Postagens com tags Residência Base
RESIDÊNCIA BASE anuncia projetos selecionados

RESIDÊNCIA BASE” ANUNCIA PROJETOS SELECIONADOS 

Programa promove a novos roteiristas uma imersão criativa para o desenvolvimento de roteiros cinematográficos  

A RESIDÊNCIA BASE acaba de divulgar os sete projetos selecionados para participar da segunda edição, que acontece de 5 a 11 de agosto. Realizado por Esmir Filho, Fernando Sapelli, Mariana Bastos e Thereza Menezes, o programa gratuito proporciona uma semana de imersão aos participantes, em um espaço de inspiração e em contato com a natureza, ampliando a experiência criativa. Desta forma, contribui para o desenvolvimento de roteiros cinematográficos dando oportunidade a novos talentos

Nesta edição, os roteiristas selecionados ficarão hospedados na Pousada Fazenda Maristela (Tremembé), trabalhando em seus projetos com a consultoria do cineasta Fabio Meira (As Duas Irenes, Bingo). Também receberão convidados como os roteiristas Bráulio Mantovani (Cidade de Deus, Tropa de Elite 2) e Carolina Kotscho (2 Filhos de Francisco, Quebrando o Tabu), que dividirão suas experiências com os participantes.

Confira os selecionados:

A SANTA, de Henrique dos Santos
Ficção, Roteiro
Em 1923, numa pequena vila de imigrantes poloneses, um rejeitado padre negro recém-chegado galga sua posição de líder religioso ocupada pela misteriosa Cecília, espírito de uma jovem morta supostamente reencarnada no irmão. Para o padre, uma entidade demoníaca.

BARRA AZUL, de Susan Kalik
Ficção, Argumento
Dois irmãos quebram leis para presentear a mãe com um banho de piscina no Barra Azul.

CAUDAL, de Gil Chagas e Chris Agnese
Ficção, Argumento
Dos campos de mandioca na Amazônia aos campos de futebol em Portugal, uma história de exploração cíclica em que todos são vítimas.

COMO É QUE É? E TEM SACI COM MAIS DE UM PÉ?, de Belise Mofeoli
Animação, Argumento
O príncipe Sacícero Sacilva tem sua legitimidade ao trono da Sacilândia questionada por ter nascido com uma deficiência – ele tem DUAS pernas – e, para provar que pode muito mais do que esperam dele, o jovem saci sai de seu mundo e cai no nosso, onde conhece e se apaixona por Cecília, uma menina per-fe-i- taaaa: ela tem UMA perna!

O CRIME DO IGUAÇU, de Nina Rosa Sá
Argumento
A história real de uma jornalista que investiga um crime de feminicídio numa cidade do interior nos anos 50, irritando a elite local ao produzir uma rádio novela de denúncia.

PAPAGAIOS, de Douglas Soares
Ficção, Roteiro
Curicica, periferia do Rio de Janeiro. Beto e Maninho, dois "papagaios de pirata" da imprensa carioca, usam de diversos artifícios para se tornarem cada vez mais famosos em sua localidade. Um novo e violento plano pode levá-los às manchetes dos principais jornais do país.

SOJA, de Renan Braga
Ficção, Roteiro
Um tímido garoto de 7 anos é adotado por uma família de agricultores justo na época em que uma praga misteriosa atinge a lavoura de seus pais.

A RESIDÊNCIA BASE é um programa realizado com patrocínio do UOL e apoio da Pousada Fazenda Maristela. Dentre os projetos selecionados para a primeira edição, realizada em 2013, destacam-se “Para Minha Amada Morta”, de Aly Muritiba, e “Pela Janela”, de Caroline Leone. Para saber mais sobre a primeira edição: https://vimeo.com/74461065

