpreta Leonel Brizola, líder da Campanha da Legalidade

 

Filme estreia em circuito comercial dia 12 de setembro

LEGALIDADE, filme de Zeca Brito, será exibido em sessão especial durante o Festival de Cinema de Gramado. Produzido pela Prana Filmes, a obra foi premiada recentemente durante o 42ª Festival Guarnicê de Cinema (São Luís, MA), vencendo nas categorias de Melhor Direção (Zeca Brito), Direção de Arte (Adriana Borba), Fotografia (Bruno Polidoro) e Melhor Ator (Leonardo Machado - in memoriam).  

No longa, Leonardo Machado interpreta uma das mais emblemáticas figuras políticas que o Brasil já teve, Leonel Brizola, que liderou a Campanha da Legalidade, em 1961. O movimento, sem precedentes na história do país, foi uma mobilização civil e de alguns setores militares para garantir a posse do vice-presidente João Goulart após a renúncia do presidente Jânio Quadros, a fim de assegurar que a Constituição Federal fosse respeitada e impedir o golpe militar.   

O Palácio Piratini e a Praça da Matriz em Porto Alegre (RS) são algumas das locações do filme e também são os cenários da história real. Nos porões do Palácio do Governo gaúcho foi montada por Brizola a Rede da Legalidade, que transmitia em ondas curtas, usando os equipamentos da Rádio Guaíba, as informações da resistência para as cidades do interior do RS e para outros Estados, ação que articulou as mobilizações. No filme, em meio ao golpe iminente, uma misteriosa jornalista vivida por Cléo pode mudar os rumos do país. O elenco ainda conta com as presenças de Letícia Sabatella, Fernando Alves Pinto, José Henrique Ligabue, Fábio Rangel e Sapiran Brito.   

A exibição também é uma forma de homenagem ao ator Leo Machado, que morreu precocemente em setembro de 2018, aos 42 anos e foi o apresentador oficial do Festival por oito edições, desde 2010. Também recebeu o Kikito de Melhor Ator pela interpretação do personagem Boni no filme Em teu nome, de Paulo Nascimento, em 2009.   

A sessão acontece fora de competição, no Palácio dos Festivais, dia 18 de agosto, à noite. 

Festival de Cinema de Gramado  
www.festivaldegramado.net  
www.facebook.com/festivaldecinemadegramado  
Twitter: @cinemadegramado  
Instagram: @festivaldecinemadegramado  
YouTube: https://www.youtube.com/festivaldegramado 

Sexto longa de Zeca Brito, LEGALIDADE é uma produção da Prana Filmes, de Luciana Tomasi e tem distribuição Boulevard Filmes.  

SINOPSE  
Em 1961, o governador Leonel Brizola lidera um movimento sem precedentes na história do Brasil: a Legalidade. Lutando pela constituição, mobiliza a população na resistência pela posse do presidente João Goulart. Em meio ao iminente golpe militar, uma misteriosa jornalista pode mudar os rumos do país.  

FICHA TÉCNICA  
Direção: Zeca Brito  
Roteiro: Zeca Brito e Leo Garcia  
Elenco: Cleo, Leonardo Machado, Fernando Alves Pinto, José Henrique Ligabue, Letícia Sabatella, Fábio Rangel, Sapiran Brito  
Produção: Luciana Tomasi  
Direção de Fotografia: Bruno Polidoro  
Direção de Arte: Adriana Borba  
Direção de Produção: Glauco Urbim  
Figurino: Marcia Nascimento  
Maquiagem: Nancy Marignac  
Consultoria de Roteiro: Hilton Lacerda e Anna Carolina Francisco  
Montagem: Alfredo Barros  
Som: Gogó Conteúdo Sonoro  

SOBRE O DIRETOR  

Zeca Brito é graduado em Realização Audiovisual pela Unisinos e Artes Visuais pela UFRGS. Dirigiu, roteirizou curtas e longas-metragens exibidos no Brasil e no exterior. Seu curta “Aos Pés” foi escolhido Melhor Filme Júri Popular no Festin Lisboa 2009, e o longa-metragem O Guri, exibido em festivais de Portugal e Brasil. Em 2015 lançou o longa "Glauco do Brasil” na 39ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e 10ª Bienal do Mercosul. Em 2016 dirigiu o longa "Em 97 Era Assim", Prêmio de Melhor Direção e Melhor Filme Júri Popular no Festival Cinema dos Sertões (Piauí Brasil), Melhor Direção de Atores na Mostra SESC Brasil, Melhor Filme no The Best Film Fest (Seattle, EUA), Prêmio Especial do Júri no 8th Jagran Film Festival (Índia), seleção oficial no Regina International Film Festival (Regina, Canada), Los Angeles CineFest (Los Angeles, EUA), 51st International Independet Film Festival (Houston, EUA) e Prêmio de Melhor Filme Juvenil Estrangeiro no American Filmatic Arts Awards (Nova York, EUA). Em 2017 dirigiu o documentário "A vida Extra-Ordinaria de Tarso de Castro" exibido no Festival do Rio e 41 Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.   

