Postagens com tags Vitrine Filmes
Começam as filmagens de ‘O LIVRO DOS PRAZERES’ dirigido por Marcela Lordy
IMG_5408.JPG

COMEÇAM AS FILMAGENS DE ‘O LIVRO DOS PRAZERES’ DIRIGIDO POR MARCELA LORDY

Longa é livremente inspirado na obra de Clarice Lispector e traz no elenco Simone Spoladore e Javier Drolas

IMG_5974.JPG

Primeiro longa de ficção da diretora Marcela Lordy, "O LIVRO DOS PRAZERES" é uma livre adaptação da obra "Uma Aprendizagem ou Livro dos Prazeres", de Clarice Lispector, uma das mais importantes escritoras em língua portuguesa do século XX. Uma coprodução Brasil-Argentina, entre bigBonsai, Cinematográfica Marcela, República Pureza, Rizoma Films e Canal Brasil, o filme traz para os tempos atuais a narrativa do livro publicado em 1969. 


O LIVRO DOS PRAZERES’ acompanha Lóri (Simone Spoladore), uma professora que vive a monotonia de uma rotina de trabalho e relacionamentos furtivos até que conhece Ulisses (Javier Drolas), um professor de filosofia argentino, egocêntrico e provocador. É com ele que Lóri aprende a amar enfrentando sua própria solidão. Uma jornada de investigação íntima e quebra de padrões, numa trajetória só possível pelo encontro, troca e aprendizado entre os dois. 


"O LIVRO DOS PRAZERES" é um romance erótico sobre o ponto de vista de uma mulher contemporânea em busca de conexões afetivas reais", coloca a diretora Marcela Lordy. "O filme surgiu da vontade de olhar mais de perto a velocidade com que as relações afetivas se formam e se desfazem nos dias de hoje. Estava morando sozinha pela primeira vez quando me deparei com Lóri e seus desafios existenciais da maturidade. Ao ler o livro, senti que havia algo sagrado ali sobre o amor que precisava ser resgatado", completa.  


"Embora escrito em 1969, esta história tem hoje um grande apelo, por ser tratar do aprendizado do amor, da lenta iniciação de uma mulher e seu amado, numa crescente onda de erotismo, quando justamente ninguém mais tem paciência para o tempo do outro e vivem-se amores supérfluos, líquidos", explica a diretora.  


No "O LIVRO DOS PRAZERES" acompanhamos Lóri em sua descoberta de si, do outro e do mundo. Um cinema da normalidade, das coisas não-extraordinárias, propondo, no entanto, um olhar extraordinário sobre o cotidiano. É preciso que ela se descubra plena para enfim reconhecer o prazer de estar com o outro e viver um amor elevado a um nível mais humano, consciente e individual. Apresentamos a possibilidade de uma relação amorosa estável desconstruindo o mito do amor romântico no qual a obrigação de fazer o outro feliz sai do cônjuge e vai para o indivíduo e suas escolhas.  


No momento em que o cinema brasileiro vive um processo de desmonte e asfixia de recursos, o filme começa a ser rodado em maio, no Rio de Janeiro, - em locações presentes no livro como a orla da praia do Leme, o MAM e a Floresta da Tijuca, - e já se torna resistência no cinema autoral. Desde a primeira versão do roteiro, o papel de Lóri já era da atriz Simone Spoladore, com quem a diretora trabalhou anteriormente no telefilme A Musa Impassível e no curta metragem Sonhos de Lulu. Já o ator argentino Javier Drolas entrou no projeto por seu talento, charme incontestável e pelo fato do "O LIVRO DOS PRAZERES" ser uma coprodução com a Argentina.  


Com roteiro da também argentina Josefina Trotta em parceria com a própria diretora Marcela Lordy e com produção de Deborah Osborn, "O LIVRO DOS PRAZERES" conta também com a produção executiva de Marcello Maia e Camila Nunes, fotografia de Mauro Pinheiro, direção de arte de Iolanda Teixeira, montagem da argentina Rosário Suárez e trilha sonora original de Edson Secco. O longa tem participação especial da artista plástica Letícia Ramos criando os intertítulos do filme, do fotógrafo Wladimir Fontes como still e do designer Júlio Dui na criação da identidade visual.  A distribuição no Brasil é da Vitrine Filmes.  


FICHA TÉCNICA


Direção: Marcela Lordy

Roteiro: Marcela Lordy e Josefina Trotta

Empresas Produtoras: bigBonsai, Cinematográfica Marcela, República Pureza e Rizoma Films

Produção: Deborah Osborn, Felipe Briso e Gilberto Topczewski

Coprodução: Hernán Musaluppi, Natacha Cervi e Marcello Maia

Produção Executiva: Camila Nunes, Marcello Maia e Rocío Scenna

Direção de Fotografia: Mauro Pinheiro Jr, ABC

Direção de Arte: Iolanda Teixeira

Trilha sonora original: Edson Secco

Direção de Som: Federico Billordo

Montagem: Rosario Suárez

Coprodução: Canal Brasil

Distribuição: Vitrine Filmes  


Elenco: Simone Spoladore, Javier Drolas, Martha Nowill, Felipe Rocha, Gabriel Stauffer e Theo Almeida

Participação Especial: Leandra Leal, Fernanda Chicolet, Ana Carbatti e Bruce Gomlevsky 

SOBRE A DIRETORA 


Marcela Lordy (1974) vive e trabalha em São Paulo, Brasil. É diretora e roteirista. Entre o cinema, as artes visuais e a televisão, seus filmes "Sonhos de Lulu" (2009), "A Musa Impassível" (2010), "Aluga-se" (2012) e "Ouvir o Rio: uma escultura sonora de Cildo Meireles" (2012) já foram programados em importantes festivais como Rencontrés de Toulouse, BAFICI, Havana, Rio, Shanghai e International Emmy Awards. Foi assistente de direção de diversos cineastas, entre eles Walter Salles, Hector Babenco, José Eduardo Belmonte e Carlos Nader. Foi júri e parte da comissão de seleção de festivais e editais e ministra cursos livres de cinema desde 2008. 


SOBRE A PRODUÇÃO 


"O LIVRO DOS PRAZERES" é uma coprodução internacional entre o Brasil e a Argentina. O filme é o primeiro longa-metragem de ficção da bigBonsai, que já possui vasta experiência na produção de documentários, conteúdo para marcas e programas de TV. A Rizoma Films é uma das mais importantes produtoras argentinas da atualidade, sendo responsável por filmes de forte repercussão internacional como "Medianeras" (Gustavo Taretto) e "Whisky" (Pablo Stoll e Juan Pablo Rebella). Já a produtora Cinematográfica Marcela foi criada pela diretora para coproduzir os filmes de sua autoria e a produtora carioca República Pureza é conhecida como uma das mais importantes produtoras de cinema autoral do país.   
O filme também conta com a coprodução do Canal Brasil. 


DISTRIBUIÇÃO / VITRINE FILMES: 


Em nove anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 130 filmes. Entre seus maiores sucessos estão "Aquarius" e "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro e o americano "Frances Ha", dirigido por Noah Baumbach, indicado ao Globo de Ouro. Mais recentemente a distribuidora lançou "O Filme da Minha Vida", terceiro longa como diretor de Selton Mello, e "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal, o documentário mais visto no ano.  


No ano passado, alguns dos mais importantes lançamentos da Vitrine foram "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional, "Benzinho", dirigido por Gustavo Pizzi e protagonizado por Karine Teles, exibido no Festival de Sundance e "Uma Noite de 12 Anos", exibido no Festival de Veneza.  
Em 2019 a Vitrine Filmes fará sessões especiais em cinemas brasileiros de "Roma", dirigido por Alfonso Cuarón e vencedor de dois Globos de Ouro. Entre os lançamentos do ano estão "Divino Amor", dirigido por Gabriel Mascaro e com Dira Paes no elenco, "Bacurau", novo filme do diretor Kleber Mendonça Filho, com Sonia Braga, Karine Teles, Udo Kier e Silvero Pereira e "Pedro" novo longa da diretora Laís Bodanzky, produzido e protagonizado por Cauã Reymond.  
Além disso a Vitrine Filmes segue pelo terceiro ano consecutivo com o projeto de distribuição coletiva de filmes Sessão Vitrine, que durante o ano todo irá lançar 10 longas nacionais em mais de 25 cidades do Brasil.   

‘MORMAÇO’, dirigido por Marina Meliande estreia dia 9 de maio

APÓS PARTICIPAR DE DEZENAS DE FESTIVAIS, ‘MORMAÇO’, DE MARINA MELIANDE, GANHA DATA DE ESTREIA: 9 DE MAIO

Longa foi exibido em Roterdã, Gramado, Festival do Rio e Mostra de Cinema de São Paulo 

Sinopse:  

Rio de Janeiro, 2016. O verão mais quente da história. A cidade está se preparando para os Jogos Olímpicos. Ana, uma defensora pública de 32 anos, trabalha na defesa de uma comunidade ameaçada de remoção pelas obras do Parque Olímpico. Enquanto isso, misteriosas manchas roxas, similares a fungos, aparecem em seu corpo. Coisas estranhas começam a acontecer na cidade e no corpo de Ana. A temperatura sobe, criando uma atmosfera úmida e sufocante. O mormaço acumula, abrindo caminho para uma forte chuva.  