SOBRE OS ROTEIRISTAS SELECIONADOS

Belise Mofeoli
Belise Mofeoli é escritora. Roteirizou para os programas “Cena Inquieta” (Sesc TV) e “Desaparecidos” (A&E), para conteúdos educativos no projeto “A Física e o cotidiano” (Governo do Estado da Bahia) e fez transmedia. Com seu projeto de animação “Como é que é? E tem saci com mais de um pé”, cujo argumento a trouxe à Residência Base, ganhou o Edital de Desenvolvimento de Roteiro Audiovisual de Longas-Metragens de 2018. Será seu primeiro longa-metragem, que já tem produtora, a Muiraquitã Filmes. Formada em Publicidade e Propaganda pela PUC-SP, tem quatro livros publicados – “João e Maria no Spa da Tia Sofia” (qualidade de vida); “Ioiô” (adoção, crianças adotadas e devolvidas); “O Mistério da Semente” (pedofilia) e “Quando mamãe adoeceu” (câncer de mama). Também participou da “Pesquisa Associativismo, Representação de Interesses e Camadas Populares. Comparações entre Latino-América e Índia” desenvolvida entre Brasil (CEBRAP) e Inglaterra (IDS). Recentemente, está aprendiz de dramaturgia na SP Escola de Teatro. É e será sempre uma estudante de audiovisual, de teatro, de literatura, de acessibilidade, das pessoas e da poesia que há nas relações humanas. É da mistura de amor e dedicação a estas áreas, que cria sua arte, seu trabalho. E é com ele que homenageia raízes e culturas.

Douglas Soares
Douglas Soares é roteirista e diretor formado pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Na TV, foi corroteirista dos 46 episódios de "Noturnas", série LGBTQ+ exibida no Canal Brasil e dirigida por Allan Ribeiro. No cinema, é roteirista dos longas-metragens "Papagaios", em desenvolvimento no núcleo de novos autores da GLAZ Entretenimento; "Mais do Que Eu Possa Me Reconhecer", vencedor do Prêmio Aurora da 18ª Mostra de Cinema de Tiradentes; e "Xale", que teve estreia na Mostra Novos Rumos do Festival do Rio 2016. Também escreveu diversos curtas-metragens, entre eles: "A Alma das Coisas" (WIP); "O Clube" (2014); "Com Vista Para o Céu" (2011); "Depois das Nove" (2008); “Minha Tia, Meu Primo” (2008); além dos prêmios de melhor roteiro para as obras "Inocentes" (2017), "Contos da Maré" (2013) e "A Dama do Peixoto" (2011).

Gil Chagas e Chris Agnese
Chris Agnese e Gil Chagas são uma dupla de diretores e roteiristas. Chris, carioca, formada em cinema, Gil, português, formado em Sociologia. Estudaram roteiro na Guionarte, em Buenos Aires e na B_Arco em São Paulo e Chris estudou cinematografia nos Maine Workshops, nos EUA. Entre eles já trabalharam em Lisboa, Buenos Aires, Luanda, Maputo, Rio de Janeiro e São Paulo dirigido para TV e internet e desenvolvendo uma extensa carreira de assistentes de direção em séries e cinema. Juntos escreveram e dirigiram o curta metragem documental "Jegues" que passou em dezenas de festivais por todo o mundo e ganhou o prémio de melhor fotografia no CineAmazonia 2017.

Henrique dos Santos
Henrique Santos formou-se em cinema pela UNESPAR no Paraná em 2016 e atua como roteirista desde então. De lá pra cá participou de diversos laboratórios e concursos com destaque para uma semifinal e duas finais consecutivas no FRAPA – Festival de Roteiro Audiovisual de Porto Alegre – e o prêmio de Melhor Roteiro para Curta-metragem do ROTA (RJ) em 2017 por “O Casamento de Cristina”. Corroteirizou a minissérie “Nóis por Nóis” ao lado de Jandir Santin e Aly Muritiba, ao ar pela TV Brasil em novembro de 2017 e com uma versão para longa-metragem com lançamento comercial previsto para o segundo semestre de 2019. Em parceria com Muritiba, escreveu também o roteiro de seu primeiro longa, “Deserto Particular”, selecionado para o Venice Gap, plataforma de negócios do 75° Festival de Cinema de Veneza, e contemplado em edital do FSA. Para além dos trabalhos com a escrita, foi curador do concurso de roteiros da segunda edição do festival ROTA (2018) e consultor na área de roteiro para os laboratórios MetrôLab (duas edições) e o GrafoLab em Curitiba. Atualmente é mestrando na área de Cinema e Vídeo onde se dedica à pesquisa sobre representações da masculinidade negra, além de trabalhar no desenvolvimento de séries. “A Santa” é seu segundo roteiro para longa-metragem e contará com direção de Aly Muritiba e produção da Grafo Audiovisual.