SOBRE A PRANA FILMES  
 

A Prana Filmes foi criada em 2011 pelas cineastas Luciana Tomasi e Carlos Gerbase. Focada na produção de filmes e séries de televisão, a companhia produziu o curta "Amores Passageiros", dirigido por Augusto Canani, vencedor do prêmio de Melhor Filme Estrangeiro em Los Angeles Short Film Festival, e o longa "Menos que Nada", dirigido por de Carlos Gerbase, indicado como Melhor Roteiro Adaptado no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro.  
Além das produções audiovisuais, a produtora gerencia desde 2012 uma sala de cinema na cidade de Porto Alegre e é responsável pelo projeto educacional Primeiro Filme e pelo Festival Primeiro Filme, que já está em sua quarta edição.  

Luciana Tomasi e Carlos Gerbase foram membros da Casa de Cinema de Porto Alegre por mais de 20 anos, participando de vários longas-metragens, curtas-metragens e séries de televisão, ganhando diversos prêmios em festivais internacionais como Berlim, Havana, Nova York, Los Angeles, Hamburgo, Índia, Portugal, Uruguai, entre outros. Os filmes, produzidos por Luciana Tomasi, já renderam impressionantes 200 prêmios nacional e internacionalmente.  

Atualmente, a empresa trabalha na pós-produção do longa-metragem "Legalidade",  de Zeca Brito; e na série de TV "Turma 5B", de Iuli Gerbase; participando em festivais com os filmes "Bio", de Carlos Gerbase, vencedor de 3 prêmios no 45º Festival de Cinema de Gramado (Melhor Filme no Prêmio do Público, Melhor Design de Som e Menção Honrosa para Direção) e "Yonlu", de Hique Montanari , vencedor do Prêmio ABRACCINE - Melhor Filme Brasileiro de Diretor Estreante do 41º Festival Internacional de Cinema de São Paulo, Melhor Filme da Mostra Internacional de Longas, além de receber o Prêmio da Imprensa, no 9º  Festival Internacional de Cinema da Fronteira. A produtora também está em fase de captação de recursos para a série de TV "Todos Morrem no Fim", de Carlos Gerbase, e para o longa-metragem "Jepotá", de Augusto Canani.  

Em 2018, a Prana Filmes produziu, em parceria com a Rainer Cine, o longa “Mudança” de Fabiano de Souza, que está em fase de pós-produção. Também produzimos o curta-metragem “A Pedra”, da diretora Iuli Gerbase, que recentemente participou do 40º Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano em Havana (Cuba), e do 11º Festival Internacional de Cinema de Jaipur (Índia), vencendo a Menção do Júri na Mostra Panorama Internacional. Agora, a Prana Filmes está em fase de pré-produção do longa “A Nuvem Rosa” de Iuli Gerbase e no desenvolvimento de sete roteiros de filmes e séries de TV.  

SOBRE A BOULEVARD FILMES  

A Boulevard Filmes é uma produtora e distribuidora audiovisual que busca o equilíbrio entre projetos autorais e demandas de mercado, focando em estratégias de produção e de distribuição compatíveis com cada projeto, tanto para cinema, quanto para TV e novas mídias. Entre seus lançamentos para as salas de cinema estão os longas “Amor, Plástico e Barulho” (Renata Pinheiro), "Filme Sobre um Bom Fim"(Boca Migotto), "A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro" (Leo Garcia, Zeca Brito), "Histórias que nosso cinema (não) contava" (Fernanda Pessoa) e "Açúcar" (Sergio Oliveira, Renata Pinheiro), esté último com previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2019.  

Foto: Joba Migliorin

Foto: Joba Migliorin

'UMA VIAGEM INESPERADA', de Juan José Jusid, estreia dia 28 de março

FILME “UMA VIAGEM INESPERADA”, DE JUAN JOSÉ JUSID, GANHA DATA DE ESTREIA

Coprodução entre Brasil e Argentina é protagonizada por Pablo Rago e conta com participação especial da atriz Débora Nascimento

Foto: Ana Rovati

Foto: Ana Rovati

Sinopse 
O engenheiro argentino Pablo vive feliz no Rio de Janeiro, ao lado da jovem Lucy. Ele se prepara para um momento importante na sua carreira: a inauguração de uma plataforma de exploração de petróleo. Mas o clima de comemoração dura pouco. Sua ex-mulher telefona para dizer que o filho adolescente do casal, Andrés, está prestes a ser expulso da escola. Pablo, então, deixa o Rio e volta a Buenos Aires, mas o reencontro com o garoto não será fácil.  