FICHA TÉCNICA  

Direção - Marina Meliande  
Roteiro - Felipe Bragança e Marina Meliande  
Produção - Leonardo Mecchi  
Empresas Produtoras - Duas Mariola Filmes e Enquadramento Produções  
Direção de Fotografia - Glauco Firpo  
Som - Valéria Ferro  
Direção de Arte - Dina Salem Levy  
Figurino - Gabriela Campos  
Maquiagem - Mari Figueiredo  
Desenho de Som e Música Original – Edson Secco  
Elenco - Marina Provenzzano, Pedro Gracindo, Diego de Abreu, Analu Prestes, Igor Angelkorte,  Sandra Souza, Jéssica Barbosa  
  
SOBRE A DIRETORA  

Marina Meliande nasceu em 1980 no Rio de Janeiro, Brasil. Cineasta e montadora formada pela Universidade Federal Fluminense, dirigiu, em parceria com Felipe Bragança, alguns filmes exibidos em festivais internacionais: dois curtas, Por Dentro de uma Gota D’água e O Nome dele (o clóvis), além da Trilogia Coração no Fogo, composta pelos longas A Fuga da Mulher Gorila, lançado no Festival de Locarno 2009; A Alegria – lançado na Quinzena dos Realizadores, Festival de Cannes 2010; Desassossego, filme das maravilhas - filme coletivo, lançado no Festival de Roterdã em 2011. Nos anos de 2007 a 2009, Marina foi artista residente do Centro de Arte Contemporânea Le Fresnoy (França), onde realizou duas videoinstalações: Lettres au Vieux Monde e L’Image qui reste. Como montadora, trabalhou em mais de 40 filmes, entre eles, Girimunho e Histórias que só existem quando lembradas, Olmo e a Gaivota, Pendular. Atualmente, lança seu primeiro longa-metragem com direção solo Mormaço, realizado com o apoio da Résidence da Cinefondation, promovida pelo Festival de Cannes, e do Hubert Bals Fund, do Festival de Roterdã.  

SOBRE AS PRODUTORAS  

DUAS MARIOLA  

DUAS MARIOLA é uma produtora carioca formada em 2006, por cineastas premiados em festivais nacionais e internacionais que pretende se tornar um pequeno polo de reunião e realização cinematográfica, em colaboração com outros realizadores e produtores em busca de alternativas criativas ao modelo de produção do audiovisual no Brasil, assim como de propostas cuja ousadia parta de um mesmo ponto em comum e irrevogável: o entusiasmo pelos filmes e pelo cinema.  

Nos últimos anos se dedicou à produção de Mostras Cinematográficas e à produção de filmes. Realizou alguns longas metragens com grande repercussão internacional, entre eles: “A fuga da Mulher Gorila”, direção de Felipe Bragança e Marina Meliande, com estreia no Festival de Locarno 2009; “A Alegria”, direção de Felipe Bragança e Marina Meliande, com estreia na Quinzena dos Realizadores, no Festival de Cannes 2010; “Desassossego”, filme de direção coletiva, com estreia no Festival de Rotterdam em 2011, “A Morte de J.P. Cuenca”, filme híbrido com direção de João Paulo Cuenca com estreia na competição do CPH DOX 2015, “Não Devore Meu Coração”, filme de Felipe Bragança exibido na competição do Festival de Sundance 2017 e Festival de Berlim 2017, “Mormaço”, filme de Marina Meliande com estreia mundial na Competição do Festival de Roterdã 2018. Atualmente finaliza o filme “Um Animal Amarelo” direção de Felipe Bragança e coprodução com a produtora portuguesa O Som e a Fúria.  
Além dos longas, a Duas Mariola também produziu cerca de 10 curtas-metragens com presença em festivais como CANNES, VENEZA, BERLIM e OBERHAUSEN, entre outros.   

ENQUADRAMENTO PRODUÇÕES  

Enquadramento Produções é uma produtora brasileira de filmes independentes, com sede em São Paulo, focada no desenvolvimento e produção de projetos culturais e cinematográficos, principalmente primeiro e segundo longas-metragens de cineastas promissores. Entre suas produções estão trabalhos selecionados para importantes festivais nacionais e internacionais, como Cannes, Roterdã, Viennale, FidMarseille, BAFICI, Tiradentes e Gramado.  

Entre as produções atuais estão o recém-lançado Los Silencios, de Beatriz Seigner (Festival de Cannes - Quinzena do Diretor, uma coprodução Brasil-França-Colômbia) e Mormaço, de Marina Meliande (Festival de Roterdã e Toulouse); A Morte Habita à Noite, de Eduardo Morotó (em pós-produção, Cinéma en Développement); e A Febre, de Maya Da-Rin (atualmente em finalização, coprodução Brasil-França-Alemanha que participou do TFL's Script & Pitch e FrameWork, e contou com apoios do Aide aux Cinémas du Monde, World Cinema Fund, Hubert Bals Fund e TFL’s Coproduction Award).  

Seu sócio majoritário, Leonardo Mecchi, trabalhou nos últimos 10 anos como produtor de longas-metragens como Obra, de Gregório Graziosi (Roma, Toronto e Prêmio da Crítica no Festival do Rio); Super Nada, de Rubens Rewald (Melhor Filme no Festival do Rio e Melhor Ator no Festival de Gramado); e Quebradeiras, de Evaldo Mocarzel (Melhor Documentário do Festival de Toulouse e Melhor Diretor, Diretor de Fotografia e Som no Festival de Brasília). Atua também como curador, júri e produtor de mostras e festivais. É também produtor associado do documentário O Processo, de Maria Augusta Ramos (Festival de Berlim 2018).  

Sobre a Vitrine Filmes   

Em nove anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 130 filmes. Entre seus maiores sucessos estão "Aquarius" e "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro e o americano "Frances Ha", dirigido por Noah Baumbach, indicado ao Globo de Ouro. Mais recentemente a distribuidora lançou "O Filme da Minha Vida", terceiro longa como diretor de Selton Mello, e "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal, o documentário mais visto no ano.  

No ano passado, alguns dos mais importantes lançamentos da Vitrine foram "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional, "Benzinho", dirigido por Gustavo Pizzi e protagonizado por Karine Teles, exibido no Festival de Sundance e “Uma Noite de 12 Anos”, exibido no Festival de Veneza.  

Em 2019 a Vitrine Filmes exibe em sessões especiais nos cinemas brasileiros o filme "Roma", dirigido por Alfonso Cuarón, vencedor de três Oscars e dois Globos de Ouro. Entre os lançamentos do ano estão “Divino Amor”, dirigido por Gabriel Mascaro e com Dira Paes no elenco, “Bacurau”, novo filme do diretor Kleber Mendonça Filho, com Sonia Braga, Karine Teles, Udo Kier e Silvero Pereira e "Pedro" novo longa da diretora Laís Bodanzky, produzido e protagonizado por Cauã Reymond.  

Além disso a Vitrine Filmes segue pelo terceiro ano consecutivo com o projeto de distribuição coletiva de filmes independentes, que neste ano passou por modificações e segue com o nome Sessão Vitrine, lançando um longa por mês em mais de 25 cidades do Brasil.

Still Mormaço.jpg
'ELEGIA DE UM CRIME' estreia dia 14 de Março

“ELEGIA DE UM CRIME” ESTREIA EM SÃO PAULO DIA 14 DE MARÇO

Documentário, que encerra a “trilogia do luto” do diretor Cristiano Burlan, entra em cartaz exclusivamente no CineSesc

SINOPSE   
  
Uberlândia, Minas Gerais, 24 de fevereiro de 2011. Isabel Burlan da Silva, mãe do diretor, é assassinada pelo parceiro. “Elegia de um crime” encerra a “Trilogia do luto”, que aborda a trágica história da família. Diante da impunidade, o filme mergulha numa viagem vertiginosa para reconstruir a imagem e a vida de Isabel.  
  
FICHA TÉCNICA  

Direção: Cristiano Burlan  
Produção: Bela Filmes  
Coprodução: Sancho&Punta  
Produção executiva: Priscila Portella e Bruno Caticha  
Roteiro: Cristiano Burlan e Ana Carolina Marinho  
Direção de fotografia: Cristiano Burlan, Renato Maia e Henrique Zanoni  
Montagem: Cristiano Burlan e Renato Maia  
Edição de som: Julia Teles e Vanessa Gusmão  
Mixagem: Edson Secco  
Duração: 92 min  
Classificação indicativa: 14 anos  
Ano de produção: 2018  

SOBRE O DIRETOR  

CRISTIANO BURLAN nasceu em Porto Alegre. É diretor de cinema e teatro e professor. Sua filmografia contém mais de 20 filmes, entre ficções e documentários. Realizou a “Tetralogia em Preto e Branco” composta por quatro longas-metragens sobre a cidade de São Paulo, são eles: “Sinfonia De Um Homem Só”, “Amador”, “Hamlet” e “Fome” (premiado no último Festival de Brasília do Cinema Brasileiro). Seu documentário “Mataram meu irmão” (2013) foi o vencedor do É Tudo Verdade 2013, angariando os prêmios de Melhor Filme do Júri Oficial e da Crítica, do 4º Festival SESC de Melhores Filmes como Melhor Documentário do Ano e do Prêmio do Governador do Estado de São Paulo como Melhor Filme. Em 2016, escreveu o roteiro do longa-metragem “A Mãe”, selecionado para o 7º Brasil CineMundi – International Coproduction Meeting e vencedor do prêmio de coprodução internacional para participar do Cinélatino, Rencontres de Toulouse – FRANCE. Em 2018, lançou seu último longa-metragem de ficção em que dirigiu e roteirizou, “Antes do Fim”, uma coprodução com o Canal Brasil que tem como protagonistas Helena Ignez e Jean-Claude Bernardet. No mesmo ano, estreou no Festival É Tudo Verdade, em competição, o documentário “Elegia de um crime” sobre o assassinato de sua mãe. O filme encerra a “Trilogia do Luto” composta também pelos filmes “Construção” e “Mataram meu irmão”.  