Nina Rosa Sá
Nina Rosa Sá escreve para teatro, cinema e televisão. Em julho de 2019 teve o piloto da série Antes do Fim na lista de semifinalistas do Prêmio Cabíria de Roteiro. Neste mesmo ano aprovou o projeto de desenvolvimento do longa Os Cães lá de Fora no edital da Fundação Cultural de Curitiba. Entre 2017 e 2018 roteirizou e dirigiu três episódios da websérie ENCONTROS. Em 2016 participou do GloboLab, em que ficou entre os finalistas. Também integrou a equipe de criação do programa de Pedro Bial. Nos últimos quinze anos escreveu e dirigiu mais de 15 espetáculos teatrais.

Renan Braga
Diretor de cinema formado pela Escola Internacional de Cuba (EICTV). É natural de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Faz parte do movimento artístico neoantropofágico latino-americano.

Susan Kalil
Diretora, roteirista e produtora. Vinte anos trabalhando com teatro e dez anos com audiovisual, ambos como diretora e produtora. Nos últimos dois anos, vem se especializando em roteiro. Seu roteiro de longa-metragem Lafond, produzido através da seleção no Edital de Novos Roteiristas do MINC 2017, foi um dos 10 finalistas do FRAPA 2019. Seu primeiro longa Cores e Flores para Tita, sobre a transgeneridade, foi Melhor Roteiro na Mostra SESC de Cinema Bahia 2017, e licenciado para a Mostra SESC Nacional. Do que aprendi com minhas mais velhas, seu último filme, sobre como surge a fé no Candomblé, foi escolhido como um dos dez filmes para representar o Brasil na Rede de Salas Digitais do MERCOSUL 2019. Sua última produção, como diretora assistente e produtora executiva, Bando, um filme de, foi Melhor Longa Baiano no Panorama Internacional Coisa de Cinema 2018. Há dez anos é produtora e integrante do Núcleo Afro-brasileiro de Teatro de Alagoinhas, que pesquisa o Candomblé como discurso e estética teatral.


SOBRE OS REALIZADORES

Esmir Filho
Esmir Filho é formado em cinema e fundou a Saliva Shots em 2011. Nela participou da criação e direção geral de diversas obras em vários formatos – videoclipe, televisão, teatro, instalações e cinema. Seu longa “Os Famosos e os Duendes da Morte”, distribuído pela Warner Bros. no Brasil, foi selecionado pelos festivais de Berlim e Locarno e vendido para mais de 5 países, além de ter ganhado o prêmio de melhor filme no Festival do Rio. Seu curta “Alguma Coisa Assim” foi premiado no Festival de Cannes em 2006, enquanto “Saliva” esteve na corrida pela vaga no Oscar de 2008. Em 2016 realizou seu segundo longa com Mariana Bastos, uma coprodução Brasil e Alemanha, também premiada no Festival do Rio. Atualmente prepara-se para lançar “Verlust - Estado de Praia”, seu terceiro longa, uma coprodução Brasil e Uruguai, em conjunto com a Globo Filmes.

Fernando Sapelli
Fernando Sapelli é formado em Cinema e Novas Mídias, assim como artes dramáticas, pela Universidade da Califórnia, Santa Barbara. Em Los Angeles trabalhou na produtora Appian Way, do ator Leonardo Di Caprio, e na Sony Pictures Television. Em 2010, Fernando iniciou o projeto People of Change, focado na documentação do trabalho de organizações de impacto, e seus esforços para mudar a sociedade positivamente, em mais de 15 países. Em 2014, fundou a produtora Claraluz Filmes, por meio da qual produziu os longas-metragens "Exodus - De Onde Eu Vim Não Existe Mais" (2016), em coprodução com O2 Filmes, com estreia na Mostra Internacional de São Paulo, e "Alguma Coisa Assim" (2017), com estreia no Festival do Rio, onde recebeu o prêmio de melhor edição. Também já produziu séries de televisão, como "Filosofia Pop (Segunda Temporada)" (2019) e conteúdo seriado para empresas como TAP Airlines e Google.

Mariana Bastos
Atualmente trabalha no desenvolvimento de seu segundo longa-metragem, "Raquel 1,1", um suspense bíblico pop produzido pela Claraluz Filmes.
Escreveu e dirigiu seu primeiro longa-metragem "Alguma Coisa Assim", uma coprodução Brasil - Alemanha, ao lado de Esmir Filho, a partir do curta homônimo premiado no Festival de Cannes.
Roteirizou e assumiu a Direção Geral da série de doc-reality "Expedição Xingu", para a Rede Globo - Fantástico. Trabalhou para grandes produtoras e emissoras do Brasil como Paranoid BR, Barry Company, Globomedia, Saliva Shots, Rede Globo, GNT, Sony, entre outras.
Foi roteirista da série "Tudo o que é Sólido Pode Derreter", da TV Cultura. Venceu por duas vezes o concurso de roteiros do Festival Cultura Inglesa, o que lhe permitiu realizar curtas-metragens (“Perto de Qualquer Lugar”, em 2007, e “Sete Anos Depois”, em 2014) premiados em vários festivais nacionais e internacionais.
É uma das autoras do hit da internet "Tapa na Pantera", com mais de 10 milhões de acessos no Youtube.