Ficha Técnica 

Direção: Juan José Jusid  
Roteiro: Juan José Jusid, Cesar Gómez Copello e Oliver Kolker  
Elenco: Pablo Rago, Tomás Wicz, Oliver Kolker, Débora Nascimento e Cecília Dopazo  
Produtores: Letícia Friedrich, Lourenço Sant'Anna, Oliver Kolker e Hernán Findling  
Produção: Boulevard Filmes, Funciona y Kuenta Producciones  
Distribuição: Boulevard Filmes  
Ano: 2018  
País: Argentina, Brasil  
Duração: 87 min  
Classificação: 14 anos  

Sobre a Boulevard Filmes  

A Boulevard Filmes é uma produtora e distribuidora audiovisual que busca o equilíbrio entre projetos autorais e demandas de mercado, focando em estratégias de produção e de distribuição compatíveis com cada projeto, tanto para cinema, quanto para TV e novas mídias. Entre seus lançamentos para as salas de cinema estão os longas “Amor, Plástico e Barulho” (Renata Pinheiro), "Filme Sobre um Bom Fim"(Boca Migotto), "A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro" (Leo Garcia, Zeca Brito), "Histórias que nosso cinema (não) contava" (Fernanda Pessoa) e "Açúcar" (Sergio Oliveira, Renata Pinheiro), esté último com previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2019.   

Mostra: SCI-FI BRASIL – Eles estão entre nós, na Caixa Cultural Rio de Janeiro

CAIXA CULTURAL DO RIO DE JANEIRO RECEBE PRIMEIRA MOSTRA DEDICADA A FILMES NACIONAIS DE FICÇÃO CIENTÍFICA

Sci-fi Brasil – Eles estão entre nós traz um panorama da cinematografia nacional do gênero

mostrascifi.jpg

As ficções científicas não são o carro-chefe das produções brasileiras, no entanto vêm conquistando cada vez mais espaço na cinematografia nacional e fazendo carreira nos festivais internacionais. Para trazer ao público um panorama da produção brasileira do gênero, a mostra Sci-Fi Brasil – Eles estão entre nós ocupa a CAIXA Cultural Rio de Janeiro entre os dias 4 e 16 de setembro de 2018 (terça a domingo).

 Com curadoria de Eric Paiva e Marcelo Engster, a mostra abre a discussão para o tema através da exibição de 12 curtas e 12 longas-metragens, além de debates com importantes diretores do gênero e críticos brasileiros especializados no assunto. "Gênero de grandes produções e enorme retorno financeiro em Hollywood, a Ficção Científica nunca foi muito explorada em terras brasileiras. Mesmo que os filmes americanos do gênero tenham grande sucesso de público no Brasil, os produtores brasileiros pouco investem em Sci-Fi”, opina Marcelo Engster.

Esta será a primeira mostra no país dedicada à produção de ficção científica brasileira. “Pretendemos trazer ao público um apanhado da produção, exibindo filmes como Os Cosmonautas, de Victor Lima, e obras que foram sucesso de público, como O Homem do Futuro, de Cláudio Torres. Além disso, buscamos mostrar animações que tiveram importante papel na história do cinema nacional, mas poucas chances de exibição nas telas como Cassiopéia, de Clóvis Viera, e Uma História de Amor e Fúria, de Luiz Bolognesi. Sem esquecer, claro, da vasta produção de curtas-metragens de Ficção Científica”, revela Eric Paiva.
 
Programação paralela:
 
Além da exibição de filmes, a mostra realizará dois debates que aprofundarão a discussão. No dia 8 de setembro (sábado), às 18h30, o encontro Efeitos Especiais e Visuais na Produção de Ficção Científica Brasileira contará com a presença de Claudio Peralta, supervisor de VFX da Conspiração Filmes; e Sergio Farjalla Jr, Supervisor de Efeitos Especiais. E na quinta-feira (13), às 19h, os realizadores Clóvis Vieira e Sabrina Fidalgo abordarão a Ficção Científica e Alegorias de Terceiro Mundo. Ambos os debates têm entrada franca com distribuição de senhas 1h antes do início.

 - A mostra pretende valorizar a produção nacional de ficção científica, resgatando importantes obras já esquecidas pelo público. A ficção científica tem em seu cerne a reflexão sobre assuntos de interesse público, como política, avanços científicos, cultura, alienação, meio ambiente e preconceitos. Todas essas questões são levantadas nos filmes selecionados, trabalhando assim para a formação de pensamento do público - conclui Eric Paiva.