SOBRE A VITRINE FILMES  
  
Em nove anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 130 filmes. Entre seus maiores sucessos estão "Aquarius" e "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro e o americano "Frances Ha", dirigido por Noah Baumbach, indicado ao Globo de Ouro. Recentemente a distribuidora lançou "O Filme da Minha Vida", terceiro longa como diretor de Selton Mello, e "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal, o documentário mais visto no ano.    
No ano passado, alguns dos mais importantes lançamentos da Vitrine foram "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional, "Benzinho", dirigido por Gustavo Pizzi e protagonizado por Karine Teles, exibido no Festival de Sundance e “Uma Noite de 12 Anos”, exibido no Festival de Veneza.    

Em 2019 a Vitrine Filmes fará sessões especiais em cinemas brasileiros de "Roma", dirigido por Alfonso Cuarón, vencedor de dois Globos de Ouro e indicado a dez Oscar. Entre os lançamentos do ano estão “A Nossa Espera”, coprodução França-Bélgica, dirigido por Guillaume Senez, “Divino Amor”, dirigido por Gabriel Mascaro e com Dira Paes no elenco, “Bacurau”, novo filme do diretor Kleber Mendonça Filho, com Sonia Braga, Karine Teles, Udo Kier e Silvero Pereira e "Pedro" novo longa da diretora Laís Bodanzky, produzido e protagonizado por Cauã Reymond  

Além disso a Vitrine Filmes segue pelo terceiro ano consecutivo com o projeto de distribuição coletiva de filmes Sessão Vitrine Petrobras, que durante o ano todo irá lançar 10 longas nacionais em mais de 25 cidades do Brasil. 

EstreiaSinny AssessoriaVitrine Filmes
‘LEMBRO MAIS DOS CORVOS’, estreia dia 21 de Fevereiro

‘LEMBRO MAIS DOS CORVOS’ DE GUSTAVO VINAGRE COM JULIA KATHARINE ESTREIA DIA 21 DE FEVEREIRO

O longa será exibido junto com o curta “Tea For Two”, de Julia Katharine, primeiro filme dirigido por uma pessoa trans a ser lançado no circuito comercial. 

Sinopse “LEMBRO MAIS DOS CORVOS”:  
Júlia conta histórias para atravessar uma noite de insônia.   

Lista de festivais e prêmios  
. Prêmio Joris Ivens Melhor Filme - 40th Cinéma du Reel    
. Prêmio do júri jovem de Melhor Filme - 40th Cinéma du Reel   
. Prêmio Helena Ignez para destaque feminino - 21ª Mostra de Cinema de Tiradentes - Mostra Aurora Competitiva  
. Grande Prémio de Longa Metragem Cidade de Lisboa - 15º IndieLisboa   
. Prémio Especial do Júri canais TVCine & Series - 15º IndieLisboa   
. Art of the Real  Linconl Center NY - 2018  
. 29º FIDMarseille  
. Open City Documentary Festival in London, 2018  
. Viennale 2018  
. FilmFest Hamburg 2018  
. 25º Festival Mix Brasil  
. 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro  
. Brussels Pink Screens Film Festival 2018  
. International Human Rights Documentary Film Festival Inconvenient Films - Lithuanian 2018  

FICHA TÉCNICA  
Atriz: Julia Katharine  
direção: Gustavo Vinagre  
Roteiro: Gustavo Vinagre e Julia Katharine  
Produção Executiva: Rodrigo Carneiro e Gustavo Vinagre  
Produção: Rodrigo Carneiro  
Ano: 2018  
Duração: 82 min.  
Classificação: 14 anos  

SOBRE O DIRETOR  

Gustavo Vinagre graduou-se em Letras pela USP. É formado em roteiro pela Escuela Internacional de Cine y Televisión de San Antonio de los Baños, Cuba. Dirigiu os filmes: Dykeland (2009), parte do longa Fucking Differente - 60º Festival Internacional de Berlim - , Filme para Poeta Cego (2012), - 42º Festival Internacional de Cinema de Rotterdam, La Llamada (2014), - prêmio de melhor curta-metragem nacional pelo júri da crítica no 42º Festival de Cinema de Gramado- , Nova Dubai (2014), - 44ºFestival Internacional de Cinema de Rotterdam - , Os cuidados que se tem com o cuidado que os outros devem ter consigo mesmos (2016), - 49º Festival de Brasília - e Filme Catástrofe (2017) - 28º Festival Internacional de Curtas de São Paulo.  

SOBRE A PRODUTORA  

A Carneiro Verde filmes é uma produtora fundada em 2014 pelos amigos e sócios Rodrigo Carneiro e Gustavo Vinagre. Além de ter produzido três curtas-metragens, “Microsieverts”, “Marília” e “Copyleft”, em 2018 a produtora lançou seu primeiro longa-metragem “Lembro mais dos corvos”, que recebeu o prêmio de Melhor Filme no Cinéma du Réel e no Indie Lisboa e tem sido exibido em importantes festivais. Em 2019 a produtora está lançando seu segundo longa “A rosa azul de Novalis”, já selecionado para a Mostra de Tiradentes, Berlinale e Cinéma du Réel.  

SOBRE A SESSÃO VITRINE PETROBRAS  

Cada filme da SESSÃO VITRINE PETROBRAS terá pelo menos uma sessão diária com horário fixo, nos mesmos cinemas de mais de 20 cidades. Os filmes ficarão em cartaz por no mínimo duas semanas em cada cidade. A intenção é que uma programação mensal e um horário fixo tornem-se um referencial e criem um público cativo.  

A SESSÃO VITRINE PETROBRAS acontece nas seguintes cidades: Rio Branco (Cine Teatro Recreio), Maceió (Cine Arte Pajuçara), Fortaleza (Cinema do Dragão), Brasília (Cine Brasília e Espaço Itaú de Cinema Brasília), Vitória (Sesc Gloria), Goiânia (Cine Cultura Goiânia e Lumiere Bouganville 5), São Luís (Cine Lume), João Pessoa (Cine Bangue), Recife (Cine São Luíz, FUNDAJ Cinema do Museu), Teresina (Cine Teresina), Curitiba (Cineplex Batel e Cinemateca de Curitiba), Niterói (Cine Arte UFF), Rio de Janeiro (Espaço Itaú de Cinema Botafogo e Estação Net Rio), Manaus (Casarão de Ideias), Aracaju (Cine Vitória), São Paulo (Espaço Itaú de Cinema Augusta, Cinesystem Morumbi Town e CineArte), Palmas (Cine Cultura Palmas), Porto Alegre (Cine Bancários), Salvador (Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha), Belo Horizonte (Cine Belas Artes, Cine 104), Santos (Cinespaço Miramar), Belém (Cine Líbero Luxardo) entre outras.  

‘A ROSA AZUL DE NOVALIS’, de Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro foi selecionado para o Festival de Berlim 2019
foto2-arosaazul.jpg

‘A ROSA AZUL DE NOVALIS’, SELECIONADO PARA O FESTIVAL DE BERLIM, ESTREIA NACIONALMENTE NA 22ª MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES

Documentário de Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro será exibido na Mostra Fórum do festival alemão e em Tiradentes, dia 25 de janeiro

Depois de ser exibido no Festival de Brasília de 2018, na seção work in progress, e selecionado para a Mostra Fórum do Festival de Berlin 2019 ‘A Rosa Azul de Novalis’, de Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro, estreia nacionalmente na Mostra de Cinema de Tiradentes, que acontece de 18 a 26 de janeiro, em Tiradentes (MG).   
 

Com produção da Carneiro Verde Filmes e distribuição da Sessão Vitrine, o longa apresenta Marcelo (Marcelo Diorio), um homem que vive relembrando o passado, inclusive de outras encarnações. Numa delas, ela foi o poeta alemão Novalis, que perseguia uma rosa azul. 


A partir de Marcelo, seus dilemas e suas buscas, os diretores pretendem chamar atenção para o ânus, tornando esse buraco, considerado obscuro, o ponto de partida para a compreensão do personagem. “Colocar o cu em evidência nos parece essencial, uma vez que em 8 países o sexo anal pode levar à pena de morte e em mais de 80 países à prisão perpétua. Sem embargo, o cu é um centro produtor de excitação e prazer, é uma fábrica de reelaboração do corpo e de suas perspectivas, pois ele não está destinado a reprodução humana, colocando o sistema tradicional da representação sexo/gênero abaixo. O cu é democrático, todos podem acessá-lo, afinal, cada um tem o seu”, explicam os diretores.  

A proposta dos realizadores foi fazer um filme com um personagem e não sobre um personagem, abordando todos os aspectos deste, não apenas o seu lado “bonito”. Vinagre e Carneiro comentam o processo criativo: “Nosso trabalho parte sempre de uma realidade, para recriá-la, transformá-la em algo que de alguma forma possa colocar o espectador em xeque sobre algumas questões geralmente consideradas tabu, e ao mesmo tempo muitas coisas são também colocadas em xeque para o personagem que atua como si mesmo, e para nós, que dirigimos. Há sempre uma jornada de autoconhecimento. Não à toa, todos os nossos filmes tematizam traumas, e são extremamente falados, como numa sessão de psicanálise. ‘A Rosa Azul de Novalis’ não foge disso”.   
 

Serviço - Exibição na Mostra de Cinema de Tiradentes 
25/1 (sexta-feira), às 20h, Cine-Tenda  

Sinopse: 
Marcelo, um dândi de cerca de 40 anos, possui uma memória inigualável. Revive lembranças familiares em sua cabeça e tem recordações de suas vidas passadas. Em uma delas, foi Novalis, poeta alemão que perseguia uma rosa azul. E nessa vida atual, o que Marcelo persegue?  