Thereza Menezes
Dirigiu o curta-metragem documental SABA, juntamente à Gregório Graziosi, que entrou na seleção do Cinefondation da 60a edição do Festival de Cannes. Trabalhou como editora e produtora durante alguns anos até entrar como sócia na produtora Saliva Shots e trabalhar como produtora executiva de diversos projetos, entre eles, os programas de TV, videoclipes e longas-metragens.
Como produtora executiva, lançou dois longas-metragens – “Eu Nunca”, dirigido por Kauê Telloli, e “Alguma Coisa Assim”, dirigido por Esmir Filho e Mariana Bastos – além de diversos programas de televisão para GNT e SESCTV.
Atualmente, está em pós-produção de seu terceiro longa-metragem pela Saliva Shots, “Verlust”, dirigido por Esmir Filho, com Andréa Beltrão e Marina Lima.
Em 2016, juntou-se à Mariana Bastos para montar o Bloco Pagu que hoje é um dos maiores blocos da cidade.


SOBRE O CONSULTOR

Fabio Meira
Roteirista e diretor, Fabio Meira começou no cinema como assistente de Ruy Guerra em "Veneno da Madrugada" de 2004. “As Duas Irenes”, seu primeiro longa como diretor, estreou no Festival de Berlim e recebeu quatro Kikitos no Festival de Gramado, entre eles o de Melhor Roteiro e Melhor Filme pela crítica. Fabio tem especialização em roteiro na ESCAC em Barcelona e é Mestre pela Universidade de São Paulo. Como professor atuou em instituições como Escola de Cinema e Vídeo de Santo André, Inspiratorium, Academia Internacional de Cinema, além da rede Sesc e da Escola Internacional de Cinema de Cuba. Foi líder de um Núcleo Criativo e consultor de roteiro para eventos do Festival Latino de SP e para o Laboratório Novas Histórias.
Foi também roteirista do documentário cubano “The Illusion” (2009), premiado na Berlinale e nos Festivais de Chicago e Havana, e do longa “De Menor”, de Caru Alves de Souza, Melhor Filme no Festival do Rio de 2013. Trabalhou no roteiro de “Bingo, o rei das manhãs”, de Daniel Rezende, escolhido como o representante brasileiro para vagas no Oscar e nos prêmios Goya. Também atuou em roteiros para Marcelo Lordello, Sérgio Machado, René Sampaio, Marcelo Gomes e Karim Aïnouz.
Entre curtas e médias-metragens, Fabio Meira realizou nove filmes. Recebeu prêmio de Melhor Documentário de 2007 pela UNEAC (União dos escritores e artistas de Cuba) com “Adios a Cuba”, Melhor Curta Documentário pela ABD no É Tudo Verdade de 2010 com “Hoje tem alegria”, destaque também para “Pátria” de 2013, na programação da ESPN Brasil, além do prêmio de Melhor Curta-metragem no Festival de Toulouse de 2009 com a ficção em 35mm “Atlântico”.

logo_residenciabase.png
2ª EDIÇÃO  5 a 11 de AGOSTO  www.residenciabase.com

2ª EDIÇÃO

5 a 11 de AGOSTO

www.residenciabase.com

2ª edição da RESIDÊNCIA BASE

INSCRIÇÕES PARA SEGUNDA EDIÇÃO DA “RESIDÊNCIA BASE” COMEÇAM EM 3 DE JUNHO

Programa tem como objetivo promover uma imersão criativa para o desenvolvimento de roteiros cinematográficos, dando visibilidade a novos talentos.

residencia.jpg

RESIDÊNCIA BASE surgiu a partir da inspiração dos realizadores Esmir Filho, Mariana Bastos e Thereza Menezes em residências artísticas internacionais. Ao proporcionar uma semana de imersão aos participantes, em um espaço de inspiração e em contato com a natureza, amplia-se a experiência criativa.   