 A CAIXA investiu mais de R$ 385 milhões em cultura nos últimos cinco anos. Em 2018, nas unidades da CAIXA Cultural em Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, está prevista a realização de 244 projetos de Artes Visuais, Cinema, Dança, Música, Teatro e Vivências.
 
Link para imagens: https://bit.ly/2vG4wdx
 
Programação:

4 de setembro (terça-feira)
16h - À Margem do Universo (2017), de Tiago Esmeraldo, 18 min, Livre + O Homem que Comprou o Mundo (1968), de Eduardo Coutinho, 90 min, 14 anos
18h30 - Capitão Eléctron contra a Ameaça Venusiana (1986), de Dário R. C. Castro, Edmundo G. Barreiros, Humberto Pereira e Marcello Monteiro, 16 min, Livre + O Monstro Legume do Espaço (1995), de Petter Baiestorf, 77 min, 16 anos
 
5 de setembro (quarta-feira)
16h - Loop (2002), de Carlos Gregório, 6 min, Livre + Quem é Beta? (1973), de Nelson Pereira dos Santos, 85 min, 12 anos
18h30 - Janaína Overdrive (2016), de Mozart Freire, 19 min, 16 anos + Uma História de Amor e Fúria (2013), de Luiz Bolognesi, 74 min, 14 anos
 
6 de setembro (quinta-feira)
16h - O Quebra Cabeça de Tarik (2015), de Maria Leite, 19 min, 12 anos + Cassiopéia (1986), de Clóvis Viera, 80 min, Livre
18h30 - Personal Vivator (2014), de Sabrina Fidalgo, 20 min, 12 anos + Branco Sai, Preto Fica (2014), de Adirley Queirós, 93 min, 12 anos
 
7 de setembro (sexta-feira)
16h - Bahia Sci-Fi (2015), de Petrus Pires, 32 min, Livre + Abrigo Nuclear (1982), de Roberto Pires, 86 min, 10 anos
18h30 – Recife Frio (2009), de Kleber Mendonça Filho, 24 min, 10 anos + Os Cosmonautas (1962), de Victor Lima, 90 min, Livre;
 
8 de setembro (sábado)
13h30 – Barbosa (1988), de Jorge Furtado e Ana Luiza Azevedo, 13 min, Livre +  O Homem do Futuro (2011), de Cláudio Torres, 106 min, 12 anos
16h - Ultravioleta (2018), de Dhiones do Congo, 12 min, Livre + Oceano Atlantis (1993), de Francisco de Paula, 80 min, Livre
18h30 - Debate Efeitos especiais e visuais na produção de ficção científica brasileira, com Claudio Peralta e Sérgio Farjalla Jr.

 9 de setembro (domingo)
16h - Master Blaster – Uma aventura de Hans Lucas na nebulosa 2907N (2013), de Raul Arthuso, 19 min, Livre + Etéia, a Extraterrestre em sua Aventura no Rio (1983), de Roberto Mauro, 94 min, 14 anos
18h30 - Tempo Real (2010), de Mino Barros Reis e Joana Limaverde, 10 min, Livre + A repartição do tempo (2016), de Santiago Dellape, 100 min, 16 anos
 
11 de setembro (terça-feira)
16h - Capitão Eléctron contra a Ameaça Venusiana (1986), de Dário R. C. Castro, Edmundo G. Barreiros, Humberto Pereira e Marcello Monteiro, 16 min, Livre + O Monstro Legume do Espaço (1995), de Petter Baiestorf, 77 min, 16 anos
18h30 - À Margem do Universo (2017), de Tiago Esmeraldo, 18 min, Livre + O Homem que Comprou o Mundo (1968), de Eduardo Coutinho, 90 min, 14 anos
 
12 de setembro (quarta-feira)
16h - Janaína Overdrive (2016), de Mozart Freire, 19 min, 16 anos + Uma História de Amor e Fúria (2013), de Luiz Bolognesi, 74 min, 14 anos
18h30 - Loop (2002), de Carlos Gregório, 6 min, Livre + Quem é Beta? (1973), de Nelson Pereira dos Santos, 85 min, 12 anos

13 de setembro (quinta-feira)
14h - Personal Vivator (2014), de Sabrina Fidalgo, 20 min, 12 anos + Branco Sai, Preto Fica (2014), de Adirley Queirós, 93 min, 12 anos
16h30 - O Quebra Cabeça de Tarik (2015), de Maria Leite, 19 min, 12 anos + Cassiopéia (1986), de Clóvis Viera, 80 min, Livre
19h - Debate Ficção Científica e Alegorias do Terceiro Mundo, com Clóvis Vieira e Sabrina Fidalgo