Festivais e Prêmios: 
. 22º Mostra de Cinema de Tiradentes - Mostra Aurora  
. 69º Berlinale - Berlin International Film Festival - Forum  
. 41º Cinéma du Réel - International Competition  

Fica técnica  
. Direção: Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro  
. Elenco: Marcelo Diorio, Majeca Angelucci, Marcos Hermanson Pomar, Thais de Almeida Prado, Estela Lapponi, Beatriz Pomar, Rafael Rudolf e Christian Sedemaka  
. Roteiro: Gustavo Vinagre e Marcelo Diorio  
. Produção: Rodrigo Carneiro e Gustavo Vinagre  
. Produção de set: Edson Costa  
. Assistente de Direção: Beatriz Pomar  
. Fotografia: Bruno Risas  
. Assistente de Fotografia: Wilssa Esser  
. Som Direto: Ruben Valdés  
. Microfonista: Rodney Blanco  
. Música: Dominico Scarlatti - Fandango   
. Direção de Arte: Gabriel Pessoto  
. Figurino: João Marcos de Almeida  
. Maquiagem: Alma Negrot  
. Edição: Rodrigo Carneiro  
. Efeitos: Paulo Bueno e João Marcos de Almeida  
. Correção de Cor: Natalia Nora Martínez  
. Preparação de elenco: Gilda Nomacce  
. Arte do cartaz: Gabriel Pessoto  
. Design do cartaz: João Marcos de Almeida  
. Tradução para o inglês: Adriana Davanzzo  

Biografia dos diretores:  
Gustavo Vinagre graduou-se em Letras pela USP. É formado em roteiro pela Escuela Internacional de Cine y Televisión de San Antonio de los Baños, Cuba. Dirigiu os filmes: Dykeland (2009), parte do longa Fucking Differente, Filme para Poeta Cego (2012), La Llamada (2014), Nova Dubai (2014), Os cuidados que se tem com o cuidado que os outros devem ter consigo mesmos (2016) e Filme Catástrofe (2017) - 28º Festival Internacional de Curtas de São Paulo.  

Rodrigo Carneiro é licenciado em história pela Universidade Federal de Ouro Preto. Se formou em montagem no curso regular da Escuela Internacional de Cine y Televisión de Cuba - EICTV. Foi pesquisador convidado do departamento de cinema da Faculty of Fine Arts da Universidade de Concordia - Montreal. Escreveu e dirigiu os curtas Marília, Microsieverts e Copyleft e o longa “A rosa azul de Novalis”, co-dirigido com Gustavo Vinagre. Editou diversos curtas, médias e longas metragens. Rodrigo é professor de montagem e trabalha como produtor executivo no Prodav das Tvs Públicas Ancine/FSA/EBC.  

 
'NONA: SE ME MOLHAM, EU OS QUEIMO' de Camila José Donoso, selecionado para o Festival de Rotterdam
Nona_still_01_cortada.jpg

DIRIGIDO POR CAMILA JOSÉ DONOSO “NONA: SE ME MOLHAM, EU OS QUEIMO” SELECIONADO PARA O FESTIVAL DE ROTTERDAM

Coprodução entre Brasil e Chile, da mesma produtora de “Benzinho” e “Pendular”, está na mostra principal do Festival, a Tiger

NONA: SE ME MOLHAM, EU OS QUEIMO de Camila José Donoso, acaba de ser selecionado para o Festival de Rotterdam, que acontece entre os dias 23 de janeiro e 3 de fevereiro, onde será exibido na Mostra Competitiva principal, a Mostra “Tiger”. A ideia para o filme surge através do relacionamento íntimo que a diretora tem com Josefina Ramirez, uma mulher extraordinária que, entre outras coisas, é avó de Camila. Nona surge do desejo da diretora de falar não somente sobre sua avó, mas sobre toda uma geração cuja vida foi marcada por inúmeras lutas que ocorreram no Chile, um país preso entre a cordilheira e o oceano.   

O roteiro de NONA: SE ME MOLHAM, EU OS QUEIMO baseia-se em eventos reais, imaginários, recriados, provenientes da vida de Josefina, que compõem um quadro heterogêneo e intrigante. Em seu primeiro filme, “Naomi Campbel”, a diretora fez um retrato documental de uma mulher transexual e a ficção ocorreu discretamente. Em NONA: SE ME MOLHAM, EU OS QUEIMO, a ficção supera o mundo real, embora cada elemento seja derivado da vida de Josefina. “Eu queria que o personagem de Nona tivesse profundidade. Eu queria que o espectador descobrisse Nona como eu a conhecia; uma avó, uma dona de casa extrovertida que ocasionalmente mentia, uma mulher volúvel, e tudo aquilo que estava longe da femme fatale piromaníaca que mais tarde descobri. Eu queria que o espectador pudesse viver na intimidade de Nona, sem julgamento: pois a beleza de Nona também reside na complexidade, na ambivalência de seu caráter.”, explica a diretora.  

O filme conta com a atuação de não profissionais, como a própria avó da diretora interpretando a nona, Josefina Ramirez, as atrizes Gigi Reyes, Paula Dinamarca e Nancy Gómez e o ator brasileiro Eduardo Moscovis, que interpreta Pedro.   

O filme acompanha Nona, uma senhora dona de casa atípica, de 66 anos, que vive em autoexílio em uma cidade costeira no sul do Chile. Muito próximo a ela, em uma misteriosa floresta, ocorrem incêndios estranhos que são atribuídos ao diabo. Um dia, quando vento e o oceano parecem possuídos, toda a região testemunha um grande incêndio florestal que parece estar fora de controle. Dessa forma, NONA: SE ME MOLHAM, EU OS QUEIMO faz um paralelo entre a vida da personagem que parece calma e organizada, com a situação do Chile que parece calmo e próspero. No entanto, a vida de Nona tem as marcas de um passado violento, do qual ela não pode se desfazer e da mesma forma que acontece com o Chile hoje.  

NONA: SE ME MOLHAM, EU OS QUEIMO é a estreia da diretora na ficção e é produzido por Rocío Romero, do Chile (Mimbre Producciones), Alexa Rivero da França (Altamar Films) , e pela brasileira Tatiana Leite, produtora do sucesso Benzinho, de Gustavo Pizzi e coprodutora de Pendular de Julia Murat. No Brasil a distribuição do longa será da Vitrine Filmes.  

Sinopse  

Depois de um ato de vingança contra seu ex-amante, Nona, de 66 anos, foge para sua casa de verão em Pichilemu, uma cidade costeira no Chile. Lá ela vive uma vida prosaica em aparente satisfação, até que uma série de incêndios florestais motiva a partida de muitos de seus vizinhos. As antigas ruas sombreadas são imbuídas de medo. A investigação policial não dá em nada e os poucos moradores remanescentes ficam cada vez mais especulativos sobre a possível causa. Surpreendentemente, a pequena casa de Nona não está danificada. Enquanto mais e mais casas pegam fogo, esse intrigante protagonista exibe os diferentes lados de sua personalidade: Nona, a avó, Nona, a amiga, Nona, a anarquista, Nona, a contadora de histórias, brincalhona, mentirosa - e Nona, a incendiária.  

Ficha Técnica  
NONA: SE ME MOLHAM, EU OS QUEIMO (Nona.Si me mojan yo los quemo)  
Direção e Roteiro:  Camila José Donoso  
Empresas produtoras: Mimbre Producciones, Bubbles Project, Altamar Films   
Produtoras: Rocío Romero, Tatiana Leite, Alexa Rivero   
Fotografia: Matías Ilanes   
Edição: Karen Akerman   
Direção de Arte: Nicolás Oyarce  
Direção de Som: Sebastián Arjona, Emilio Torres  
Gênero: Documentário/Ficção   
Países: Chile, Brasil e França   
Idioma: Espanhol   
Ano: 2018   
Duração: 86 min  
Elenco: Josefina Ramirez, Gigi Reyes, Paula Dinamarca, Eduardo Moscovis, Nancy Gómez   

SOBRE A DIRETORA 

Camila José Donoso nasceu no Chile em 1988. Estudou cinema e dirigiu curtas e performances em vídeo. Como diretora e roteirista, fez Naomi Campbel (FICValdivia e CPH: DOX, 2013) e Casa Roshell (Berlinale, 2017), ambos exibidos e premiados em festivais de cinema. Em 2016, fundou e criou a Transfrontera, um encontro entre o Chile, o Peru e a Bolívia, centrado no cinema e na política, com a presença de pessoas como Ignacio Agüero, entre outros. Em breve, lançará seu terceiro filme: "Nona: se me molham, eu os queimo."  

SOBRE A BUBBLES PROJECT 

Bubbles Project é uma produtora independente sediada no Rio de Janeiro, criada por Tatiana Leite em 2012, que concebe, produz e coproduz filmes, mostras, e festivais e cinema. 


Produziu o longa-metragem "Benzinho" (Loveling) de Gustavo Pizzi, em coprodução com a Mutante Cine (Uruguai) – Sundance 2018, Festival de Rotterdam 2018, Melhor Filme no Festival Internacional de Cinema de Santa Maria da Feira 2018, Melhor Filme e Melhor Filme Pela Crítica (FIPRESCI) no Festival de Málaga 2018, Melhor Filme pela Crítica, Melhor Filme pelo Juri Popular, Melhor Atriz e Melhor Atriz Coadjuvante no Festival de Gramado 2018, e já foi vendido para 22 territórios. 


A Bubbles coproduziu com a Esquina Filmes, o longa metragem "Pendular", de Julia Murat (em coprodução com a França e Argentina), ganhador do prêmio FIPRESCI da mostra Panorama no Festival de Berlim 2017. 