O programa gratuito, que estimula o diálogo entre roteiristas promovendo rodas de conversas e consultoria especializada, tem como objetivo desenvolver roteiros cinematográficos dando oportunidade a novos talentos. Dentre os projetos selecionados para a primeira edição, realizada em 2013, destacam-se “Para Minha Amada Morta”, de Aly Muritiba, e “Pela Janela”, de Caroline Leone.  

As inscrições estão abertas de 3 a 23 de junho, exclusivamente pelo site www.residenciabase.com. Podem participar candidatos de todo o Brasil, que tenha realizado até dois filmes. Além de preencher a ficha de inscrição, é preciso enviar um argumento de longa-metragem de seis a dez páginas. As inscrições são limitadas a 400 projetos, por isso é importante que os interessados se inscrevam nos primeiros dias. Depois da análise dos inscritos por uma comissão julgadora da RESIDÊNCIA BASE, haverá uma segunda etapa de entrevistas e sete projetos – de ficção, documentário ou animação – serão selecionados.   

Nessa segunda edição da RESIDÊNCIA BASE, seis anos após a primeira, Fernando Sapelli se juntou aos realizadores. Eles explicam a motivação em continuar com o programa: “estamos vivendo um momento difícil no audiovisual e acreditamos que iniciativas que fortaleçam a base da cadeia são essenciais para a continuidade dos avanços conquistados. A experiência e resultados da primeira edição confirmam a necessidade dessas iniciativas”.  

Nesta edição, os roteiristas selecionados ficarão hospedados na Pousada Fazenda Maristela (Tremembé), de 5 a 11 de agosto, trabalhando em seus projetos com a consultoria do cineasta Fabio Meira (As Duas Irenes, Bingo). Também receberão convidados como os roteiristas Bráulio Mantovani (Cidade de Deus, Tropa de Elite 2) e Carolina Kotscho (2 Filhos de Francisco, Quebrando o Tabu), que dividirão suas experiências com os participantes.  

RESIDÊNCIA BASE é um programa realizado com patrocínio do UOL e apoio da Pousada Fazenda Maristela.   

Para saber mais sobre a primeira edição: https://vimeo.com/74461065  

SERVIÇO  
2ª edição do programa RESIDÊNCIA BASE   
Inscrições: 3 a 23 de junho  
www.residenciabase.com  
Residência Base: 5 a 11 de agosto  
Local: Fazenda Maristela (Tremembé)  
Consultor: Fabio Meira  
Convidados: Bráulio Mantovani e Carolina Kotscho  
Realizadores: Esmir Filho, Fernando Sapelli, Mariana Bastos e Thereza Menezes  

SOBRE OS REALIZADORES  

Esmir Filho  
Esmir Filho é formado em cinema e fundou a Saliva Shots em 2011. Nela participou da criação e direção geral de diversas obras em vários formatos – videoclipe, televisão, teatro, instalações e cinema. Seu longa “Os Famosos e os Duendes da Morte”, distribuído pela Warner Bros. no Brasil, foi selecionado pelos festivais de Berlim e Locarno e vendido para mais de 5 países, além de ter ganhado o prêmio de melhor filme no Festival do Rio. Seu curta “Alguma Coisa Assim” foi premiado no Festival de Cannes em 2006, enquanto “Saliva” esteve na corrida pela vaga no Oscar de 2008. Em 2016 realizou seu segundo longa com Mariana Bastos, uma coprodução Brasil e Alemanha, também premiada no Festival do Rio. Atualmente prepara-se para lançar “Verlust - Estado de Praia”, seu terceiro longa, uma coprodução Brasil e Uruguai, em conjunto com a Globo Filmes.  

Fernando Sapelli  
Fernando Sapelli é formado em Cinema e Novas Mídias, assim como artes dramáticas, pela Universidade da Califórnia, Santa Barbara. Em Los Angeles trabalhou na produtora Appian Way, do ator Leonardo Di Caprio, e na Sony Pictures Television. Em 2010, Fernando iniciou o projeto People of Change, focado na documentação do trabalho de organizações de impacto, e seus esforços para mudar a sociedade positivamente, em mais de 15 países. Em 2014, fundou a produtora Claraluz Filmes, por meio da qual produziu os longas-metragens "Exodus - De Onde Eu Vim Não Existe Mais" (2016), em coprodução com O2 Filmes, com estreia na Mostra Internacional de São Paulo, e "Alguma Coisa Assim" (2017), com estreia no Festival do Rio, onde recebeu o prêmio de melhor edição. Também já produziu séries de televisão, como "Filosofia Pop (Segunda Temporada)" (2019) e conteúdo seriado para empresas como TAP Airlines e Google.  