14 de setembro (sexta-feira)
16h - Recife Frio (2009), de Kleber Mendonça Filho, 24 min, 10 anos + Os Cosmonautas (1962), de Victor Lima, 90 min, Livre
18h30 - Bahia Sci-Fi (2015), de Petrus Pires, 32 min, Livre + Abrigo Nuclear (1982), de Roberto Pires, 86 min, 10 anos
 
15 de setembro (sábado)
16h - Ultravioleta (2018), de Dhiones do Congo, 12 min, Livre + Oceano Atlantis (1993), de Francisco de Paula, 80 min, Livre
18h30 – Barbosa (1988), de Jorge Furtado e Ana Luiza Azevedo, 13 min, Livre + O Homem do Futuro (2011), de Cláudio Torres, 106 min, 12 anos

16 de setembro (domingo)
16h - Tempo Real (2010), de Mino Barros Reis e Joana Limaverde, 10 min, Livre + A repartição do tempo (2016), de Santiago Dellape, 100 min, 16 anos
18h30 - Master Blaster – Uma aventura de Hans Lucas na nebulosa 2907N (2013), de Raul Arthuso, 19 min, Livre + Etéia, a Extraterrestre em sua Aventura no Rio (1983), de Roberto Mauro, 94 min, 14 anos
 
Lista de filmes:

*Longas-metragens

Branco Sai, Preto Fica
Direção: Adirley Queirós
Duração: 1h33m
Ano: 2014
Classificação indicativa: 12 anos
Sinopse: Tiros em um baile de black music na periferia de Brasília ferem dois homens, que ficam marcados para sempre. Um terceiro vem do futuro para investigar o acontecido e provar que a culpa é da sociedade repressiva.
 
Os Cosmonautas
Direção: Victor Lima
Duração: 1h30 min
Ano: 1962
Classificação indicativa: livre
Sinopse: O programa espacial brasileiro lança o foguete "Nacionalista I" de Cabo Carnaval com o orangotango Frederico a bordo. Com o retorno do animal vivo, o professor Inácio - principal cientista do programa espacial - começa a trabalhar no lançamento do foguete "Nacionalista 2", que deverá levar dois seres humanos para a Lua. Ele chama Zenóbio, o chefe do FBI - Federação Brasileira de Investigações - e o incumbe de trazer dois homens capacitados. Durante o árduo treinamento, Zeca planeja roubar o dinheiro do cofre da base, enquanto Gagarino conhece uma moça alienígena chamada Crinidis que tem um plano que envolve outro aparelho do Professor Inácio: uma bomba de cobalto de 400 megatons.
 
Cassiopéia
Direção: Clóvis Viera
Duração: 1h20 min
Ano: 1986
Classificação indicativa: livre
Sinopse: O filme conta a história do planeta Ateneia, localizado na constelação de Cassiopeia, atacado por invasores do espaço que começam a sugar sua energia vital. Um sinal de socorro é enviado para o espaço sideral pela astrônoma local, Liza, e recebido por quatro heróis que viajam através da galáxia para salvar o planeta. A ambientação sugere um ambiente completamente tomado pela artificialidade. Numa primeira análise, pode-se pensar que é uma ideia rasa, mas o formato da resposta ao ataque do "predador gigante" evidencia uma abordagem biológica no roteiro, como se os habitantes liberassem "anticorpos" ou "substâncias" encapsuladas para defesa a partir de armazéns de emergência, contrastando com o formato estadunidense, que evidentemente escolheria o míssil.
 
Uma História de Amor e Fúria
Direção: Luiz Bolognesi
Duração: 1h15 min
Ano: 2013
Classificação indicativa: 14 anos
Sinopse: A trama situa-se em quatro datas na história do Brasil: 1500, quando o país foi descoberto pelos exploradores portugueses, 1800, em eventos durante a escravidão; 1970, durante o ponto alto da ditadura, e no futuro, em 2096, quando haverá uma guerra sobre a água. O filme narra o amor entre Janaína (Camila Pitanga) e guerreiro nativo (Selton Mello) que, quando morrer, terá a forma de um pássaro. Durante seis séculos, a história do casal sobrevive através desses quatro estágios na história do Brasil.
 
Abrigo Nuclear
Direção: Roberto Pires
Duração: 1h26m
Ano: 1982
Classificação indicativa: 10 anos
Sinopse: Para preservar a espécie humana da radiação ionizante, a população é alocada em um abrigo subterrâneo. Chefiados sob forte regime pela Comandante Avo (Conceição Senna) e seus fieis, a geóloga Lix (Norma Bengell) e um grupo de habitantes desenvolvem um projeto que permitirá o retorno da raça humana à superfície e a libertação do controle de Avo.
 