Coproduziu com Argentina, Alemanha e Noruega, o filme "Família Submersa", de Maria Alché, que fez sua estreia mundial no Festival Internacional de Cinema de Locarno 2018. Também foi exibido no Festival de San Sebastian 2018, onde ganhou o prêmio de Melhor Filme na mostra Horizontes Latinos. Durante seu desenvolvimento, foi contemplado pelos fundos internacionais Sorfond e Vision Sud Est.  


Junto com o Chile e a França, a Bubbles está coproduzindo o filme "Nona", de Camila Jose Donoso, que fará sua estreia mundial na Tiger Competition do Festival Internacional de Cinema de Rotterdam, após ter sido exibido no Festival Internacional de Cinema de Jeonju, Coréia do Sul, como um work in progress. Com a Mira Filmes e a Nordic Factory (Dinamarca), a Bubbles Project está coproduzindo o filme "Cora" de Gustavo Rosa de Moura e Matias Mariani, em pós-produção. 


Também coproduziu o filme, "Aspirantes" (Hopefuls) de Ives Rosenfeld, que venceu a Carte Blanche no Festival de Locarno 2014 e recebeu os prêmios de Melhor Diretor, Melhor Ator e Melhor Atriz Coadjuvante no Festival do Rio 2015, Melhor filme pela crítica na Mostra de São Paulo 2015, Prêmio especial para conjunto do elenco no festival Janela de Recife 2015, Melhor filme no Festival de Santa Maria da Feria em Portugal 2015, melhor roteiro e montagem no Festival de Filmes de Fronteiras, e foi exibido em competição nos Festivais de Karlovy Vary, Toulouse, Biarritz, Havana, Chicago, N.Y, Montreal, Adelaide, Kerala, entre outros. 


É produtora associada do filme "Órfãos do Eldorado" de Guilherme Coelho, que abriu a mostra de cinema de Tiradentes de 2015, e foi exibido nos Festivais do Rio, Mostra SP, Varsóvia, Chicago, entre outros. 


A Bubbles também está desenvolvendo os longas-metragens "Outros Tempos" de Christiane Jatahy (selecionado para o workshop PUENTES do EAVE, durante o Festival de Locarno 2013), "Neuros" de Guilherme Coelho (Selecionado para o Paris Coproduction Village), Regra 34 de Julia Murat (Berlinale Coproduction Market 2019), além dos primeiros longas-metragens "A Herança" de João Cândido Zacharias (Udine Film Festival – Far East Film), "Porco Espinho" de Eva Randolph, e "Malu" de Pedro Freire.  

SOBRE A MIMBRE PRODUCCIONES  

A produtora chilena Mimbre Producciones foi co-fundada por Rocío Romero e Daniela Camino em 2013, com o objetivo de fazer filmes que tenham uma perspectiva sensível e autoral. Ao desenvolver seus projetos de documentário e ficção, a Mimbre estabelece métodos criativos e estratégicos de produção, finanças e distribuição para filmes em diferentes estágios de produção.  


Dentre seus trabalhos mais recentes, podemos citar “Señora Gloria”, 2017, documentário dirigido por Víctor Fajnzylber; “Las Plantas”, 2015, de Roberto Doveris (FicValdivia 2015, Berlinale 2016); “If you listen carefully”, de Nícolas Gúzman, 2015, (seleção official FIDOCS and DOCS Buenos Aires); e Naomi Campbell, 2013, de Nicolás Videlas e Camila José Donoso (FicValdivia, LiberCine, Cinema Tropical).  


Os projetos “Alcones”, de Daniela Camino e César Borie, „130 children“, de Ainara Aparici, e “The Journey of Mona Lisa”, de Nicole Costa, estão em pós produção, enquanto os projetos “The Sequel” de Roberto Doveris e “Albertina” de César Borie estão em desenvolvimento.   
A Mimbre Producciones também está envolvida no projeto “Escola Transfrontera”, idealizado por Camila Jose Donoso, que ensina cinema no Chile, Perú e Bolívia.   

SOBRE A VITRINE FILMES  

Em nove anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 130 filmes. Entre seus maiores sucessos estão "Aquarius" e "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro e o americano "Frances Ha", dirigido por Noah Baumbach, indicado ao Globo de Ouro, além de "O Filme da Minha Vida", terceiro longa do diretor de Selton Mello, e "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal, o documentário mais visto no ano de 2017.  

Em 2018, alguns dos mais importantes lançamentos da Vitrine foram "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional, "Benzinho", dirigido por Gustavo Pizzi e protagonizado por Karine Teles,  e o uruguaio  “Uma Noite de 12 Anos”.  

Neste ano,  a Vitrine Filmes fará sessões especiais em cinemas brasileiros de "Roma", dirigido por Alfonso Cuarón e vencedor de dois Globos de Ouro. Entre os lançamentos do ano estão “Divino Amor”, dirigido por Gabriel Mascaro e com Dira Paes no elenco, “Bacurau”, novo filme do diretor Kleber Mendonça Filho, com Sonia Braga, Karine Teles e Udo Kier e "Pedro" novo longa da diretora Laís Bodanzky, protagonizado por Cauã Reymond.  
Além disso a Vitrine Filmes segue pelo terceiro ano consecutivo com o projeto de distribuição coletiva de filmes Sessão Vitrine Petrobras, que durante o ano todo irá lançar 10 longas nacionais e exibir diversos curtas em mais de 25 cidades do Brasil, ao preço máximo de R$ 12,00. 

 
‘TEMPORADA’, estreia dia 17 de Janeiro

‘TEMPORADA’, DE ANDRÉ NOVAIS OLIVEIRA, ESTREIA DIA 17 DE JANEIRO

Grande vencedor do Festival de Brasília é o lançamento de Janeiro da Sessão Vitrine Petrobras

SINOPSE

Juliana está se mudando de Itaúna, no interior do estado, para a periferia de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, para trabalhar no combate às endemias na região. Em seu novo trabalho ela conhece pessoas e vive situações pouco usuais que começam a mudar sua vida. Ao mesmo tempo, ela enfrenta as dificuldades no relacionamento com seu marido, que também está prestes a se mudar para a cidade grande.

FICHA TÉCNICA

TEMPORADA (Long Way Home)
Direção e Roteiro: ANDRÉ NOVAIS OLIVEIRA
Elenco: GRACE PASSÔ, RUSSO APR, REJANE FARIA, HÉLIO RICARDO, JU ABREU, RENATO NOVAES, SINARA TELES e JANDERLANE SOUZA
Produção: ANDRÉ NOVAIS OLIVEIRA, GABRIEL MARTINS, MAURILIO MARTINS, THIAGO MACÊDO CORREIA
Produtor Executivo: THIAGO MACÊDO CORREIA
Diretora de Produção: MARCELLA JACQUES
Fotografia: WILSSA ESSER
Direção de Arte: DIOGO HAYASHI
Figurinos: RIMENNA PROCÓPIO
Som: TIAGO BELLO, MARCOS LOPES
Montagem: GABRIEL MARTINS
País: Brasil
Ano: 2018
Duração: 113 minutos.

SOBRE A SESSÃO VITRINE PETROBRAS
 
Cada filme da Sessão Vitrine Petrobras tem pelo menos uma sessão diária com horário fixo, nos mesmos cinemas de mais de 20 cidades. Os filmes ficam em cartaz por no mínimo duas semanas em cada cidade. A intenção é que uma programação mensal e um horário fixo tornem-se um referencial e criem um público cativo.

Em 2018, a Sessão Vitrine Petrobras está nas seguintes cidades: Rio Branco (Cine Teatro Recreio), Maceió (Cine Arte Pajuçara), Fortaleza (Cinema do Dragão), Brasília (Cine Brasília e Espaço Itaú de Cinema Brasília), Vitória (Sesc Gloria), Goiânia (Cine Cultura Goiânia e Lumiere Bouganville 5), São Luís (Cine Lume), João Pessoa (Cine Bangue), Recife (Cine São Luíz, FUNDAJ Cinema do Museu), Teresina (Cine Teresina), Curitiba (Cineplex Batel e Cinemateca de Curitiba), Niterói (Cine Arte UFF), Rio de Janeiro (Espaço Itaú de Cinema Botafogo e Estação Net Rio), Manaus (Casarão de Ideias), Aracaju (Cine Vitória), São Paulo (Espaço Itaú de Cinema Augusta, Cinesystem Morumbi Town e CineArte), Palmas (Cine Cultura Palmas), Porto Alegre (Cine Bancários), Salvador (Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha), Belo Horizonte (Cine Belas Artes, Cine 104), Santos (Cinespaço Miramar), Belém (Cine Líbero Luxardo) entre outras.

Serviço Sessão Vitrine Petrobras:
Os ingressos são vendidos a preço reduzido, através da bilheteria ou “Cartão Fidelidade SESSÃO VITRINE PETROBRAS”, que pode ser adquirido no site do projeto.
Valor máximo do ingresso: R$ 12(inteira) / R$ 6 (meia) – variando de acordo com a cidade.
 