Mariana Bastos  
Atualmente trabalha no desenvolvimento de seu segundo longa-metragem, "Raquel 1,1", um suspense bíblico pop produzido pela Claraluz Filmes.   
Escreveu e dirigiu seu primeiro longa-metragem "Alguma Coisa Assim", uma coprodução Brasil - Alemanha, ao lado de Esmir Filho, a partir do curta homônimo premiado no Festival de Cannes.   
Roteirizou e assumiu a Direção Geral da série de doc-reality "Expedição Xingu", para a Rede Globo - Fantástico. Trabalhou para grandes produtoras e emissoras do Brasil como Paranoid BR, Barry Company, Globomedia, Saliva Shots, Rede Globo, GNT, Sony, entre outras.   
Foi roteirista da série "Tudo o que é Sólido Pode Derreter", da TV Cultura. Venceu por duas vezes o concurso de roteiros do Festival Cultura Inglesa, o que lhe permitiu realizar curtas-metragens (“Perto de Qualquer Lugar”, em 2007, e “Sete Anos Depois”, em 2014) premiados em vários festivais nacionais e internacionais.  


É uma das autoras do hit da internet "Tapa na Pantera", com mais de 10 milhões de acessos no Youtube.   

Thereza Menezes  
Dirigiu o curta-metragem documental SABA, juntamente à Gregório Graziosi, que entrou na seleção do Cinefondation da 60a edição do Festival de Cannes. Trabalhou como editora e produtora durante alguns anos até entrar como sócia na produtora Saliva Shots e trabalhar como produtora executiva de diversos projetos, entre eles, os programas de TV, videoclipes e longas-metragens. 


Como produtora executiva, lançou dois longas-metragens – “Eu Nunca”, dirigido por Kauê Telloli, e “Alguma Coisa Assim”, dirigido por Esmir Filho e Mariana Bastos – além de diversos programas de televisão para GNT e SESCTV. 


Atualmente, está em pós-produção de seu terceiro longa-metragem pela Saliva Shots, “Verlust”, dirigido por Esmir Filho, com Andréa Beltrão e Marina Lima.  
Em 2016, juntou-se à Mariana Bastos para montar o Bloco Pagu que hoje é um dos maiores blocos da cidade.  


SOBRE O CONSULTOR  

Fabio Meira  
Roteirista e diretor, Fabio Meira começou no cinema como assistente de Ruy Guerra em "Veneno da Madrugada" de 2004. “As Duas Irenes”, seu primeiro longa como diretor, estreou no Festival de Berlim e recebeu quatro Kikitos no Festival de Gramado, entre eles o de Melhor Roteiro e Melhor Filme pela crítica. Fabio tem especialização em roteiro na ESCAC em Barcelona e é Mestre pela Universidade de São Paulo. Como professor atuou em instituições como Escola de Cinema e Vídeo de Santo André, Inspiratorium, Academia Internacional de Cinema, além da rede Sesc e da Escola Internacional de Cinema de Cuba. Foi líder de um Núcleo Criativo e consultor de roteiro para eventos do Festival Latino de SP e para o Laboratório Novas Histórias. 


Foi também roteirista do documentário cubano “The Illusion” (2009), premiado na Berlinale e nos Festivais de Chicago e Havana, e do longa “De Menor”, de Caru Alves de Souza, Melhor Filme no Festival do Rio de 2013. Trabalhou no roteiro de “Bingo, o rei das manhãs”, de Daniel Rezende, escolhido como o representante brasileiro para vagas no Oscar e nos prêmios Goya. Também atuou em roteiros para Marcelo Lordello, Sérgio Machado, René Sampaio, Marcelo Gomes e Karim Aïnouz. 


Entre curtas e médias-metragens, Fabio Meira realizou nove filmes. Recebeu prêmio de Melhor Documentário de 2007 pela UNEAC (União dos escritores e artistas de Cuba) com “Adios a Cuba”, Melhor Curta Documentário pela ABD no É Tudo Verdade de 2010 com “Hoje tem alegria”, destaque também para “Pátria” de 2013, na programação da ESPN Brasil, além do prêmio de Melhor Curta-metragem no Festival de Toulouse de 2009 com a ficção em 35mm “Atlântico”.   

logo_residenciabase.png