Oceano Atlantis
Direção: Francisco de Paula
Duração: 1h20m
Ano: 1993
Classificação indicativa: livre
Sinopse: No que restou da baía de Guanabara, estão os sobreviventes de um maremoto que varreu do mapa a cidade do Rio de Janeiro. Só uma coisa faz sentido na terra inundada: comida. Muitos homens têm sido sacrificados por causa da fome. Os alimentos são rigorosamente racionados pelo poder da Marinha, que decretou o final dos sacrifícios de animais, exceto algumas espécies de cachorros comestíveis.
 
Quem é Beta? 
Direção: Nelson Pereira dos Santos
Duração: 1h25m
Ano: 1973
Classificação indicativa: 12 anos
Sinopse: Um casal vive uma estranha e indecifrável aventura, mesclado de drama e comédia, em lugar e época indeterminados, após uma catástrofe que modificou o estado natural do mundo e destruiu até o último vestígio a sociedade humana.
 
A Repartição do Tempo
Direção: Santiago Dellape
Duração: 1h40min
Ano: 2016
Classificação indicativa: 16 anos
Sinopse: O chefe de uma repartição pública organiza uma viagem no tempo. Um cientista registra a patente de uma máquina do tempo, e o chefe do departamento vê a oportunidade de usar o invento para aprisionar os empregados no porão e obrigá-los a trabalhar.
 
O Homem que Comprou o Mundo
Direção: Eduardo Coutinho
Duração: 1h30m
Ano: 1968
Classificação indicativa: 14 anos
Sinopse: Um homem tenta ingenuamente descontar um cheque que recebeu de um misterioso hindu, no valor de dez trilhões de dólares, abalando a economia no país e no mundo.
 
Eteia, a Extraterrestre em sua Aventura no Rio
Direção: Roberto Mauro
Duração: 1h34m
Ano: 1983
Classificação indicativa: 14 anos
Sinopse: Lançado apenas um ano após a estreia do filme E.T., de Steven Spielberg, esta paródia brasileira narra a história da namorada do alien que, procurando seu amor, perde o controle de sua nave espacial e acaba perdida no Rio de Janeiro, criando grandes confusões.
 
O Monstro Legume do Espaço
Direção: Petter Baiestorf
Duração: 1h17 min
Ano: 1995
Classificação indicativa: 16 anos
Sinopse: Cientista terráqueo captura um alienígena que é constituído de tecido vegetal e tenta realizar experiências com o estranho ser em seu laboratório clandestino. O Monstro Legume, como passa a ser chamado, se revela uma criatura de extraordinária inteligência e, com ajuda de Caquinha, foge do laboratório passando a aniquilar todos que cruzam seu caminho.
 
O Homem do Futuro
Direção: Cláudio Torres
Duração: 1h46m
Ano: 2011
Classificação Indicativa: 12 anos
Sinopse: Zero é um cientista brilhante, mas infelizmente perdeu Helena, o amor da sua vida, 20 anos atrás durante uma humilhação pública na época da faculdade. Em uma falha acidental com uma de suas invenções, ele viaja no tempo exatamente para o dia em que essa humilhação pública aconteceu.
 
 
*Curtas-metragens
 
Tempo Real
Direção: Mino Barros Reis e Joana Limaverde
Duração: 9m29s
Ano: 2010
Classificação indicativa: livre
Sinopse: Quando o tempo é a única saída.
 
 
Barbosa
Direção: Jorge Furtado e Ana Luiza Azevedo
Duração: 13 min
Ano: 1988
Classificação indicativa: livre
Sinopse: Trinta e oito anos depois da Copa do Mundo de 1950, um homem volta no tempo a fim de impedir o gol que derrotou o Brasil, destruiu seus sonhos de infância e acabou com a carreira do goleiro Barbosa.
 
Loop
Direção: Carlos Gregório
Duração: 6 min
Ano: 2002
Classificação indicativa: livre
Sinopse: Um cientista, obcecado pela ideia de reconstruir seu passado, inventa uma máquina do tempo. Momentos antes do teste final, ele reflete sobre sua vida e as inquietações que o levaram àquela experiência.
 
Recife Frio
Direção: Kleber Mendonça Filho
Duração: 24 min
Ano: 2009
Classificação indicativa: 10 anos
Sinopse: A cidade brasileira de Recife, que já foi tropical, agora é fria, chuvosa e triste, depois de passar por uma desconhecida mudança climática.
 
Janaína Overdrive
Direção: Mozart Freire
Duração: 19 min
Ano: 2016
Classificação indicativa: 16 anos
Sinopse: Janaína é uma transciborgue com funções sexuais que está prestes a ser substituída pela nova tecnologia da corporação. Para não ser exterminada, ela realiza uma fuga pela periferia de Fortalthec, buscando um terminal pirata, na tentativa de transferir seus dados para o ciberespaço.