FESTIVAIS - TEMPORADA
 
71° Festival de Locarno (Suiça) 2018
51° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (Brasília/Brasil) 2018 
42° Mostra Internacional de Cinema em São Paulo (São Paulo/Brasil)  2018
XI Janela Internacional de Cinema do Recife (Refice/Brasil) 2018
XIV Panorama Internacional Coisa de Cinema (Salvador/Brasil) 2018
10° Semana de Cinema (Rio de Janeiro/Brasil) 2018
36° Torino Film Festival (Itália)  2018
40° Festival des 3 Continents Nantes (França) 2018
AFI Fest (EUA) 2018
Forum.doc (Belo Horizonte/Brasil) 2018
15º Festival de Cinema do Vale do Ivinhema (Mato Groso do Sul/Brasil) 2018
Belfort Film Festival (França) 2018
Mostra Vitoria da Conquista (Bahia/Brasil) 2018
 
PRÊMIOS

Melhor Filme de longa-metragem pela mostra competitiva no 51° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.
Melhor Atriz de longa-metragem pela mostra competitiva no 51° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (Grace Passô). 
Melhor Ator Coadjuvante de longa-metragem pela mostra competitiva no 51° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (Russo APR). 
Melhor Direção de Arte de longa-metragem pela mostra competitiva no 51° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (Diogo Hayashi). 
Melhor Direção de Fotografia de longa-metragem pela mostra competitiva no 51° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (Wilssa Esser). 
Melhor Atriz no 36° Torino Filme Festival  (Grace Passô).
Melhor Longa Metragem pelo júri popular no Belfort Film Festival.
Prêmio João Carlos Sampaio de melhor filme no XI Janela Internacional de Cinema do Recife.
Menção honrosa do júri oficial para Grace Passô.
Menção Honrosa do júri do janela crítica no XI Janela Internacional de Cinema do Recife.
Prêmio Indie Lisboa na 10° Semana de Cinema.
Melhor Direção no 15º Festival de Cinema do Vale do Ivinhema
Melhor Atriz no 15º Festival de Cinema do Vale do Ivinhema
 
SOBRE ANDRÉ NOVAIS
 
André Novais Oliveira é formado em História pela Puc-Minas e em Cinema pela Escola Livre de Cinema/BH. Dirigiu e escreveu os curtas Fantasmas, Domingo, Pouco mais de um mês e Quintal e os longas Ela volta na quinta e Temporada. Juntos seus filmes foram exibidos em dezenas de festivais como a Quinzena dos Realizadores em Cannes, Locarno, Rotterdam, Brasília e Tiradentes. Temporada ganhou os prêmios de melhor filme, melhor atriz, melhor ator coadjuvante, melhor direção de arte e fotografia no último festival de Brasília. Junto com Gabriel Martins, Maurílio Martins e Thiago Macêdo Correia, faz parte da produtora mineira Filmes de Plástico.
 
SOBRE A FILMES DE PLÁSTICO
 
Criada em 2009, a Filmes de Plástico é uma produtora mineira, sediada em Belo Horizonte, formada pelos diretores André Novais Oliveira, Gabriel Martins, Maurilio Martins e pelo produtor Thiago Macêdo Correia. É característica e interesse da produtora realizar obras de apelo popular, que retratem com fidelidade e respeito a vida na periferia e os personagens que habitam um universo que é visto de modo marginalizado. Sendo os três diretores naturais de Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, fazer filmes sobre o bairro onde cresceram, as pessoas com quem convivem e a lógica sistemática deste “universo” das classes menos privilegiadas é como filmar o quintal da própria casa. E talvez por isso seja tão importante que estes filmes criem um diálogo forte entre quem os realiza e o público.
 
Juntos seus filmes já foram selecionados em mais de 200 festivais no Brasil e no mundo como a Quinzena dos realizadores em Cannes, Festival de Cinema de Locarno, Festival de Rotterdam, FID Marseille, Indie Lisboa, BAFICI, Festival de Cartagena, Los Angeles Brazillian Film Festival, Festival de Cinema de Brasília e Mostra de Cinema de Tiradentes, ganhando mais de 50 prêmios, como a Menção Especial do Júri na Quinzena dos Realizadores em Cannes e o Prêmio de Melhor Filme pelo Júri Oficial na XI Semana dos Realizadores do Rio de Janeiro e no XI Panorama Coisa de Cinema de Salvador.
 
Entre os próximos projetos da produtora estão os longas-metragens No Coração do Mundo, dirigido
Gabriel Martins e Maurilio Martins, em fase de pós-produção e com lançamento previsto para o primeiro semestre de 2019; Marte Um, dirigido por Gabriel Martins, em fase de produção e O Último Episódio, dirigido por Maurilio Martins e E os meus Olhos ficam sorrindo, dirigido por André Novais Oliveira, ambos com previsão de filmagem para 2020.
 
Fazem parte da obra da produtora Filmes de Plástico os curtas-metragens:
 
Contagem (2010), Quinze (2014), Dona Sônia pediu uma arma para seu vizinho Alcides e Rapsódia para o Homem Negro (2015), Fantasmas (2010), Pouco Mais de um Mês (2013), Constelações (2016), Filme de Sábado (2009), No Final do Mundo (2009), Pelos de Cachorro (2010), Domingo (2011), Mundo Incrível REMIX (2014), Quintal (2015) e Rapsódia para o Homem Negro (2015)
 
Fazem parte da obra da produtora Filmes de Plástico os longas-metragens: Ela Volta na Quinta (2014) e Temporada (2018)

'TINTA BRUTA', estreia dia 6 de Dezembro

Sinopse: 
 
Enquanto responde a um processo criminal, Pedro é forçado a lidar com a mudança da irmã para o outro lado do país. Sozinho no escuro do seu quarto, ele dança coberto de tinta neon, enquanto milhares de estranhos o assistem pela webcam.
 
Ficha Técnica
 
Direção e Roteiro: Filipe Matzembacher e Marcio Reolon
Produção: Avante Filmes
Coprodução: Besouro Filmes
Produtores: Filipe Matzembacher, Jessica Luz e Marcio Reolon
Produtora executiva: Jessica Luz
Diretor de fotografia: Glauco Firpo
Diretora de arte: Manuela Falcão
Montador: Germano de Oliveira
Desenho de som e mixagem: Tiago Bello e Marcos Lopes
Trilha Sonora original: Felipe Puperi
Elenco principal: Shico Menegat, Bruno Fernandes, Guega Peixoto, Sandra Dani e Frederico Vasques
 
Lista de Festivais:
 
World Premiere: Berlin IFF 2018 - Panorama
Guadalajara IFF 2018 - Premio Maguey
BFI Flare 2018
Wicked Queer: The Boston LGBT FF 2018
Queergestreift FF 2018
Skopje FF 2018
Lovers FF 2018
OUTshine FF Miami 2018
TEDDY Screenings, Paris 2018
Cinema Museum London 2018
Gay FF Freiburg 2018
Pink Apple FF 2018
Orlando Festival 2018
Mix Mexico 2018
Inside Out Toronto LGBT FF 2018
Transilvania IFF 2018
TLVFest 2018
Puerto Rico Queer FF 2018
Seattle IFF 2018
Molodist Kyiv IFF 2018
Sydney FF 2018
Frameline 2018
Ciclo Rosa FF 2018
Taipei FF 2018
Gay Filmdays Bielefeld 2018
International Queer Showcase Nuevo León 2018
Cinecitta’ Queer FF 2018
Bangkok LGBT+ FF 2018
Outfest Los Angeles 2018
Filmrauschpalast Berlin 2018
New Horizons IFF 2018
Gaze International LGBT FF 2018
Melbourne IFF 2018
Vancouver Queer FF 2018
Reel Affirmations Monthly LGBTQ Film Series 2018
Hong Kong Lesbian & Gay FF 2018
Athens IFF 2018
Shanghai Queer FF 2018
Bari International Gender FF 2018
Luststreifen FF 2018
Adelaide FF 2018
Vinokino LGBT FF 2018
QCinema IFF 2018
LesGaiCineMad 2018
MIX Copenhagen 2018
Chicago International Film Festival 2018
 
PRÊMIOS:
- Teddy Award for Best Queer Feature Film - Berlin IFF 2018
- CICAE Prize - Berlin IFF 2018
- Premio Maguey for Best Film - Guadalajara IFF 2018
- Best Narrative Film - Wicked Queer: Boston LGBT FF 2018
- Best Feature Film; Ottavio Mai Award   - Lovers FF 2018 
- Young Jury Award - Lovers FF 2018
- Special Mention of Sunny Bunny Competition Jury - Molodist Kyiv IFF 2018
- Best International Narrative - Outfest Los Angeles 2018
- Special Mention - Queer Lisboa 2018 
 
SOBRE OS DIRETORES
 
Filipe Matzembacher (Porto Alegre, 1988) e Marcio Reolon (Porto Alegre, 1984) são roteirista e diretores. A dupla se conheceu quando cursava Produção Audiovisual na PUCRS, e desde então trabalham juntos. Em 2010 fundaram sua produtora, Avante Filmes. São ainda professores de atuação e curadores de dois festivais de cinema. Marcio também é ator, tendo participado de diversos filmes e peças de teatro. Em 2015 lançaram seu primeiro longa-metragem, "BEIRA-MAR", que estreou na mostra Forum do Festival de Berlim, e foi premiado melhor filme do Festival do Rio na mostra Novos Rumos. Em 2018 lançam seu segundo longa-metragem, "TINTA BRUTA", na mostra Panorama do Festival de Berlim.
 
SOBRE AVANTE FILMES
 
Sediada em Porto Alegre, a Avante Filmes é um produtora fundada em 2010, focada na produção de conteúdo para cinema e televisão. Após diversos curtas-metragens, em 2015 a produtora lançou seu primeiro longa-metragem, "Beira-Mar", na 65a Berlinale - Forum. O filme foi vencedor do prêmio de Melhor Filme - Novos Rumos no Festival do Rio, Prêmio Especial do Júri Maguey no Festival de Cinema de Guadalajara, dentre outros, e lançado comercialmente em diversos países. Em 2016 finalizou a minissérie "O Ninho", exibida em diversos países e, assim como Beira-Mar, também dirigida por Filipe Matzembacher e Marcio Reolon. Além do trabalho de produção de conteúdo, a produtora é responsável pelos eventos CLOSE - Festival Nacional de Cinema da Diversidade Sexual e Diálogo de Cinema. Atualmente, além do lançamento de “Tinta Bruta” na Berlinale - Panorama,  a Avante Filmes produz os longas-metragens “Barões Detrás do Morro”, de Germano de Oliveira e “Encontro no fim dos dias”, de Daniel de Bem e Daiane Marcon.
 
SOBRE BESOURO FILMES
 
Com base em Porto Alegre e foco na produção de conteúdo, a Besouro Filmes foi criada em 2006 e trabalha em parceria com outras empresas e diretores, buscando uma identidade única em suas obras. Entre seus trabalhos mais recentes, além do longa-metragem Tinta Bruta de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, lançou a série O Ninho dos mesmos realizadores e o longa de estreia de Ismael Caneppele, Música para quando luzes se apagam, premiado no 50° Festival de Cinema de Brasília. Ainda para 2018, prepara o documentário 5 Casas de Bruno Gularte Barreto, agraciado com o prêmio IDFA Bertha Fund. 
 
SOBRE A SESSÃO VITRINE PETROBRAS
 
Cada filme da Sessão Vitrine Petrobras tem pelo menos uma sessão diária com horário fixo, nos mesmos cinemas de mais de 20 cidades. Os filmes ficam em cartaz por no mínimo duas semanas emcada cidade. A intenção é que uma programação mensal e um horário fixo tornem-se um referencial e criem um público cativo.
 
Em 2018, a Sessão Vitrine Petrobras está nas seguintes cidades: Rio Branco (Cine Teatro Recreio), Maceió (Cine Arte Pajuçara), Fortaleza (Cinema do Dragão), Brasília (Cine Brasília e Espaço Itaú de Cinema Brasília), Vitória (Sesc Gloria), Goiânia (Cine Cultura Goiânia e Lumiere Bouganville 5), São Luís (Cine Lume), João Pessoa (Cine Bangue), Recife (Cine São Luíz, FUNDAJ Cinema do Museu), Teresina (Cine Teresina), Curitiba (Cineplex Batel e Cinemateca de Curitiba), Niterói (Cine Arte UFF), Rio de Janeiro (Espaço Itaú de Cinema Botafogo e Estação Net Rio), Manaus (Casarão de Ideias), Aracaju (Cine Vitória), São Paulo (Espaço Itaú de Cinema Augusta, Cinesystem Morumbi Town e CineArte), Palmas (Cine Cultura Palmas), Porto Alegre (Cine Bancários), Salvador (Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha), Belo Horizonte (Cine Belas Artes, Cine 104), Santos (Cinespaço Miramar), Belém (Cine Líbero Luxardo) entre outras.

‘SUEÑO FLORIANÓPOLIS’ estreia dia 15 de novembro

Distribuído pelo projeto Sessão Vitrine Petrobras,  coprodução brasileira com Andréa Beltrão e Marco Ricca já foi exibida no festivais de Toronto e San Sebastian

Sinopse

Buenos Aires, Argentina, verão de 1990, Pedro (Gustavo Garzón) e Lucrécia (Mercedes Morán), separados após vinte e dois anos de casamento, decidem viajar de férias com seus dois filhos adolescentes rumo ao litoral Sul do Brasil. Motivados pelo câmbio favorável, caem na estrada em um Renault 12, sem ar-condicionado, e viajam 1.750 km até Florianópolis (Santa Catarina). Juntos, porém separados, conhecem Marco (Marco Ricca) e Larissa (Andrea Beltrão). Pouco a pouco vão descobrindo qual é o sonho de cada um.

 

Ficha técnica

Direção: Ana Katz

Roteiro: Ana Katz e Daniel Katz

Produzido por: Beto Gauss, Camila Groch, Francesco Civita, Nicólas Avruj

Produção Executiva: Camila Groch, Beto Gauss, Nicolás Avruj

Uma Produção: CAMPO CINE (ARG) e PRODIGO FILMS (BRA), em coprodução com GROCH FILMES (BRA)

Fotografia: Gustavo Biazzi

Direção de Arte: Gonzalo Delgado

Elenco Brasil: Andrea Beltrão (Larissa), Marco Ricca (Marco), Caio Horowicz (César)

Elenco Argentina: Mercedes Morán (Lucrécia), Gustavo Garzón (Pedro), Manuela Martinez (Flor), Joaquim Garzón (Julián)

Distribuição: VITRINE FILMES (BRA)

Sales Agent Internacional: Film Factory

 

SOBRE A DIRETORA

 

ANA KATZ é uma diretora argentina formada pela Universidad del Cine de Buenos Aires. Acumula também experiências como roteirista, dramaturga e atriz. Tem filmes premiados em importantes festivais pelo mundo, como São Paulo Short Film Festival, Rotterdam Film Festival, Habana Film Festival, Festival de Mar del Plata, Festival de San Sebastián e Festival de Cannes. Em 2012 foi convidada para mostras retrospectivas de seus filmes em Nova York (USA) e em Belo Horizonte (Brasil). Em 2013 seu projeto “Sueño Florianópolis” foi vencedor do Edital de Coprodução Brasil-Argentina, promovido pela ANCINE e INCAA. No ano de 2014 rodou seu quarto longa-metragem, “Mi amiga del Parque”, ganhador do prêmio Ibermedia e selecionado no Festival de San Sebastián.

 

Filmografia

 

Direção / Roteiro (Longas)

“Sueño Florianópolis” (em produção)

“Mi amiga del parque” (em lançamento)

[Prêmio de melhor roteiro em Sundance 2016]

“Los Marziano” (2011)

[Competição Oficial do Festival de San Sebastián – Espanha]

“Una novia errante ” (2007)

[Seleção Un certain regard, Festival de Cannes]

“El juego de la silla” (2002)

[Premiado em festivais da Espanha, Alemanha, França e Itália]

Direção / Roteiro (Curtas)

“El Fotógrafo” (2005)

“Mujeres en Rojo: Despedida” – telefilme (2005)

“Ojalá corriera viento” (2001)

“Pantera” (1998)

“Merengue” (1995)

 

SOBRE A SESSÃO VITRINE PETROBRAS
 
Cada filme da SESSÃO VITRINE PETROBRAS terá pelo menos uma sessão diária com horário fixo, nos mesmos cinemas de mais de 20 cidades. Os filmes ficarão em cartaz por no mínimo duas semanas em cada cidade. A intenção é que uma programação mensal e um horário fixo tornem-se um referencial e criem um público cativo.
 
Em 2018, a SESSÃO VITRINE PETROBRAS estará nas seguintes cidades: Rio Branco (Cine Teatro Recreio), Maceió (Cine Arte Pajuçara), Fortaleza (Cinema do Dragão), Brasília (Cine Brasília e Espaço Itaú de Cinema Brasília), Vitória (Sesc Gloria), Goiânia (Cine Cultura Goiânia e Lumiere Bouganville 5), São Luís (Cine Lume), João Pessoa (Cine Bangue), Recife (Cine São Luíz, FUNDAJ Cinema do Museu), Teresina (Cine Teresina), Curitiba (Cineplex Batel e Cinemateca de Curitiba), Niterói (Cine Arte UFF), Rio de Janeiro (Espaço Itaú de Cinema Botafogo e Estação Net Rio), Manaus (Casarão de Ideias), Aracaju (Cine Vitória), São Paulo (Espaço Itaú de Cinema Augusta, Cinesystem Morumbi Town e CineArte), Palmas (Cine Cultura Palmas), Porto Alegre (Cine Bancários), Salvador (Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha), Belo Horizonte (Cine Belas Artes, Cine 104), Santos (Cinespaço Miramar), Belém (Cine Líbero Luxardo) entre outras.


Serviço:
 
Os ingressos são vendidos a preço reduzido, através da bilheteria ou “Cartão Fidelidade SESSÃO VITRINE PETROBRAS”, que poderá ser adquirido no site do projeto. Valor máximo do ingresso: R$ 12 (inteira) / R$ 6 (meia) – variando de acordo com a cidade.

'CAMOCIM' ESTREIA DIA 13 DE SETEMBRO

SINOPSE

A cada quatro anos, o cotidiano calmo e tranquilo de Camocim de São Félix, pequena cidade do interior do Pernambuco, é chacoalhado. Durante a campanha municipal, a cidade se divide em duas, e todas as vidas parecem orbitar em torno da política. No meio deste mercado eleitoral, Mayara, 23 anos, tenta fazer uma campanha “limpa” para eleger seu candidato e amigo César.
 

LISTA DE FESTIVAIS
 
50º Festival de Brasília
X Janela Internacional de Cinema do Recife
41ª Mostra Internacional de Cinema
21ª Mostra de Cinema de Tiradentes
7º Olhar de Cinema
4ª Mostra Retrospectiva/ Expectativa do Cinema do Dragão
Vencedor do « Encuentro Award » no Miami Film Festival 2017
Festival de Málaga 2018


FICHA TÉCNICA
 
Com: MAYARA GOMES e CÉSAR LUCENA
Direção, Fotografia e Montagem: QUENTIN DELAROCHE
Produção: DORA AMORIM, THAÍS VIDAL, QUENTIN DELAROCHE
Co-produção: JULIE GUESNON AMARANTE, JUSTINE HENOCHSBERG
Som, Mixagem e Trilha Original: NICOLAU DOMINGUES
Assistente de Direção: VICTORIA ÁLVARES
Argumento: FELLIPE FERNANDES, QUENTIN DELAROCHE
País: Brasil
Ano: 2017
Duração: 76
 

Sobre o DIRETOR

Quentin Delaroche dirigiu os filmes “Marie, the cancer tamer” (53’, 2016) e “Nomad’s Land” (52’, 2014). “Camocim” é seu primeiro documentário produzido no Brasil. Em 2018, dirigiu o longa-metragem “Bloqueio”, selecionado na competição do 51º Festival de Brasília. Quentin trabalha também como montador e operador de câmera para o cinema e a televisão.
 