Ultravioleta
Direção: Dhiones do Congo
Duração: 12 min
Ano: 2018
Classificação indicativa: livre
Sinopse: É chegado o tempo em que a terra encontra-se em um estado extremo. Num lugar isolado e subterrâneo, uma família resiste.

À Margem do Universo
Direção: Tiago Esmeraldo
Duração: 18 min
Ano: 2017
Classificação indicativa: livre
Sinopse: Dois seres alienígenas desembarcam na Terra para uma pretensa investigação espacial, mas, na verdade, quem são observados e estudados são eles. Ao final, eles terão uma grande surpresa.

Personal Vivator
Direção: Sabrina Fidalgo
Duração: 20 min
Ano: 2014
Classificação indicativa: 12 anos
Sinopse: Rutger (Fabricio Boliveira) é um ser extraterrestre que tem a missão de passar 72 horas na Terra para pesquisar o comportamento humano. De modo a evitar qualquer suspeita, ele se disfarça de "documentarista" e escolhe a cidade do Rio de Janeiro para iniciar a sua pesquisa. 
 
Capitão Eléctron Contra a Ameaça Venusiana
Direção: Dário R. C. Castro, Edmundo G. Barreiros, Humberto Pereira e Marcello Monteiro
Duração: 16 min
Ano: 1986
Classificação indicativa: livre
Sinopse: Terra, 1997: um maligno ser do espaço sideral ameaça nosso planeta e só quem pode detê-lo é o super-herói atômico Capitão Eléctron!
 
O Quebra-Cabeça de Tarik
Direção: Maria Leite
Duração: 19 min
Ano: 2015
Classificação indicativa: 12 anos
Sinopse: O cientista Tarik está bem velho, mas nem cogita a possibilidade de morrer. Se partes do seu corpo já não resistem ao tempo, ele adapta máquinas que as substituem. Em seu laboratório subterrâneo, Tarik se prepara para receber a peça fundamental do seu grande projeto de vida. 
 
Bahia Sci-Fi
Direção: Petrus Pires
Duração: 32 min
Ano: 2015
Classificação indicativa: livre
Sinopse: O filme traz os bastidores da gravação do clássico de ficção científica "Abrigo Nuclear", dirigido por Roberto Pires. Dentre os assuntos abordados, destacam-se cenografia, roteiro, elenco e trilha sonora.
 
Master Blaster - Uma Aventura de Hans Lucas na Nebulosa 2907N
Direção: Raul Arthuso
Duração: 19 min
Ano: 2013
Classificação indicativa: livre
Sinopse: Um estranho fenômeno astronômico atingiu a nebulosa 2907N. O agente intergaláctico Hans Lucas é enviado para investigar o evento, que mudou os hábitos da população local. 
 
Serviço:
Mostra Sci-Fi Brasil – Eles estão entre nós
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 1 (Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro - Metrô e VLT: Estação Carioca)
Data: 4 a 16 de setembro de 2018 (terça-feira a domingo)
Horários: Consultar programação
Informações: (21) 3980-3815
Ingressos: R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia.
Bilheteria: terça-feira a domingo, das 13h às 20h
Duração: Consultar programação
Capacidade: 78 lugares (mais 3 para cadeirantes)
Classificação Indicativa: Consultar programação
Realização: Boulevard Filmes
Site da mostra: www.mostrascifibrasil.com.br
Facebook: www.facebook.com/boulevardfilmes
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: CAIXA e Governo Federal

 
'HISTÓRIAS QUE NOSSO CINEMA (NÃO) CONTAVA' ESTREIA DIA 23 DE AGOSTO


Ficha Técnica

DIREÇÃO E CONCEPÇÃO:  Fernanda Pessoa
PRODUÇÃO: Julia Borges Araña, Alice Riff e Fernanda Pessoa
SOM: Érico Theobaldo e Ignácio Sodré (Coletiva Produtora)
MONTAGEM: Luiz Cruz
SOUND DESIGN E MIXAGEM: Érico Theobaldo (Coletiva Produtora)
FINALIZAÇÃO: Quanta Post
PRODUTORA: Pessoa Produções
COPRODUTORA: Studio Riff

Lista de Festivais e Prêmios

Prêmios

Festival de Cine Lima Independiente:
Menção Honrosa na Competitiva Iberoamérica Ahora
Semana (ex-Semana dos Realizadores):
Melhor Filme pelo Júri da Crítica
Semana (ex-Semana dos Realizadores):
Prêmio IndieLisboa
Festival Pachamama Cinema de Fronteira:
Melhor Filme
Festival de Caruaru:
Melhor Roteiro
Femcine:
Menção do Juri