Sobre a PONTE PRODUÇÕES
 
A Ponte Produções é uma produtora audiovisual criada por Dora Amorim e Thaís Vidal, no ano de 2015, no Recife (Brasil), com o propósito de produzir o trabalho de jovens realizadores como Nathalia Tereza, Milena Times, Fellipe Fernandes, Fábio Leal, André Antonio, Rodrigo Almeida e Quentin Delaroche. Os curtas-metragens da produtora já foram exibidos em importantes festivais internacionais como a Semana da Crítica (França), Festival Internacional de Cinema de Chicago (EUA), Cinélatino - Toulouse (França), Festival Internacional de Cinema de Cartagena das Indias - FICCI (Colombia), Festival Internacional de Cinema de Winterhur (Suíça), Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano (Havana), entre outros. O primeiro longa-metragem da empresa A SEITA, dirigido por André Antonio, teve sua estreia mundial no Festival Internacional do Rio e a estreia europeia no Festival Internacional de Cinema de Goteborg. Em 2017, a Ponte finalizou o seu segundo longa-metragem CAMOCIM, que teve estreia no Festival de Brasília, dirigido por Quentin Delaroche, e trabalha na produção e desenvolvimento de outros projetos. Em 2018, BLOQUEIO, de Quentin Delaroche e Victória Álvares (PE), é um dos selecionados da mostra competitiva do 51º. Festival de Brasilia.
 

Sobre a SESSÃO VITRINE PETROBRAS
 
Cada filme da SESSÃO VITRINE PETROBRAS terá pelo menos uma sessão diária com horário fixo, nos mesmos cinemas de mais de 20 cidades. Os filmes ficarão em cartaz por no mínimo duas semanas em cada cidade. A intenção é que uma programação mensal e um horário fixo tornem-se um referencial e criem um público cativo.
 
Em 2018, a SESSÃO VITRINE PETROBRAS estará nas seguintes cidades: Rio Branco (Cine Teatro Recreio), Maceió (Cine Arte Pajuçara), Fortaleza (Cinema do Dragão), Brasília (Cine Brasília e Espaço Itaú de Cinema Brasília), Vitória (Sesc Gloria), Goiânia (Cine Cultura Goiânia e Lumiere Bouganville 5), São Luís (Cine Lume), João Pessoa (Cine Bangue), Recife (Cine São Luíz, FUNDAJ Cinema do Museu), Teresina (Cine Teresina), Curitiba (Cineplex Batel e Cinemateca de Curitiba), Niterói (Cine Arte UFF), Rio de Janeiro (Espaço Itaú de Cinema Botafogo e Estação Net Rio), Manaus (Casarão de Ideias), Aracaju (Cine Vitória), São Paulo (Espaço Itaú de Cinema Augusta, Cinesystem Morumbi Town e CineArte), Palmas (Cine Cultura Palmas), Porto Alegre (Cine Bancários), Salvador (Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha), Belo Horizonte (Cine Belas Artes, Cine 104), Santos (Cinespaço Miramar), Belém (Cine Líbero Luxardo) entre outras.
 

MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS: do palco do teatro para as telas de cinema

MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS: DO PALCO DO TEATRO PARA AS TELAS DE CINEMA


O longa dirigido por Rafael Gomes, que tem o romance como tema principal, já começou a ser rodado em São Paulo

A peça MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS (prêmio APCA de Melhor Peça Jovem) foi adaptada para o cinema e as filmagens já estão a todo vapor. Assim como a peça, o longa terá como ponto central o romance entre três jovens: Isabela (Mayara Constantino), Ricardo (Victor Mendes) e Felipe (Caio Horowicz). Denise Fraga interpretará Berenice, mãe de Felipe. Já o papel de Alice, avó de Isabela, fica por conta de Suely Franco, e Gabriel, ex-namorado de Isabela, será interpretado por Ícaro Silva.
 

Música Para Cortar os Pulsos, em sua versão para os palcos, tornou-se um texto de referência na dramaturgia para jovens, tendo ficado três anos em cartaz e viajado para mais de 30 cidades brasileiras, colecionando prêmios, elogios da crítica e sucesso junto ao público. Além do amor, seus temas abarcam também a sexualidade e, especialmente na adaptação para o cinema, a influência da tecnologia nos relacionamentos contemporâneos.

Rafael Gomes, responsável pelo texto e direção da peça e agora também roteirista e diretor do filme, explica que a inspiração para a história partiu das relações amorosas a sua volta. “Eu via como todos os meus amigos estavam enredados em diferentes teias amorosas, e a maneira como esse era sempre um assunto, sempre ‘O’ assunto. E como esses amores todos sempre buscavam referências e apoios para se justificar, para se entender, para existirem, propriamente ditos... Eram músicas, filmes, livros, peças, toda e qualquer coisa que pudesse dar pistas, dar recheio, traduzir o que sentíamos e nos ensinar, por reflexo, o que estávamos sentindo.”

Inteiramente rodado na cidade de São Paulo, a paisagem urbana é mostrada por meio do cotidiano das personagens, como trabalho, faculdade, bares, ruas, cinemas, festas e transporte público. Porém, o diferencial do longa, segundo Rafael Gomes, será a diversificação dessas paisagens, saindo do comum e sugerindo um novo imaginário urbano ao expectador.

Na trilha sonora, assim como na peça, haverá participações especiais de músicos e nomes conhecidos da música brasileira. MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS é uma produção da Lacuna Filmes, a mesma de Hoje eu Quero Voltar Sozinho, que tem Diana Almeida como produtora responsável, em mais uma parceria de distribuição da Vitrine Filmes, que também foi responsável pelo lançamento do filme dirigido por Daniel Ribeiro.
 

Sinopse:
Baseado na peça homônima, MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS é uma história urbana, intensa e sentimental sobre três jovens de vinte e poucos anos provando que na vida, como nas canções de amor, só os clichês são verdade. Isabella sofre de um coração partido, Felipe quer desesperadamente se apaixonar, e Ricardo, seu melhor amigo, está apaixonado por ele.

Ficha Técnica:
Direção: Rafael Gomes
Produzido por: Diana Almeida
Coprodução: Rafael Gomes e Henrique Carvalhaes
Produtores associados: Daniel Ribeiro, Mayara Constantino e Victor Mendes
Produção executiva: Diana Almeida
Roteiro: Rafael Gomes
Elenco: Mayara Constantino, Victor Mendes Caio Horowicz, Icaro Silva, Denise Fraga, Suely
Franco, Bella Camero e Tess Amorim.
Participações especiais: Tim Bernardes, Fafá de Belém, Vinicius Calderoni, Natália Lage, Guilherme Goski, Clarice Falcão, Maria Gadu e Mauricio Pereira
Direção de fotografia: Dhyana Mai
Direção de arte: Rafael Blas
Figurino: Melina Schleder
Montagem: Cristian Chinen
Edição de som: Confraria de Sons & Charutos
Mixagem: Confraria de Sons & Charutos
Finalização: O2 Pós
Distribuição: Vitrine Filmes

SOBRE RAFAEL GOMES

Graduado em Cinema, Rafael Gomes roteirizou e dirigiu seis curtas metragens premiados e exibidos em diversos festivais ao redor do mundo, como França, Espanha, Alemanha, Portugal, Estados Unidos, Holanda e Itália. Além disso, assinou o roteiro de dois longas-metragens: De Onde Eu Te Vejo (2016) e 45 do Segundo Tempo (2019/ em produção), ambos dirigidos por Luiz Villaça, e prepara-se para lançar em breve seu primeiro longa, “45 Dias Sem Você”, filmado em cinco diferentes países. Também criou séries para televisão (“Tudo o que É Sólido Pode Derreter”, “3 Teresas” e “Vizinhos”) e recebeu alguns dos principais prêmios teatrais do país, dirigindo montagens como “Um Bonde Chamado Desejo”, Gota d’ Água [a Seco]” e “Os Arqueólogos”.

SOBRE A LACUNA FILMES

A Lacuna Filmes é uma produtora sediada em São Paulo, desde 2006. Dentre suas produções estão “Café com Leite” e “Eu Não Quero Voltar Sozinho”, que juntos receberam mais de 115 prêmios, incluindo o Urso de Cristal no 58º Berlinale - Festival Internacional de Cinema de Berlim. Em 2014, “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, longa de estreia da produtora, dirigido por Daniel Ribeiro, estreou no 64ª Berlinale e recebeu os prêmios FIPRESCI e Teddy. O filme também foi a inscrição oficial brasileira para o Oscar 2015. Em 2017, a Lacuna estreou seu novo filme, “As Duas Irenes”, na 67ª Berlinale. 

SOBRE A VITRINE FILMES

Em oito anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 120 filmes. Entre seus maiores sucessos estão "Aquarius" e "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro e o americano "Frances Ha", dirigido por Noah Baumbach, indicado ao Globo de Ouro em 2014.

Em 2017, a Vitrine lançou "O Filme da Minha Vida", terceiro longa do ator e diretor Selton Mello, e "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal, o documentário mais visto no ano.
Neste ano, os principais lançamentos da distribuidora serão "Benzinho", exibido em nos festivais de Sundance e Rotterdam, dirigido por Gustavo Pizzi e protagonizado por Karine Teles, e "Paraiso Perdido", de Monique Gardenberg.