Festivais

20a Mostra de Tiradentes (Mostra Aurora)
19th Thessaloniki Documentary Festival (Competição Internacional)
29e Cinélatino Rencontres de Toulouse (Competição de documentário)
Festival du Nouveau Cinéma (Competitiva Panorama International)
DocLisboa (sessão Heart Beat)
Pirenópolis Doc (Mostra competitiva nacional)
Mostra CineBH (Diálogos Históricos)
Festival de Brasília (Mostra 50 anos em 5 (dias) - Registros de uma história)
Festival de Cine Lima Independiente (Competitiva Iberoamérica Ahora)
3 Margens: Festival Latino-Americano de Cinema
Festival Brésil en Mouvements
Semana dos Realizadores (Mostra competitiva)
Festival de Caruaru (Mostra Competitiva)
Panorama Internacional Coisa de Cinema (Panorama Brasil)
Festival Pachamama Cinema de Fronteira (Mostra Competitiva)
Festival Internacional de Cinema da Fronteira (Mostra Competitiva)
22nd International Film Festival of Kerala (Focus Brazil)
Femcine 8 (Competição internacional)
Beldocs International Documentary Festival do Belgrade
Mostra Internacional de Cinema de São Luis (Mostra Competitiva)
Semana de Cinema Brasileiro da Cinemateca de Bogotá
Festivais Confirmados (2018)
Festival de Cine Radical (Bolivia)
Corriente:Encuentro Latinoamericano de Cine de No Ficción (Peru)
Women Make Waves Film Festival (Taiwan)
 

Sobre a Diretora

www.pessoafernanda.com
www.historiasquenossocinema.com

Cineasta e artista visual, Fernanda Pessoa trabalha principalmente com cinema documental e videoinstalações. Vive e trabalha em São Paulo, e morou no Arizona, em Buenos Aires e em Paris, onde realizou seu mestrado em Audiovisual na Sorbonne Nouvelle. Dirigiu curtas com exibições internacionais e realizou exposições individuais e coletivas. Em 2016, realizou no MIS-SP a videoinstalação Prazeres Proibidos, sobre a censura aos filmes de pornochanchada durante o regime militar.Em 2017, finalizou seu primeiro longa documental, “Histórias que nosso cinema (não) contava”, exibido em mais de 20 festivais nacionais e internacionais e ganhador de seis prêmios. Atualmente, finaliza seu segundo longa documental, “Zona Árida” e trabalha em um projeto selecionado para a Residência Labmis.


Produtoras

Pessoa Produções é uma produtora paulista focada em cinema, vídeo e videoinstalações. Fundada em 2014 pela diretora e produtora Fernanda Pessoa, produziu quatro curtas, exibidos em festivais nacionais e internacionais, como Mostra de Tiradentes, Close, Super off – Festival Internacional de Super 8 e Santo Domingo Outfest, além de video-clipes para cantores e bandas, como Tatá Aeroplano e Bruna Caram. "Histórias que nosso cinema (não) contava" é sua primeira produção de longa-metragem.

Studio Riff  é uma jovem produtora audiovisual brasileira com foco em documentário, que tem se destacado pela qualidade de seus trabalhos. Seus conteúdos para Cinema, TV e internet tem ganhado destaque, participando de importantes festivais nacionais e internacionais e recebendo prêmios. Produziu o longa metragem documental “Meu corpo é político”, que estreou no festival Visions du Reel, na Suíça, e foi selecionado nos festivais BAFICI, Olhar Internacional de Cinema de Curitiba e Torino LGBT Filme Fest.Trabalhos como “Orquestra Invisível Let’s Dance”, “100% Boliviano, Mano”, “Cidade Improvisada”, “Como se fosse da família” e “Dr. Melgaço” são algumas das produções da produtora que discutem questões sociais contemporâneas trazendo reflexão crítica e com forte potencial de diálogo com o público.

 

BOULEVARD FILMES

A Boulevard Filmes é uma produtora e distribuidora audiovisual que busca o equilíbrio entre projetos autorais e demandas de mercado, focando em estratégias de produção e de distribuição compatíveis com cada projeto, tanto para cinema, quanto para TV e novas mídias. Entre os filmes produzidos pela Boulevard estão os longas de ficção “Amor, Plástico e Barulho”, de Renata Pinheiro, “Açúcar”, de Sergio Oliveira e Renata Pinheiro e “Uma Viagem Inesperada”, de Juan José Jusid,  além dos documentários “Glauco do Brasil” e “Grupo de Bagé”, de Zeca Brito, e o telefilme “Guigo Offline”, de René Guerra. Como distribuidora, lançou ainda os documentários “Sobre Sete Ondas Verdes Espumantes”, de Bruno Polidoro e Cacá Nazário, “Meia Hora e as Manchetes que Viram Manchete”, de Angelo Defanti e “Filme Sobre um Bom Fim”, de Boca Migotto.